29 de dezembro de 2005


Arábicas: onde encontrar álcool no Oriente Médio

Véia Bêbada
A noite nos países árabes costuma ser agitada, as pessoas gostam muito de passeios, festas, música e conversa sob a luz da lua. Mas quem vem de um país ocidental se dá conta rapidamente da falta de algo normalmente associado a toda essa movimentação noturna: o álcool. O consumo de substâncias que afetam a consciência - especialmente o álcool - é considerado haram, um termo islâmico próximo da idéia de pecado. Não que seja muito difícil encontrar quem beba no Oriente Médio, mas, em geral, o consumo é discreto e está longe de fazer parte dos hábitos sociais mais comuns. A venda e o consumo de bebidas alcólicas são permitidos no Egito e na maioria dos países da região, mas são proibidos em diversas nações muçulmanas, como a Arábia Saudita e o Kuwait. Na Arábia Saudita, nem os perfumes podem conter álcool. Como no Kuwait as perfumarias não estão submetidas a essas regras, quem não tem dinheiro para ir ao mercado negro comprar vodka ou vinho - como os mais abastados - pode apelar para um porre de cosméticos baratos.

Fonte: Terra

20 de dezembro de 2005

Made um email no futuro...

http://futureme.org/

15 de dezembro de 2005

Nada como um prefeito preocupado com os grandes problemas da cidade e com consciência ecológica invejável!

"A prefeitura pensa em controlar a população de pombos da Praça Dante Alighieri porque as aves estão danificando os canteiros com flores."

Jornal Pioneiro

12 de dezembro de 2005

http://www.neisapantera.com/


Nasceu em Leipzig em 22 de maio de 1813; morreu em Veneza em 13 de fevereiro de 1883.


Ele tinha o dom de dar o que falar. Era um homem menor do que o normal, doentio, com a cabeça grande demais para o corpo. Tinha nervos ruins; era agonia para ele usar junto da pele qualquer coisa mais áspera do que a seda. E suas ilusões de grandeza tornavam-no um monstro de presunção.

Julgava-se um dos maiores dramaturgos do mundo, um dos maiores pensadores e um dos maiores compositores - Shakespeare, Beethoven e Platão em uma pessoa só. Era um dos conversadores mais exaustivos que já viveram. Um serão com ele era um serão passado ouvindo um monólogo . Algumas vezes era brilhante, outras horrendamente enfadonho. Tinha sempre um único assunto de conversa: ele mesmo.

Escrevia óperas. E apenas tinha uma história, convidava - ou, antes, convocava - uma multidão de amigos a sua casa e a lia alto para eles. Não para ouvir críticas e sim aplausos. E sentava-se ao piano diante de grupos de que faziam parte alguns dos melhores pianistas do seu tempo e tocava para eles durante horas... a sua própria música.

Era quase inteiramente destituído de senso de responsabilidade. Nunca lhe ocorreu que tinha qualquer obrigação de se manter. Estava convencido de que o mundo lhe devia o sustento. Tomava dinheiro emprestado de todo o mundo: homens, mulheres, amigos e estranhos. Não encontrei registro algum de que ele alguma vez pagasse a alguém que não tivesse documento legal que obrigasse ao pagamento. Escrevia cartas suplicantes às dezenas, algumas vezes oferecendo ao seu benfeitor o privilégio de contribuir para o seu sustento e mostrando-se mortalmente ofendido se o destinatário declinava da honra.

Era igualmente inescrupuloso em outros sentidos. Passou através de sua vida uma interminável procissão de mulheres. Sua primeira mulher levou 20 anos perdoando-lhe infidelidades. A segunda era esposa de seu mais dedicado amigo, do qual a roubou. E já enquanto estava tentando persuadi-la a deixar o marido escrevia a um amigo perguntando-lhe se podia sugerir-lhe alguma mulher rica - qualquer mulher rica - com quem ele pudesse casar pelo dinheiro.

O nome desse monstro era Richard Wagner. Tudo o que eu disse a respeito dele se encontra documentado - em jornais, nos arquivos da polícia, no testemunho de pessoas que o conheceram, em suas cartas. E o curioso de tudo isto é que não tem a mínima importância. Porque esse homenzinho doentio, desagradável e fascinante esteve certo durante todo o tempo. Ele era realmente um dos mais estupendos gênios musicais que o mundo já viu. O mundo devia-lhe realmente a manutenção.

Ouvindo sua música, nós não o perdoamos pelo que ele possa ter sido. Não se trata de perdão. É uma questão de se ficar mudo de espanto pelo fato de seu pobre cérebro e seu pobre corpo não estourarem sob o tormento do demônio, da energia criadora que vivia dentro dele, lutando, esbracejando, arranhando para se libertar. O milagre é que o que ele fez no pequeno espaço de 70 anos possa ter sido feito, mesmo por um grande gênio. É de admirar que ele não tivesse tempo para ser homem?

Condensado de "The Reader's Digest", abril de 1937. "A Musical Monster". De Deens Taylor. Copyright, 1937, de The Reader's Digest Assn., Inc.

2 de dezembro de 2005


'Bando' de esquilos mata cachorro em parque da Rússia

Esquilo negro
Moradores da área acreditam que a fome pode estar levando os esquilos a atos extremos

Esquilos morderam um cachorro abandonado até a morte em um parque da Rússia, sendo informações da imprensa local.

Freqüentadores do parque teriam chegado tarde demais para interromper o ataque dos esquilos negros no vilarejo no extremo leste da Rússia.

O ataque foi relatado em um parque no centro de Lazo, um vilarejo no Território Marítimo, e teve três moradores como testemunhas.

O cachorro teria latido para os esquilos, que o atacaram durante um minuto. Ao avistar os freqüentadores do parque, os esquilos teriam fugido, alguns ainda carregando pedaços de carne entre os dentes.

[leia mais...]

Fonte: BBC

25 de novembro de 2005

Menudo faz show em casa noturna


Menudo faz show em casa noturna


Após cancelar o show que faria no Olympia, a banda Menudo decidiu fazer uma apresentação na casa noturna Trash 80's da Vila Olímpia (zona sul), neste sábado (26), a partir das 22h30.

A turnê "La Reunión" comemora os 25 anos da boy band porto-riquenha, que já teve no elenco o cantor Ricky Martin. Sucesso nos anos 80, o grupo vendeu 20 milhões de discos nos Estados Unidos e na América Latina.

Roy Rosseló, Raymond Acevedo, Ruben Gómez, Anthony Galindo e Caleb Avilés são os cinco integrantes da banda atualmente, que apresentará sucessos como "Não Se Reprima", "Sabes a Chocolate" e "Indianapolis".

Além do show, a Trash 80's terá, no sábado, festa conta com os DJs Catatau e Wander Yukio, e com o VJ Rafinha Bastos, que discotecam para o público.

*MENUDO - LA REUNIÓN*
*Quando*: Sábado (26), a partir das 22h30 (abertura da casa).
*Onde* rua Julio Diniz, 176, Vila Olímpia. Tel.: 0/xx/11/3262-4881
*Quanto*: R$ 30

Fonte: Folha Online
Notícia sessão da tarde: Morre mestre Miyagi


25/11/2005 - 15h23
Pat Morita, o mestre de "Karatê Kid", morre aos 73 anos

Los Angeles, 25 nov (EFE).- O ator americano Pat Morita,
conhecido pelos populares filmes "Karatê Kid", onde interpretava o
professor de caratê do protagonista, morreu hoje aos 73 anos devido
a causas naturais em sua casa, em Las Vegas.

A notícia foi dada pela mulher do ator, Evelyn, que disse que
Morita "dedicou sua vida inteira a atuar e à comédia".

Morita, de origem asiática, participou de mais de cem filmes e
várias séries de televisão, mas seu papel como Kesuke Miyagi - o
mentor de Daniel (Ralph Macchio), um aluno de caratê que encontra
sentido para a vida através da disciplina das artes marciais - foi o
que deu mais popularidade a Morita em nível mundial.

O ator, que tinha três filhas de um casamento anterior, foi o
protagonista dos três filmes "Karatê Kid", e foi o primeiro ator
americano de origem asiática a ser candidato ao Oscar por seu papel
de Sr. Miyagi no primeiro filme da saga.

Morita, cujo verdadeiro nome era Noriyuki, também interpretou a
voz do imperador nos dois filmes da Disney "Mulan".

22 de novembro de 2005

DVDs "Ensaio" trazem Gal e Tim Maia
da Folha Online

A Trama, em parceria com a TV Cultura, acaba de lançar mais dois DVDs da série "Ensaio", um com Tim Maia e outro com Gal Costa.

Tim Maia (1942-1998), pai da soul music brasileira, é lembrado em um programa gravado em 1992. Estão lá as músicas "Vale Tudo", "O Descobridor dos Sete Mares", "Você", "Do Leme ao Pontal", "Gostava Tanto de Você" e "Um Dia de Domingo". Tim é acompanhado por Serginho Trombone (trombone), Paulinho Black (bateria), Tinho Martins (sax), Chumbinho (baixo), Cebolinha (percussão), Bartolo (trompete), João Bosco (teclado) e Marcus Nabuco (guitarra).

Já Gal Costa faz um apanhado de sua carreira em uma edição do "Ensaio" de 1994. O DVD abre com "Meu Nome É Gal" e traz "Sua Estupidez", "Baby", "Folhetim" e "Desde que o Samba É Samba", entre outras, além de uma versão para "As Time Goes By". O trio formado por Luiz Brasil (violão), Jacques Morelenbaum (violoncelo) e Armando Marçal (percussão) acompanha a cantora.

Ambos os programas tiveram direção de Fernando Faro.

21 de novembro de 2005

Plenário do Senado vira palco de reclamações sobre futebol


Quero virar político... AGORA!
Segunda-feira não é dia de trabalhar...


O senador Paulo Paim (PT-RS) abriu os trabalhos do plenário desta segunda-feira com um discurso que não tratou, por exemplo, da votação do processo de cassação de José Dirceu (PT-SP) ou dos depoimentos que serão prestados pelo ministro da Fazenda, Antonio Palocci, sobre denúncias de corrupção. Paim usou a palavra para reclamar do erro de arbitragem cometido pelo árbitro da partida de ontem entre Corinthians e Internacional, Márcio Rezende de Freitas.

"Eu fiquei tão indignado como todas as pessoas deste país. Todos concordam que foi uma injustiça", afirmou o senador, que chegou a sugerir mudanças nas regras para que jogos com erros de arbitragem evidentes sejam anulados. "Com o avanço tecnológico e da televisão, quando o erro for constatado o correto seria anular o jogo e fazer outra partida", afirmou.

O corinthiano Álvaro Dias (PSDB-PR) protestou, não pela reclamação do senador gaúcho diante do resultado que pode comprometer as chances do Internacional de conquistar o título do Brasileiro. "Aqui não é local apropriado para esse debate", afirmou Dias.

Mesmo assim, Paim continuou com as reclamações. Depois, concluídos os protestos, o senador usou os minutos restantes para falar sobre o Estatuto da Igualdade Racial.

A segunda-feira no plenário do Senado é dia reservado a discursos. Não há votação de projetos conforme estabelece o regimento da Casa e, por conta disso, poucos são os parlamentares que marcam presença.

Fonte: Folha Online
http://catraca.org

16 de novembro de 2005

PedroOrtaça - Finado Trançudo


Pedro Ortaça - Finado Trançudo

Entro na perna do pato
Saio na perna do pinto
Do preto faço a brancura
Do branco faço o retinto
E do sereno da noite
Um litro de vinho tinto
...
Do verde faço maduro
Dum prego faço uma tacha
Em tempo de chuva grande
Faço o rio voltar pra caixa
...
Sou meio deus meio diabo
Meio herege meio santo
Sou reza
Sou impropério
Sou berro e sou acalanto
Mas sou eu, de alma inteira
Na tradução do meu canto

15 de novembro de 2005

what uniform can I wear to hide my heavy heart?
Its too havy. It will always show.

Jaques felt himselt growing gloomy again.
He was well aware that to live on earth
a man must follow its fashions, and hearts
were no longer worn.

Jean Cocteau

11 de novembro de 2005

"The Anarchist Cookbook" e "What the Bleep Do We Know!?"

Ontem eu vi esses dois filmes.

No final do "The Anarchist Cookbook", dos 5 anarquistas da história, um morre de overdose, 2 vão pra Suécia (a mulher que tá viciada em heroína e o que era pedófilo), um eu não lembro e o outro ganha U$ 200 mil, volta a estudar e vira republicano.

É, contei o final da hitória. Contei o final pra você não perder tempo vendo esse filme.

Quando eu achei esse filme fiquei animado. Sempre tive uma certa atração pelo anarquismo. Achei que o filme fosse sobre o mítico "The Anarchist Cookbook", livro que circula desde os primórdios da Internet. Mas não é nada disso.

Jordan Susman, diretor, autor, roteista e tudo mais, deve ter recebido uma boa grana da direitalha americana. O filme não retrata nem de longe o movimento anarco. Muito antes pelo contrário. A viajem é tanta que os anarquistas se aliam aos nazistas e a ultra-direita texana!

Não perca seu tempo.


Já o outro, o "What the Bleep Do We Know!?" ou "What the #$*! Do We (K)now!?" eu recomendo.

É meio história e meio documentário sobre a Física Quântica, Filosofia e a vida. Eu já li bastante coisa sobre Física Quântica e outras viajens correlatas. Sempre eu entendia menos mas dessa vez acho que entendi um pouquinho.

Na real, não sei se eu entender alguma coisa é um bom parâmetro. Anyway, what the fuck!?

10 de novembro de 2005

Das situações em que o chavão é a melhor saída

Algum parente seu já morreu? Ahn...
Não, tipo, já morreu e você tava no velório e enterro e essas coisas todas?

Quando meu avô morreu, fiquei muito irritado com todas aquelas pessoas que eu nunca tinha visto na vida e que vinham "dar os pêsames". Tipo, nada pode ser mais chavão. E que porra significa "pêsames"???

Tá, eu sei que pesames deve vir de "pesar" e talz mas, convenhamos, "pêsames"!!!!

A avó de uma amiga minha morreu. Ou faleceu. Ou...

Quando ela me contou, descobri qual o real sentido dos "pêsames". É chato saber que a avó de alguém morreu. Tipo, se fosse a minha avó eu iria ficar mal e essas coisas. Mas é difícil expressar o que se sente na hora que alguém te conta isso, então, apelamos para o chavão.

Não, eu não dei os "pêsames" pra ela. Mas teria sido muito mais fácil. Falei algumas coisas. Não foi o que eu realmente sentia no momento, que acho que era algo do tipo, "hey, eu sei o que é isso, não é legal, mas enfim...".

De qualquer forma, acho que nessas horas não faz muita diferença o que você fala. Entra num ouvido e sai pelo outro. Não há processamento.

É por isso que os chavões são a melhor saída!

Você não enche o saco da outra pessoa e não fica tentando inventar alguma coisa "legal" pra dizer pra ela.

Acho que é isso, ou não, pra não perder o chavão...

4 de novembro de 2005

Qual será a música dos nossos filhos?

Hoje eu vi uma gravação dos Mutantes, em 69 na TV Cultura, e aquela coisa de "não se faz mais música como antigamente" voltou a cabeça. Porque é verdade!

Tá, Jupiter Maçã é legal pra caralho. Mas fora isso, o que se compara a Mutantes, Baianos, Jefferson Airplane e, for christ sake, Beatles?

Na real não to preocupado com as criancinhas da nova geração. Elas vão ter a música delas e pronto!

Eu to preocupado em daqui a 30, 40, 50 ou sei lá quantos anos tá escutando músicas centenárias porque não tem nada melhor e ainda dizer "Ah, isso sim que é música!"

Será que tem coisa boa por ai e eu é que não conheço?

Será que a ditadura vai ter que voltar pra se fazer música?

Será que meus netos vão ver um show com o Keith Richards no palco?

1 de novembro de 2005


Investimentos

O Novo Mercado é um segmento de listagem destinado à negociação de ações emitidas por empresas que
se comprometem, voluntariamente, com a adoção de práticas de governança corporativa e disclosure
(maior transparência) adicionais em relação ao que é exigido pela legislação. As empresas deste
segmento estão divididas em três diferentes níveis (Níveis 1, 2 e Novo Mercado). Atualmente, existem 15
empresas listadas no Novo Mercado, 34 empresas no Nível 1 e 9 listadas no Nível 2. Cada nível superior
contém todas as exigências do anterior e mais as que lhe competem.

As empresas que estão listadas em algum dos três níveis do Novo Mercado, compõem o chamado Índice
de Ações com Governança Corporativa Diferenciada (IGC). O IGC tem por objetivo medir o desempenho
de uma carteira teórica composta por ações de empresas que apresentem bons níveis de governança
corporativa. O peso de cada ação no índice é calculado pelo valor de mercado das ações em circulação
(free-float) das respectivas companhias, ponderado pelo nível de participação no Novo Mercado (Novo
Mercado tem peso 2, Nível 2 peso 1,5 e Nível 1 peso 1).

O movimento de governança corporativa ganhou força nos últimos dez anos, tendo nascido e crescido,
originalmente, nos Estados Unidos e na Inglaterra e, a seguir, se espalhando por muitos outros países. No
Brasil, os conselheiros profissionais e independentes começaram a surgir basicamente em resposta à
necessidade de atrair capitais e fontes de financiamento para a atividade empresarial, o que foi acelerado
pelo processo de globalização e pelas privatizações de empresas estatais no País. No Brasil, este
documento foi preparado pelo IBGC pela primeira vez em maio de 1999.

Para maiores informações sobre o IGC, consulte o site do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa
(www.ibgc.org.br). No site da Bovespa (www.bovespa.com.br) podem ser encontradas a composição do
IGC e as empresas listadas no Novo Mercado.

Para não perder a viagem, segue abaixo lista com as empresas que compõem o IGC:


  • CCR Rodovias

  • Sabesp

  • CPFL Energia

  • Cyrela Realt

  • Dasa

  • Energias BR

  • Grendene

  • Light

  • Localiza

  • Lojas Renner

  • Natura

  • OHL Brasil

  • Porto Seguro

  • Renar

  • Submarino



Fonte: Instituto Nacional de Investidores

25 de outubro de 2005

bEEEEm - TE - viiiiiiii

Beeeem - te - VIIIIIIII

21 de outubro de 2005


Documentário "O Projeto Goebbels" recita profecias do nazista

*MARCOS GUTERMAN*
da *Folha de S.Paulo*


Como bom dirigente nazista, Joseph Goebbels era dado a profecias. Mas
ele foi muito além das conhecidas "previsões" sobre o futuro sombrio dos
judeus da Europa, que todo líder do Terceiro Reich gostava de recitar, a
começar por Hitler. O documentário "O Projeto Goebbels" mostra que ele
era bem mais sofisticado: suas teorias sobre comunicação política são
assustadoramente pertinentes nestes dias em que estadistas resultam da
milimétrica elaboração de marqueteiros.

Com sensibilidade instintiva, Goebbels formulou a estrutura de
propaganda da Alemanha nazista, um dos pilares do regime, ao lado do
terrorismo. Certo de que a história lhe daria razão, ele argumenta: "Não
há bom governo sem propaganda". Idéias como essa conferiam a Goebbels
brilho próprio num universo criado para fazer apenas Hitler reluzir.

[...]

O ministro demonstra, porém, que não há boa propaganda sem um bom
"produto": Hitler. Num dos melhores momentos do filme, o ministro
disseca a capacidade oratória do führer. Afirma que nada se compara a
ele no que diz respeito à "harmonia entre palavra, gesto, expressão" --e
a prova disso é uma imagem em que Hitler, durante um discurso, demonstra
domínio total da situação e explora longos segundos de silêncio para
eletrizar a audiência.

Mas o que torna Goebbels inquietante é sua capacidade de antecipar o
futuro da comunicação na nascente sociedade de massa. Ele prevê o
sucesso da TV, comenta o alcance do cinema e planeja estratégias com a
imprensa. "A nova geração é midiática", afirma. Nada mais profético.

*O Projeto Goebbels* (The Goebbels Experiment)
*Quando:* amanhã, às 17h40, no Cineclube Vitrine; e dias 28, às 18h30,
no Espaço Unibanco; e 30, às 14h, no Reserva Cultural - São Paulo

Fonte: Folha Online
Enquanto a reforma não vem, mais um da série "eu quero um desses":





Star Wars Force FX Lightsabers


Q: Can I use my Force FX lightsaber for dueling?:
A: This product should not be used to strike others. Although the blade is very durable, it should never be used for fighting or dueling. The Force FX lightsaber was produced as a collectible; it was not intended for dueling. That said, we've had several successful Lightsaber battles here at the ThinkGeek offices. How can you resist especially with the 'clash' sound effects that occur when the blade strikes another object?



ThinkGeek is not responsible should any customers who purchase this Lightsaber turn to the dark side. Nor are we responsible should you not contain sufficient Midochlorians in your blood system to engage the force without reckless abandon.



18 de outubro de 2005







"Cidade maravilhosa / Cheia de encantos mil
Cidade maravilhosa / Coração do meu Brasil
Cidade maravilhosa / Cheia de encantos mil
Cidade maravilhosa / Coração do meu Brasil
Berço do samba e das lindas canções
Que vivem na alma da gente.....
És o altar dos nossos corações
Que cantam alegremente
Jardim florido de amor e saudade
Terra qua a todos seduz ....
Que Deus te cubra de felicidade
Ninho de sonho e de luz"
"Sa, sassaricando, todo mundo leva a vida no arame
Sa, sassaricando a viúva, o brotinho e a madame
O velho na porta da Colombo
É um assombro sassaricando
Quem não tem seu sassarico
Sassarica mesmo só
Porque sem sassaricar
Essa vida é um nó"
"Chegou a turma do funil / Todo mundo bebe
Mas ninguém dorme no ponto / Ai, ai, ninguém dorme no ponto
Nós é que bebemos e eles ficam tontos - BIS
Eu bebo sem compromisso / Com meu dinheiro
Ninguém tem nada com isso
Aonde houver garrafa / Aonde houver barril
Presente está a turma do funil"
"Ó abre alas
que eu quero passar
Eu sou da lira
Não posso negar
Ó abre alas
que eu quero passar
Rosa de Ouro
é quem vai ganhar"
"Cê pensa que cachaça é água?
Cachaça não é água não.
Cachaça vem do alambique
E água vem do ribeirão."

4 de outubro de 2005

Anthony Hopkins viverá Ernest Hemingway em filme independente

O ator Anthony Hopkins, 67, irá interpretar o escritor Ernest Hemingway no filme "Papa", que terá direção de Roger Donaldson.

O cineasta afirmou que o roteiro será baseado no encontro de Hemingway com Denne Bart Petitclerc, o mais jovem correspondente de guerra norte-americano na Guerra da Coréia (1950-53), cujo trabalho foi influenciado pelos escritos de Hemingway durante a Guerra Civil Espanhola (1936-39).

Materia completa no uol.
The computer is the network

Google e Sun anunciam parceria para lançar um web office, baseado no OpenOffice.

A coisa tá ficando cada vez mais fudida! Imaginem que, além de seus emails e todo o seu perfil, o Google ainda vai ter seus arquivos pessoais em seus servidores!

Que merda...

29 de setembro de 2005

Violeira Helena Meirelles morre aos 81 anos

Morreu, por volta das 0h30 desta quinta-feira, 29, a violeira Helena Meirelles, 81 anos. A "dama da viola", a única brasileira que está entre os 100 nomes da guitarra de todos os tempos, eleitos pela revista norte-americana Guitar Player, morreu em casa, em Campo Grande (MS), vítima de parada cardiorespiratória.

...

Nos últimos dias, a violeira permaneceu no CTI do hospital, mas apresentava melhora, chegando, inclusive, a respirar sem a ajuda de aparelhos.

Nascida em uma fazenda no Pantanal, Helena Meirelles desde a infância apresentava amor pelas violas caipiras, mas a família não deu apoio para que aprendesse a tocar. Ela aprendeu a tocar escondida. Aos 17 anos, ela se casou, obrigada pelos pais. Logo depois, se separou do marido para viver com um músico, que tocava violão e violino.

(Fonte: Terra)

22 de setembro de 2005




BROACA
Você sabe que sua vida é uma rotina quando faz uso do vaso a mesma hora, todos os dias...

Que merda!

16 de setembro de 2005

Olha a cabeleira do Zezé, será que ele é?

8 de setembro de 2005

silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio
silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio
silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio
silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio             silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio
silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio
silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio
silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio silêncio


(Ferreira Gullar)

4 de setembro de 2005

Alguém tem alguma dúvida que, se o Brasil perder hoje, as manchetes amanhã vão ser cheias de "sacadinhas" com o mensalão???

O pior é que acho que se ganhar também...

31 de agosto de 2005

Hum, eu quero :-)

http://www.google.com/googlegulp/index.html

30 de agosto de 2005

Idem ao anterior

COMO AGIR NA NEGOCIAÇÃO, EM ESPECIAL, NAS SITUAÇÕES DE CONFLITO. POR WILLIAM URY.

PASSE PARA O LADO DELES

? É necessário surpreender.
? Fazer o oposto do que é esperado
? Passar para o lado deles.
? É muito difícil lutar contra alguém que está do seu lado.

OUVIR COM ATENÇÃO

? Todos temos a necessidade de sermos ouvidos.
? Ouvir requer paciência e auto disciplina.
? É necessário se concentrar no que a outra parte está dizendo.
? Ouvir proporciona o entendimento do problema e faz com que a outra parte fique mais disposta a lhe ouvir.
? Nunca interrompa os negociadores do outro lado, mesmo que ache que estão errados.
? Mantenha contato com os olhos e balance a cabeça ocasionalmente.

RECONHEÇA O PONTO DE VISTA DO OUTRO

? Todos temos a necessidade de sermos reconhecidos.
? Reconhecer o ponto de vista da outra parte como válido.
? Utilizar termos como ?você está certo neste aspecto? ou ?entendo o que quer dizer? ou ?sei bem o que quer dizer?.
? Criar boa relação de trabalho desde o princípio.

EXPONHA SEU PONTO DE VISTA SEM PROVOCAÇÕES

? Reconhecer o ponto de vista da outra parte e, sem contesta-lo, expressar uma visão contrária.
? Apresentar sua opinião como complemento e não como negação da opinião do outro.
? Utilizar o SIM e não o MAS.
? Não hesite em sustentar sua opinião.
? Seja seguro e confiante.

29 de agosto de 2005

Como meu email e meu gravador de cd não estão funcionando, estou utilizando este meio para fazer uma tranferencia de informações. Ignorem.

ABEP - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EMPRESAS DE PESQUISA

A ABEP - A Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa surgiu em 1992 da fusão de duas empresas de pesquisa, a ABIPEME - Associação Brasileira de Institutos de Pesquisa de Mercado e ANEP - Associação Nacional de Empresas de Pesquisa, com o intuito de padronizar os critérios de classificação econômica do Brasil, pois essas duas empresas empregavam métodos diferentes para a coleta de informações e consequentemente o resultado das pesquisas também era distinto.
A ABEP tem o objetivo de reunir, em uma única entidade, as empresas de pesquisa de mercado, pesquisa de opinião e de pesquisa social que desenvolvem atividades no Brasil.

PROCEDIMENTO NA COLETA DOS ITENS

Deve ser considerado:
- bem alugado permanentemente
- bem emprestado há mais de seis meses
- bem quebrado há menos de seis meses

Não deve ser considerado:
- bem emprestado para outro domicílio há mais de seis meses
- bem quebrado há mais de seis meses
- bem alugado em caráter eventual
- bem de propriedade de empregados ou pensionistas

Para um resultado satisfatório é necessário que o critério seja aplicado precisamente, seguindo as definições e procedimentos descritos a seguir.

TELEVISORES

Considerar apenas os televisores em cores.

RÁDIO

Considerar qualquer tipo de rádio no domicílio, incluindo walkman, microsystems, etc., desde que este seja capaz de sintonizar as emissoras convencionais. NÃO SE DEVE CONSIDERAR O RÁDIO DE AUTOMÓVEL.

BANHEIRO

O que defini o banheiro é o vaso sanitário. Considerar todos os banheiros ou lavabos com vaso sanitário, desde que sejam de uso privativo do domicílio. BANHEIROS COLETIVOS (P/ MAIS DE UMA HABITAÇÃO) NÃO DEVEM SER CONSIDERADOS.






AUTOMÓVEL

Não devem ser considerados veículos de uso profissional, como táxis ou vans para fretes. Veículos para uso misto (lazer e profissional) também não devem ser considerados.

EMPREGADA DOMÉSTICA

Considerar apenas empregados mensalistas, ou seja, aqueles que trabalham pelo menos cinco dias por semana, isto inclui motoristas, cozinheiros, etc.

ASPIRADOS DE PÓ

Considerar os portáteis e máquinas de limpar a vapor.

MÁQUINAS DE LAVAR

Se o tanquinho for mencionado espontaneamente deve ser considerado.

VIDEOCASSETE E/OU DVD

Qualquer videocassete ou dvd.

GELADEIRA E FREEZER

Uma geladeira duplex (duas portas) deve ser considerada como uma geladeira simples e mais um freezer, sendo assinalado pontos para ambos.

12 de agosto de 2005

A vida imita a arte?
A Nestlé tem a marca Wonka desde 1988




Desde 1988, a Nestlé tem os direitos de fabricação e venda das barras de chocolate Wonka, inspiradas no personagem criado pelo escritor Roald Dahl, cujo romance originou as duas versões de A Fantástica Fábrica de Chocolate. Não é, contudo, produto de massa ? muito pelo contrário. Meses antes da estréia do longa de Tim Burton, o braço americano da companhia suíça chegou a contratar jovens profissionais do mercado de marketing para trabalhar com o Wonka. Pretendiam, como se diz no jargão publicitário, ?reposicionar? a marca, e não fazê-la explodir como ocorre, por exemplo, com os produtos licenciados do Batman ou do Homem-Aranha.



De carona no filme, a Nestlé americana lançou, em junho, uma campanha semelhante à promovida por Willy Wonka na literatura e no cinema. Cinco tíquetes de ouro, os Golden Tickets, foram distribuídos nas barras, com direito a prêmios em produtos estimados em US$ 10 mil. Até a semana passada, ninguém tinha sido sorteado. Estatísticos americanos fizeram as contas: a depender do chocolate comprado, as chances do da premiação aparecer variam de um para 3,1 milhões a um para 28 milhões. Não há, na iniciativa publicitária, oferta de visita às linhas de montagem da Nestlé. Em tempo: nos Estados Unidos, uma caixa com 18 unidades do Wonka é vendida por cerca de US$ 25.

9 de agosto de 2005


"Resistir é inútil". Se você é um fã de Star Trek, ouvir estas palavras imediatamente dispara um pensamento: o Borg. O Borg é o último pesadelo: a humanidade, escravizada por um computador. Com sorte, talvez isto seja apenas ficção. Ou não?


Em Star Trek, ele vem em um cubo. Uma nave espacial enorme, cheia de milhões de pessoas. Bem - elas não são exatamente 'pessoas'. Elas são o Borg. As pessoas no cubo não tem vontade nem mente próprias. Eles são Um. Conectadas ao mainframe chamado 'o Borg'. São cyber-escravos. Pobres criaturas.

Mas isto é ficção científica, certo? Não exatamente. Falando assim até parece que eles estão logo depois da esquina esperando pela chance ideal. Não virá em um cubo do espaço, mas do lugar onde você está exatamente agora: a Internet. E se vier, a resistência vai ser, realmente, inútil.

Os sinais são perturbadores. Façamos um pequeno experimento. Por favor, descubra o que é 'auparishtaka'.

Feito?

Ok, todos vocês leitores provavelmente seguiram a mesma rotina. Abriram o Google e digitaram 'auparishtaka'. Todos vocês descobrirão os mesmos resultados. Terão visitado os mesmos websites. Terão absorvido a mesma informação. Por um breve momento, todos foram Um.

Que exemplo idiota, você dirá.

Mas espera aí - isso foi só pra acordar você um pouquinho. O grosso da coisa ainda está por vir. Segure-se: o que você lerá agora pode mudar a forma como você vê seu simpático computador e a Internet para sempre. Pronto? Ok, vamos lá:

1 - Estamos sendo transformados em ciborgues


Viajemos um pouco no tempo. Vamos para uns 10 anos atrás no tempo. Os computadores acabaram de ter seus tamanhos reduzidos, e ficaram muito, muito mais rápidos. Ok, agora vamos um pouco adiante no tempo. Para sua surpresa, descobrirá que os computadores sumiram! Eles serão incorporados. Serão construídos em nossos lares, nossas máquinas domésticas, nossos carros e... nossos cérebros.

Sim: nossos cérebros. Já existem vários experimentos com simples implantes sendo inseridos nos cérebros de pessoas. A maioria deles por motivos de saúde e integridade: os implantes trazem de volta a audição (ou parte dela) ou a visão, ou curam você de terríveis condições como depressão ou fobias extremas.

Mas alguns implantes têm uma função mais 'luxuosa'. Eles se conectam ao seu cérebro para permitir que você movimente seu braço artificial, se tiver perdido o original. Ou eles permitem que você controle o cursor do mouse no seu computador pelo poder da mente, se você estiver paralisado.

A maioria dos entendidos no assunto concordam que isto é apenas o começo. Eventualmente, veremos mais e mais destes implantes 'de luxo'. Precisa aprender grego? Apenas vá a um cyber-médico plugar um pequeno chip no cérebro, bem parecido com um memory stick. Quer uma visão melhorada? O doutor atualizará o seu córtex visual para a versão Vision 2.2. E assim vai.

Claro, estas são coisas esperadas, excitantes e boas. Mas há o outro lado. O hardware não será a única coisa a entrar em nossos cérebros. Junto com ele, a Web entrará na sua mente.

2 - Estamos sendo assimilados


Não preciso lhe dizer que a Internet está crescendo. Em pequenos países high-tech como Cingapura e Holanda, a Internet já está em todos os lugares que você vai e pra todo lugar que você olha. Jogos, compras, encontros, emails, trabalho, ler teorias de fim do mundo - tudo é feito pela Internet.

E a Web ainda está progredindo. Não está apenas cada vez mais presente nos computadores residenciais. Está entrando em nossas TVs, conquistando nossos laptops e celulares. Está rastejando para dentro de nossos carros e casas. De fato, a Internet está para incorporar todo e qualquer dispositivo que associemos com 'comunicação'.

É como se o último 'dispositivo' fôssemos nós. Claro, os computadores implantados em nossos cérebros estarão conectados à Internet. As vantagens são grandes demais para não deixar isto acontecer. Teremos a Internet em nossos ouvidos, e Internet em nossos olhos - literalmente. Nossos cérebros estarão permanentemente online.

Então, você pensa em 'auparishtaka', instantaneamente fica sabendo que é apenas mais uma palavra pra... anh, isso. Você pensa na sua tia em Timbuktu, e sua tia pensa de volta em você, abrindo uma sessão de chat telepático, cérebro-a-cérebro. Você pensa no capitão da Enterprise, Jean-Luc Picard, e uma fotografia dele surge nos seus olhos. É enviado direto para seu córtex visual, onde é traduzido em 'imagens' por seu cérebro. Você pode ouvir a voz de Jean-Luc ou obter informações sobre o ator que interpretou a personagem, os filmes que já fez. Muito conveniente!

Isto é meio difícil de imaginar, não acha? Bem - é mais complicado do que isto. Com seu cérebro online, 'você' não será mais exclusivamente 'seu'. Você, de certa forma, será um cache local para a Internet. Seu cérebro se tornará uma memória de trabalho da Internet. E é aí que as coisas começam a ficar... um tanto bizarras.

3 - Estamos virando o Borg


Então, aí está você. Você tem um computador plugado no cérebro. Sua mente está online todo o tempo. Você é um ciborgue esperto, isto é o que você é.

Mas o que está online, é vulnerável. Alguém poderia hackear sua mente. Algum gênio malvado poderia colocar um vírus na sua mente, ou um spyware em seus pensamentos. Concordemos: isto seria um tanto confuso.

Provavelmente o maior perigo seriam os vírus que se auto-constroem. Existem experimentos com software que aprende, fica mais esperto - software que evolui constantemente melhorando a si mesmo. Com cada habitante do planeta online, tal vírus teria a sua disposição um enorme poder de cálculo e processamento.

É especulativo, mas talvez você possa chamar um vírus assim de 'vivo'. Talvez você possa dizer que ele tem vontade própria. E, talvez você possa chamá-lo de O Borg.

Então, imagina só: em um momento tá tudo certo - e então, de repente, você perde o controle. Começa a ter estranhas e incontroláveis alucinações. Você escuta uma voz interna dizendo que a resistência é inútil ou vivencia uma realidade que não existe. Ficará louco. Em casos extremos, você repentinamente descobrirá que seu corpo não está mais sob seu controle. Alguém - ou algo - controla você, como um marionete. Você se tornará um prisioneiro, trancado em seu próprio corpo.

O Borg pode ordená-lo para fazer todo tipo de coisa. Eliminar todos que ainda não foram assimilados. Contra sua vontade, o Borg fará com que você encontre todos que não têm um computador cerebral. Você será forçado a operá-los e torná-los ciborgues também. Então aí está: de repente você se descobre operando o cérebro de alguém - sem consentimento do paciente ou seu;

Talvez o Borg até lhe ordene que construa uma nave espacial em formato de cubo e saia por aí, em busca de mais formas de vida para assimilar. Para o Borg, mais escravos significam: mais poder de processamento.

Então: Ser Borg ou não ser?


Você pode dar de ombros. Sério, isso não pode ser tão ruim assim. Pessoas sendo assimiladas pela Internet... isso é estranho demais para ser verdade.

Bem - não é. Lembre-se que a Internet como mídia de massa tem apenas 10, 15 anos. Isto é menos que 0,001% do tempo que nossa espécie está neste planeta. E mesmo assim, a Internet e os computadores mudaram completamente nosso mundo. E podemos ter certeza de uma coisa: não vai parar aí.

Claro, a Internet como a conhecemos hoje não tem muito a ver com Borgs e naves espaciais em forma de cubo. A Web ainda é só um monte de bits e bytes, passivamente esperando em discos-rígidos ao redor do mundo.

Mas o software que aprende sozinho, mencionado antes, poderia mudar tudo isto. Digamos que há um software que evolui sozinho com o seguinte desígnio: "Encontre uma cura para o câncer". Na verdade, softwares como este já existem: é um software que automaticamente checa determinadas moléculas para verificar se seu formato se encaixa em alguma cura para o câncer.

Ok, então suponhamos que este software fica mais esperto. Ele poderia encontrar um novo e criativo jeito de fazer seu trabalho. Tipo: "Ei, vamos escravizar todos esses humanos idiotas. Vamos forçá-los a construir um cubo gigante e sair por aí no espaço para procurar a cura do câncer." Isto seria aterrador.

Mas, ainda há um ponto de esperança no qual podemos nos agarrar. Ninguém pode prever o futuro. O problema do Borg parece real. Mas tantos outros cenários também. Talvez sejamos capazes de erguer algum tipo de firewall avançado entre os computadores e a coisa que chamamos de mente. Ou talvez possamos ver o Borg chegando e damos um jeito de pará-lo.

E se não conseguirmos... Bem, temos que levar isto em consideração. Talvez sair por aí num cubo dizendo "a resistência é inútil" pra todo mundo que encontrarmos talvez vire uma tarefa divertida apesar de tudo. Conheceremos lugares jamais vistos do universo, assustaremos todos que encontrarmos, saberemos o que significa 'auparishtaka' e descobriremos uma cura para o câncer. Realmente, ser um Borg não pode ser tão ruim.

20 de julho de 2005

_ um SOFÉ com leite por favor!


NARRADOR: Confortavelmente açucarado.

7 de julho de 2005


Atentados, atentados, atentados... conseguidos

"Alegre-se, comunidade dos muçulmanos"
Sistema de transporte suspenso

A primeira explosão aconteceu na estação de Liverpool Street, no centro financeiro da capital britânica, e a segunda na estação de Edgware, o que causou um autêntico caos na cidade. Outras explosões foram ouvidas em King's Cross e Aldgate East.

O metrô londrino atende cerca de 3 milhões de pessoas diariamente, e o número de vítimas tende a ser grande, pois as explosões se deram justamente quando os usuários deixavam suas casas em direção ao trabalho e à escola.

Que gente estressada...

Tudo bem por aí Sr. Keanu?

29 de junho de 2005

Estamos na moda!

Pois é, 2005, ano do Brasil na França! O que chama a atenção nessa historia toda é a moda Brasil, que é de uma espontanêidade notavel. Quero dizer que, independente dessa historia de Ano do BR na FR, os franceses descobriram o nosso Brasil varonil.
O principal enfeite das vitrines das lojas é a bandeira tupiniquin, as gurias desfilam com blusinhas e vestidos verde-amarelos, ou com um I love Brazil bem grande nos peitões. E nao adianta puxar papo em português, se esta usando roupas do Brasil, naturalmente é uma francesa.
As havaianas, como todos ja ouviram falar, é vendida a 30 euros o par, com a indefectivel bandeirinha do Brasil, claro. Nos campos de varzea, a camisa mais usada é, obviamente, a do Brasil. Caipirinha também tem presença certa na terra do vinho.
O cumulo pra mim foi, em duas das poucas oportunidades que ouvi radio, pegar o assunto Brasil na conversa. Na primeira, Jôrge Amadô, tupi or not tupi e Macunaima. Na segunda, Chicô Buarque, com a sua influencia na musica brésilienne, e de lambuja tocaram Essa garrrôta ta diferrrente.
Para completar, a revista da prefeitura desse mês traz como assunto de capa o quê? Isso mesmo, um "viva o Brasil" em letras garrafais, com alguma associação com o 14 de Julho (?). Claro que o Brasil dos franceses é muito mais bonito que o Brasil dos brasileiros, o paraiso onde as prais são lindas, as mulheres são lindas, a festa é o estilo de vida. Eu ja destrui os sonhos de algumas pessoas com declarações, verdadeiras claro, do "estilo de vida" do pessoal aê.
Enfim, o patriotismo é mais forte do que nunca para mim, num pais de sonho onde nasci. Pena que não é de verdade.
Para completar, estou me mudando, e amanha me instalo em Londres (vou esperar o Cazemiro se recuperar do infarte que esta sofrendo ao ler isto), para uma longa temporada. talvez os posts não sejam tão frequentes, nao por falta de assunto, mas por falta de dinheiro. Talvez recebam noticias minhas pela TV, caso um brasileiro for pego dirigindo bebado na mão contraria, e usando a desculpa de que tirou a carteira no Brasil. Aquele abraço. Can't buy me love, love, can't buy me love....

25 de junho de 2005


RAGE AGAINST YOU!


Tenho raiva. Não sei porque, mas sinto que algo em mim está contra você. Em breve saberás que não seremos mais os mesmos, não sentaremos juntos no banco da praça no domingo nem dividiremos o sorvete. Amanha estarei arrependido e tudo voltará ao normal.
Mas hoje sinto raiva.

22 de junho de 2005

Fête de la musique

O primeiro dia do verão europeu, 21 de junho, foi saudado com a famosa Festa da Musica, a qual tive o prazer de prestigiar. A Fête de la Musique trata-se de uma grande festa popular, que consiste em musica, musica e musica. Era isso que eu tinha pra falar, obrigado. Brincadeira, vamos la:

Como disse, é uma festa popular, lembrando em alguns aspectos o carnaval brasileiro, mas na minha opinião, com muitos fatores a favor. Começamos pela musica.
Não existe nenhum palco principal. As bandas se distribuem pelas ruas, esquinas e praças, no chao mesmo, ao alcance do publico. Estilos variados. Eu acompanhei com maior interesse um pessoal que tocou U2, uma bandinha de Jazz sensacional, uns ?beatles cover?, de qualidade duvidosa, e por curiosidade, ums figuras que tocavam musicas da Escocia, eu acho. Porém tinha para todos os gostos, era so procurar.

Quanto ao publico, o que os numeros impressionam: estimou-se um milhão de pessoas, de todas as idades (eu assisti o jazz ao lado de um casal que tinha facil seus 70 anos, e dançavam sem parar), e diferentemente do nosso conhecido carnaval, sem brigas muito menos assaltos. As senhoras andavam carregadas de joias, na madrugada, enquanto o pessoal curtia as musicas. Senti vergonha do nosso ?povo acolhedor?.

Os pontos negativos foram o horario de encerramento (ultimo metro 01 da manha, o pessoal trabalha no outro dia), e no meu caso especifico, a falta de abertura aos relacionamentos pelas francesas (me deem o desconto de que fui educado com 21 anos de carnaval/putaria brasilis). O preço das bebidas alcoolicas também estava alarmante.
Enfim, fica a dica: não morram antes de presenciar uma Fête de la Musique, seja qual for a cidade, visto que ocorre por toda a França. Experiência aprovadissima. Abraço.

20 de junho de 2005

UM dos três porquinhos.

17 de junho de 2005

Dos Mitos

Paises distantes são presa facil para folclores, principalmente se pejorativos. Quando a lingua local requer fazer biquinho, entao, nem se fala. Em quase um mês de França, posso relatar, como testemunha ocular, o que existe de realidade em lendas comuns no BR, sobre franceses. Vamos la:

01 - Do banho: Sim, francesas (e franceses também) tomam banho todo o dia. O chuveirnho, é, va la, de segurar na mao, mas ainda assim os habitos de higiene são preservados. O unico revés é na hora de escovar os dentes, depois do almoço. Pra eles, uma vez por dia, antes de dormir, basta.

02 - Do movimento homossexual: existe no imaginario popular a figura do francês viado, provavelmente por causa do biquinho, referido acima. O que pude constar é que são extremamete raras quaisquer manifestações gays, so nao sei se por falta de quorum ou por recato mesmo.

03 - Da arrogancia: balela. São em grande maioria simpaticos e solicitos, contanto que respeitados os seus limites de privacidade.

04 - Das calcinhas das francesas: acreditem: a maioria das gurias usa a popular "fio dental". Mais nada a declarar.

05 - Da aversão ao English: mito. Todos, eu disse todos, falam inglês, se nao fluente, inteligivel. E nao existe nenhuma ressalva nem vergonha ao utiliza-lo. Desde o gerente do banco até a guria do caixa do mercado, não tem erro.

06 - Do anti-americanismo: o unico sentimento real e sincero que eu pude constatar sobre os USA é de profunda admiração, acreditem. Logico que, como no Brasil, existe a bandeira do "Fora Bush", que aqui também é forte.

07 - Dos entorpecentes: os licitos, caros. Ilicitos, nao sei os valores. Mas tenho ouvido falar bastante em lsd e extase, o resto acho que nao impressiona mais ninguem, e nao é muito utilizado. Ah, a maconha dos arabes é famosa, bem como o haxixe.

Bom, era isso, não me ocorre mais nada no momento. Até mais.

Bonus Track: do dicionario de frases feitas, para franceses no BR: Ato de dispensar os serviços de alguém: Despache-se! (dépêchez-vous!)

15 de junho de 2005

Apresentação


Hola que tal? Apresentações se fazem necessarias? Bom, vamos la: quem vos fala é o Keanu, o correspondente do Catraca no velho mundo, direto (momentaneamente) do norte da França. De leitor ha integrante existe um grande caminho, e é vazio, de idéias, principalmente. Vou percorrer o rastro das curiosidades, constantes neste abismo que separa o primeiro e o terceiro mundo. Aceito sugestões. Agradeço a oportunidade de escrever neste zine cada vez mais cosmopolita, espero contribuir. Ja disse que aceito sugestões? Ja. Pois bem, ao trabalho!

14 de junho de 2005

dumpa pa pa pa...... pa pa pa pa pa

erros erros na transmissão da mensagem... dzi dzi

mantenho-me longe por mais algumas semanas.. zzzzzzuuuu

mas a está na hora de pintar a casa novamente, lembrem-se disso lOreto e Sr. Nada..

pois vocês também tem este poder... dzi dzi dzi tttttttchuuu

.... tuuuu tuuu tuu

9 de junho de 2005


"Nós somos os Borg. Baixem seus escudos e rendam suas naves. Nós adicionaremos suas distinções biológicas e tecnológicas à nossa. Sua cultura será adaptada para servir-nos. Resistir é inútil."

16 de maio de 2005

Isto eh Brasil

Sexta-feira saio do trabalho e vou pegar minha conducao para casa, como faco todos os dias desde que cheguei aqui. O cobrador desce da van e, a plenos pulmoes, anuncia o itinerario do veiculo. Eh, aqui as vans nao tem plaquinhas que indicam seu roteiro. Letreiros eletronicos, pra que???


Entro na van e fico impressionado com a limpeza. Elas costumam ser sujas. No som, o hip hop bombando. E eh o motorista botar o veiculo em movimento que o mais espetacular acontece: uma lampada fluorescente de luz negra se acende. Sabe aquelas que sao roxas, que normalmente tem em boates e que deixam as roupas brancas com um tom lilas? Pois eh, dentro da van.


Pra completar, o cobrador, um rapaz que devia ter seus 16 anos comeca a dancar. Passos de break em um quadrado com 30 centimetros de lado.


A maior parte das pessoas na van nem davam bola para o menino, muito menos para os outros detalhes. Mas eu, por pouco mais de 20 minutos, me senti novamente num daqueles bairros negros de nova iorque. So que desta vez com a visao do congresso nacional ao fundo...


12 de maio de 2005



Nasa acompanha o nascimento de um buraco negro

O nascimento de um buraco negro foi acompanhado pela primeira vez por cientistas da Nasa. O satélite de órbita da Nasa, o Swift, detectou os raios gama da colisão entre duas estrelas de nêutron, um dos fenômenos que gera os buracos negros.



Minutos depois, o Swift direcionou sua luz e seus telescópios de raios-X para a colisão, afirmou Neil Gehreles, um cientista da missão. O satélite gravou os raios-x da colisão, mas a luz da explosão estava muito fraca para ser detectada por um satélite. Mesmo assim, foram enviados alertas para a base na Terra, permitindo que os cientistas vissem as cores após colisão.

Astrônomos desenvolveram a teoria de que o colapso ou a colisão de estrelas sólidas é o que gera os buracos negros e que a energia gravitacional resultante envia raios gama através do tempo e espaço.


Fonte: Terra Ciência

29 de abril de 2005



Pós-punk pela paz
Por Flávio Seixlack

Prepare-se! Tony da Gatorra vem aí. Se você até hoje não ouviu falar nesse nome, essa é sua chance. Tudo começou em 96, quando um baterista gaúcho, chamado Tony, resolveu fazer um instrumento inovador, mas que ao mesmo tempo tivesse características de bateria. Resultado: dois anos mais tarde estava pronta a incrível gatorra, um misto de bateria eletrônica e sintetizador, com o corpo parecido com uma guitarra. Começou então a fazer música, com letras de protesto, rebelando-se principalmente contra as desigualdades do nosso país. Principal articulador da vinda do músico para São Paulo, o vocalista do Blue Afternoon e proprietário da Peligro Discos Guilherme Barrella, define o estilo musical de Tony: ?o som é pós-punk outsider de protesto. Uma mistura de Objeto Amarelo com Wesley Willis?, conta. O disco de Tony, que foi colocado na barraquinha da Peligro, ?esgotou rapidinho?. [...]Falamos com Tony da Gatorra por telefone, pouco antes dele pegar o ônibus pra São Paulo. Confira a entrevista.

Quando foi que você começou a tocar?
Foi em 98. Aconteceu da necessidade de revolta, de ver as pessoas crescerem com fome, apavoradas com o sistema capitalista, meu pai passando necessidade, sendo massacrado por esse país que nos rouba tudo. Então essa foi a inspiração, muita gente não podia dizer nada, então fui dizer e iniciei esse trabalho.

Como ocorreu a construção da gatorra? Você já pensava em fazer algo do tipo ou foi saindo aos poucos?
Quando eu era solteiro eu tocava bateria. Então queria fazer alguma coisa nova, um instrumento diferente que tivesse a ver com a bateria. Como sou eletro-técnico, resolvi começar a construir a gatorra em 96. Só fui terminar em 98, e a gatorra sofreu vários aperfeiçoamentos até virar o que ela é hoje. Quando terminei, comecei a fazer as músicas.

Porque o nome gatorra?
Eu queria um nome que tivesse a ver com guitarra, então fui procurando e criando vários nomes até surgir a gatorra, que se encaixa melhor ao instrumento.

E como funciona a gatorra?É um circuito de percussão sintonizado, que consegue mudar timbres, e que tem outros efeitos de sintetizador também.

Como foram suas aparições em programas de rádio e TV do sul? Como aconteceu o convite?
Quando já tinha as músicas prontas, fui atrás das rádios e programas de TV. Entrei em contato com a Rádio Ipanema FM, que deu uma força muito grande. Foram os maiores apoiadores do sul até hoje. Depois disso, fui convidado pra tocar em diversos lugares e programas, toquei ao vivo numa rede de televisão aqui do sul. Estive presente na TV em todos os feriados, ao vivo. Fui muito bem recebido, o pessoal aqui gosta muito de mim, sou muito popular aqui no sul. Já fiz 10 ou 20 apresentações ao vivo em emissoras de rádio e TV aqui na região. Além disso, tenho dois clipes, um feito por mim mesmo, e o outro produzido e feito pela Bandeirantes. Os clipes sempre passam na programação das TVs aqui da região.

Ouvi dizer que você vai lançar um novo disco. É verdade?
A não ser que regravem algum disco meu, não lançarei um novo com meu dinheiro. Não tenho recursos nem patrocínio. Eu pretendo lançar um disco, mas no momento não posso por causa de dinheiro. Minhas gravações são de baixa qualidade. Meu primeiro disco foi gravado em K7, e depois passamos para CD. O segundo, as quatro músicas foram gravadas ao vivo num estúdio, sem muitos recursos. Sobre meus discos, enviei vários CDs para o Gui, que vendeu todos aí em SP, fico feliz. Mas como sou pobre, o pessoal procura os discos mas não tenho condições de fazer mais.

Você vem pra SP hoje. O que espera conquistar aqui?
Espero que realize tudo o que venho lutando desde 98. A expectativa é muito grande, quero arrumar uma gravadora, e espero que um empresário venha falar comigo. É tudo o que um artista espera. Também espero que as pessoas ouçam meu recado, o que tenho a dizer.

Serão dois shows em SP. Como vão ser essas apresentações?
Meus shows têm o repertório de uma hora, falo pouco, falo sobre as músicas que fiz e o recado delas. Tudo isso praticamente sozinho, não fosse a companhia da minha gatorra.

Como foram os shows do Fórum Social Mundial? Como foi a recepção?
O pessoal é ótimo, participei da 2º, 3º e 5º edições. Fui muito bem recebido também. Participei de uma rádio comunitária, muita gente queria meu disco e eu não tinha, mas distribuí e colei cartazes sobre a paz e a total inclusão social.

Muita gente te liga? O que elas falam?Muita gente liga sim, pedindo pra fazer shows, mas o cachê é sempre pequeno, e como não tenho carro e sou pobre, não posso ficar gastando muito com shows. Se o Gui não me desse essa mão, eu provavelmente acabaria ficando extinto. Mas acho que a ida a SP vai dar uma levantada na minha carreira.

Suas letras são todas de protesto. O que te inspira?
Como falei, aquela ansiedade de dizer algo que muita gente não pode dizer. Eu sempre quis falar e em 98 surgiu essa oportunidade através da música. As portas foram abrindo e hoje digo o que o povo quer dizer, tentando implementar o socialismo no Brasil, um país só de mercenários e exploradores, que roubam todo nosso dinheiro.

O que você acha que é necessário para um mundo melhor, mais pacífico?
Eu acho que é a inclusão e divisão igual pra todos. Ninguém é dono da terra, todos têm o direito de ir onde o alimento está. Então é necessário acontecer a inclusão total, a irmandade, e dividir. Fora isso, nossa sociedade não vai funcionar.

Você acha que o Brasil ainda está muito atrasado?
Sim, muito atrasado. O Brasil está entre piores países do mundo. Isso aqui é uma exploração total, é puro capitalismo, facismo e hipocrisia. As pessoas vivem por baixo das botas de quem invadiu a nossa terra há 500 anos. Somos muito explorados, temos nosso dinheiro roubado, e nossos impostos são sempre desviados para paraísos fiscais.

O que o pessoal de SP pode esperar com esses shows?
Espero que entendam o recado que estou dando, e a partir daí modifiquem, tenham novas idéias, e sintam que estão trabalhando em vão para o capitalismo. Precisamos pensar no progresso, e nos movimentarmos. A força está conosco, temos que tirar a corda do pescoço. Quem manda é quem trabalha, quem manda é quem produz.

Deixe um recado pra quem vai ver os shows em SP.
Espero que todos me aguardem e que eu possa levar minha mensagem de paz e harmonia. Paz pra todo mundo.

Você acha que a violência não é natural, mas o amor sim é natural?
Lógico, o ser humano não foi feito para a violência, a guerra enlouquece. O homem foi feito pra amar e trabalhar, a mão não feita pra agredir, e sim para gerar a paz.

Quais os planos pro futuro?
Meus planos? Gostaria de fazer da música meu trabalho, continuar com esse trabalho que comecei em 98. Sou eletro-técnico, conserto vídeo-cassete e TV, mas gostaria de continuar a tocar e viver de música. Música que fala daquilo que a maioria não pode falar. Sou o porta-voz deste país.

Aqui se pode ouvir algumas musicas do Tony da Gatorra. Destaque para Droga Fatal e A Voz dos Sem Terra.
FANTASTIC!!!!

23 de abril de 2005


Veja agora Brandon Routh como o Superman!


Por Érico Borgo

O uniforme é mais escuro que o atual dos quadrinhos, apesar de ter as linhas clássicas da vestimenta. Ele consegue lembrar ao mesmo tempo os desenhos animados de Max Fleischer da década de 1940, a telessérie estrelada por George Reeves e os filmes de Christopher Reeve! Quando o diretor Bryan Singer disse que não pretendia esquecer o passado do herói não estava brincando!

As mudanças do uniforme atual para este de Superman returns são as seguintes:


  • Logotipo menor e mais alto no peito. Não é pintado, mas em relevo.

  • Logo também aparece no cinto, agora dourado.

  • Bota com mais linhas.

  • Textura uniforme em toda a roupa, como em Homem-Aranha.

  • Cores mais escuras. Vinho no lugar do vermelho, como nas ilustrações antigas de divulgação do cartoon de Fleischer.



Os trabalhos na adaptação para as telas dos quadrinhos da DC Comics estão acontecendo em Sydney, na Austrália, e o elenco inclui Brandon Routh (Clark Kent/Super-Homem), Kate Bosworth (Lois Lane), Kevin Spacey (Lex Luthor), James Marsden (Richard White), Eva Marie Saint (Martha Kent), Parker Posey (Kitty Kowalski), Kal Penn (Stanford), Frank Langella (Perry White) e Sam Huntington (Jimmy Olsen).

As filmagens de Superman Returns seguirão até meados de agosto de 2005 e o filme será lançado pela Warner Bros. Pictures em 30 de junho de 2006.

18 de abril de 2005


Cientistas produzem plasma que originou o universo


A colisão de íons de ouro dentro de um acelerador de partículas reproduziu, por alguns instantes, o plasma de quark e glúons, fluido perfeito no qual o universo nasceu, anunciou uma equipe de cientistas nesta segunda-feira.
Os pesquisadores usaram o acelerador de íons do Laboratório Nacional de Brookhaven (EUA), que possui dois túneis magnéticos que medem 3,86 quilômetros. Dentro deles, o feixe de íons viaja a 99,995% da velocidade da luz, que é de 300 mil quilômetros por segundo.

Segundo Sam Aronson, diretor adjunto de Física Nuclear e de Alta Energia em Brookhaven, dentro dos dois anéis concêntricos construídos com 1.740 geradores de eletricidade supercondutores, foi obtido "um novo estado da matéria".

Durante aproximadamente 0,00000000000000000000001 segundo, houve a colisão frontal de um feixe de pesados núcleos de ouro contra um feixe de dêutons (partículas formadas por um próton e um nêutron).

A colisão reproduziu dentro do túnel "um fenômeno como o que aconteceu no Universo há 13 bilhões de anos, quando os quarks e glúons (bósons com forte interação nuclear) livres esfriaram formando as partículas que agora conhecemos". A colisão gerou temperaturas centenas de milhões de vezes mais altas que as da superfície do Sol.

Aronson e seus colegas apresentaram os resultados dos experimentos hoje, durante um encontro da Sociedade de Física dos Estados Unidos, em Tampa, Flórida.

Os cientistas trabalham com a teoria de uma explosão primária, o Big Bang, que é a principal teoria sobre a origem do Universo. Segundo essa teoria, o Universo nasceu entre 20 e 10 bilhões de anos atrás, numa grande explosão que lançou matéria em todas as direções. Por um instante após essa grande explosão, de acordo com a teoria, toda a matéria ficou na forma líquida, um plasma de glúons e quarks.

Os quark e os glúons são partículas com carga de cor. Da mesma forma que as partículas com carga elétrica interagem trocando fótons, as partículas com carga de cor trocam glúons nas interações fortes.

No início da experiência, os cientistas esperavam que a colisão produzisse uma dispersão de quarks como se fosse um gás. Mas os quarks se comportaram como um fluido perfeito, sem turbulências ou movimentos aleatórios.


Fonte: Terra Ciência

13 de abril de 2005

"EU EMBARALHO, VOCÊ DISTRIBUI E A GENTE DANÇA UMA VALSA!"

BeakMAAAAAAAAAAAAAAAnnnn

12 de abril de 2005


Organização cria manual de segurança para blogs

A Electronic Frontier Foundation (EFF), ONG que defende a liberdade na Internet, divulgou um guia de segurança para quem deseja criar um blog. O manual, intitulado How to Blog Safely (About Work or Anything Else) (Como blogar com segurança - sobre o trabalho ou qualquer outra coisa) dá dicas preciosas para o usuário que não deseja ser identificado nem associado com o conteúdo publicado.

# Veja o guia (em inglês)

A EFF recomenda manter os blogs anônimos, sem menção ao nome real do internauta. De acordo com a organização, isto protege a privacidade e mantém a liberdade de expressão.

O manual também alerta que não devem ser feitas menções à empresa na qual o internauta trabalha. Também não deve colocar nos textos características que possam identificá-lo entre companheiros de escola ou faculdade, familiares ou "qualquer pessoa que seja curiosa o bastante para procurar por seu nome no Google".

O guia da EFF vai mais além: para manter o anonimato, a publicação de fotografias pessoais é vetada. O manual sugere o uso das tecnologias Tor ou Anonymizer, que previnem o rastreamento do endereço IP (Internet Protocol) de quem está postando uma mensagem no blog. O endereço IP permite que o computador de origem seja identificado com exatidão.

Terra

1 de abril de 2005



DEUS, NOVES FORA, ZERO

ROBERT MAGGIORI


Como é difícil ser ateu! O "sem Deus" desaparece se negar a Deus; pior ainda: quando se afirma como tal, é preciso existir aquilo cuja existência ele quer negar!" Em seu "Traité d'Athéologie" [Tratado de Ateologia, ed. Grasset, 282 págs., 18,50 euros -R$ 65], o filósofo Michel Onfray não subestima essa dificuldade.
Mas do obstáculo ele faz um "órgão", um instrumento de convicção que lhe permite afirmar com ainda mais força a necessidade de um "ateísmo de amanhã", tranqüilo e audacioso, capaz de tirar a humanidade da "celebração do nada", da cultura dos fetiches, do ódio à vida nos quais a religião a mantém.

Digamos claramente: é preciso retroceder dois séculos -quando o conhecimento só podia contar com as luzes da razão e em que a história seguia sua marcha na ladeira do progresso- para encontrar um ataque tão terrível contra os dogmas, a ideologia, as práticas, os rituais religiosos, nos quais Onfray espera abrir pelo menos uma brecha.
"Desconstruir os monoteísmos, desmistificar o cristianismo mas também o islamismo, é claro, e depois desmontar a teocracia -eis três canteiros de obras inaugurais para a ateologia. Para, em seguida, trabalhar em uma nova premissa ética e produzir no Ocidente as condições de uma verdadeira moral pós-cristã, em que o corpo deixa de ser uma punição, a terra um vale de lágrimas, a vida uma catástrofe, o prazer um pecado, as mulheres uma maldição, a inteligência uma presunção, a volúpia uma danação."
A filípica de Michel Onfray não visa os homens de fé -mas a fé quando se fecha ou substitui o saber- nem os homens que se ajoelham ou baixam a cabeça -mas "aqueles que os convidam a essa posição humilhante"-, não o crente -mas o pastor. Como é possível que ainda vivamos "em um estado teológico ou religioso da civilização"?
Como é possível que a janela do mundo se abra todos os dias, a toda hora, sobre massas de fiéis que oram, seguem em peregrinação, aclamam pontífices, teocratas que pontificam, decretam, situam aqui o bem e ali o mal, indicam o que se deve pensar, o que se deve comer ou não comer, como vestir-se ou quem se deve matar, em que "o Talmude e a Torá, a Bíblia e o Novo Testamento, o Corão são mais citados do que a Declaração Universal dos Direitos Humanos? Não se havia anunciado a morte de Deus?".

É preciso crer que não. Também devemos tirar disso algumas lições. De um lado, que o ateísmo não ergueu muros suficientemente altos para impedir a difusão daquilo que combateu. De outro, que a religião tem raízes inextirpáveis, na medida em que se prendem à própria condição do homem, confrontado com o absurdo de uma existência que o conduz inexoravelmente à morte.
A partir daí os jogos estão feitos, e os dados são viciados: a cruel realidade cede à doce ilusão, e a ilusão engendra outras ilusões, por cuja preservação estamos dispostos a pagar qualquer preço, a crer em todas as tolices, nos mares que se abrem e nas mães virgens que dão à luz, a fazer todos os sacrifícios, a sofrer, a nos arrependermos para sofrermos ainda mais, a nos colocarmos abaixo de zero, a nos humilharmos...
Poderíamos declarar perdido o combate: o que pode uma ateologia enquanto a hipótese religiosa se infiltrou em tudo, enquanto a religião habita a língua, os costumes e os usos, está presente nos nomes, na estrutura das cidades, na seqüência do calendário, na arte, no direito, na própria maneira como concebemos o corpo, com seus desejos baixos, suas vísceras sombrias, sua coragem no peito, seu nobre pensamento na cabeça, seu espírito e sua alma imputrescíveis?
É possível construir uma sociedade sem Deus, que, dispensando os "valores morais" promovidos há séculos pela religião, de obediência e mortificação, possa estabelecer a justiça, a liberdade e a felicidade para o maior número possível de pessoas -sem "cultura da morte", sem "elogio da submissão", sem "ódio à razão e à inteligência", sem "ódio a todos os livros em nome de um só", sem "ódio à vida, ódio à sexualidade, às mulheres e ao prazer; ódio ao feminino; ódio ao corpo, aos desejos, às pulsões"?
"Quanto mais o homem confere realidade a Deus, menos a conserva em si mesmo", disse Marx. Assim, é preciso esvaziar o real de Deus e examinar o modo como se constrói uma mitologia que, segundo o "Tratado de Ateologia", é portadora da pulsão da morte. Em outros tempos, Onfray teria sido levado à fogueira.


Texto publicado no "Le Monde".
Tradução de Luiz Roberto M. Gonçalves.

Uma nova maneira de transmitir e receber áudio


A produção de programas de rádio e blogs em áudio que podem ser baixados pela Internet e ouvidos em aparelhos de MP3 se tornou uma das novas manias da rede mundial de computadores. Agora, os adeptos do que era apenas uma diversão de amadores querem transformar a atividade em uma forma de ganhar dinheiro.

Adam Curry, ex-VJ da MTV e arauto da mania, é um dos defensores da viabilidade do podcasting como negócio. "Vai matar o modelo de rádio comercial", acredita Curry, cujo Daily Source Code, com programação diária, tem dezenas de milhares de ouvintes. "A nova geração, como a minha filha de 14 anos, não ouve rádio. Eles estão no MSN, têm seu iPod, seu MP3 player, seu Xbox."

Agregador

Curry fazia parte de uma comunidade de pessoas que criaram o iPodder, um pequeno programa de computador conhecido como "agregador". O programa coleciona e manda automaticamente arquivos MP3 para qualquer equipamento de reprodução digital de música que toque formatos WMP.

Quem tem esse equipamento pode escolher um podcast e assinar, gratuitamente, para receber a programação do show. Quando um novo podcast estiver disponível, é enviado automaticamente ao dispositivo quando o computador estiver conectado.

Microsoft

Ian Fogg, analista da Jupiter Research, acredita que existe potencial para negócios. Mas ele acha que isso poderia se concretizar se grandes empresas, como Apple e Microsoft, se interessarem. "É uma área nascente, mas muito animadora. É mais uma área que mostra que a transição para um estilo de vida digital e para uma casa digital ainda não acabou. Podcasting é uma dessas áreas que unem o que você faz em casa com o que você faz em movimento - é um clássico híbrido", explica Fogg.

Dave Winer, que criou o RSS (Really Simple Syndication) - que dá aos internautas uma maneira fácil de se atualizar automaticamente nos sites preferidos -, tem dúvidas sobre a viabilidade comercial do podcasting. Ele acredita que o poder desse sistema está em seu potencial de democratização e não em sua "super" promessa de negócios. "Não importa como você encare o podcasting, a sua comercialização pode não fazer muito dinheiro", diz Winer. "Podcasting será um meio que atingirá nichos de mercado, com audiência medida em unidades, como e-mails e blogs", argumenta.

Comunidades

Curry rebate a avaliação, argumentando que, como é o usuário que escolhe a programação que quer ouvir, a audiência do podcasting permite a criação de campanhas específicas e bem dirigidas ao público-alvo. "Eu acho que a maneira de funcionar seria a criação de uma rede (de podcasters) que, agregada, teria um número (de assinantes) suficiente para garantir o retorno do investimento dos anunciantes e dos podcasters", explica Curry.

Recentemente, Curry "vendeu" o equivalente a US$ 4 mil em máquinas de café por meio de um link em seu site para a Amazon. Outros programas, como The Dawn e Drew Show usam mais merchadising.

Fonte: Terra Informática

Links relacionados:

29 de março de 2005

Prestem atenção nessa reportagem:

Brasil é amigo do software livre, diz NY Times
Fonte: Terra Informática (BBC)

O jornal The New York Times declarou na edição de hoje que o Brasil é o "maior e melhor amigo do software livre". "Desde que tomou posse, dois anos atrás, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva transformou o Brasil em um posto avançado tropical < isso é engraçado > do movimento do software livre", diz o texto.

A reportagem afirma que, depois de incentivar o uso destes programas em órgãos públicos, agora o governo está procurando "levar a campanha a favor do software livre para as massas, e mais uma vez a Microsoft pode ser deixada de lado".

A matéria fala do programa PC Conectado, cujo objetivo é ajudar pessoas de baixa renda a comprar seu primeiro computador. Na Grã-Bretanha, o The Independent publica uma reportagem de duas páginas sobre o caso do assassinato da freira americana Dorothy Stang. < alguém pode me explicar como isso veio para aqui !(??) >

Segundo o texto, a morte da religiosa americana "é um lembrete de que os benefícios das florestas do Brasil sobrepujam a vontade política de preservá-las". < não adianta, eles não conseguem, toda a vez que tentam nos dar crédito, terminam por arranhar outra parte. >

---------------------------------

Eles acabam sempre nos tratando como macacos.

28 de março de 2005



==Phrack Inc.==

Volume One, Issue 7, Phile 3 of 10


=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=
As palavras seguintes foram escritas logo após minha prisão...

\/\A Consciência de um Hacker/\/

by

+++The Mentor+++

Written on January 8, 1986

=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=

Mais um foi preso. Está nos jornais. "Jovem preso em escândalo de crime cibernético", "Hacker preso após alteração de dados em bancos"...
Malditos garotos. São todos iguais.


Mas por acaso você, em sua psicologia tripartida e um tecno-cérebro de 1950, alguma vez sequer olhou além dos olhos de um hacker? Você alguma vez parou para pensar sobre o que o estimula, que forças o moldaram?


Eu sou um hacker, entre em meu mundo...
O meu é um mundo que começa na escola... Sou mais esperto que a maioria das outras crianças, esse besteirol que nos ensinam me entedia...
Malditos garotos com notas baixas. São todos iguais.


Estou no ensino básico ou médio. Escutei os professores explicarem pela décima quinta vez como se reduz uma fração. Eu já entendi isto. "Não Sr. Smith, eu não apresentei o meu trabalho. Eu o fiz na minha cabeça..."
Maldito garoto. Provavelmente copiou isso. São todos iguais.


Fiz uma descoberta hoje. Encontrei um computador. Espera aí, isso é legal. Ele faz exatamente o que eu mando. Se ele faz algo errado, foi porque eu fiz alguma coisa errada. Não porque ele não gosta de mim...
Ou sente-se ameaçado por mim...
Ou acha que eu sou um espertinho...
Ou não gosta de dar aula e nem deveria estar aqui...
Maldito garoto. Tudo que ele faz é jogar. São todos iguais.


E então acontece... uma porta aberta para um mundo... alucinadamente pela linha telefônica como heroína correndo pelas veias de um viciado, um pulso eletrônico é enviado, um refúgio para as incompetências do dia-a-dia é procurado... e um apoio é encontrado.


"É isso aí... eu pertenço a isto..."
Conheço todo mundo aqui... mesmo que jamais tenha me encontrado com eles,
jamais tenha falado com eles, talvez jamais ouça falar deles novamente... Conheço todos vocês.
Maldito garoto. Prendendo a linha do telefone de novo. São todos iguais...


Você aposta todas as suas fichas que somos todos iguais... éramos alimentados com comidinha de bebê na escola quando queríamos um pedaço de carne... os pedacinhos de carne que fizeram já estavam mastigados e não tinham gosto. Fomos dominados por sádicos, ou ignorados por apáticos. Os poucos que tinham algo a ensinar nos viram como desejáveis pupilos, mas estes poucos eram como gotas d'água num deserto.


Este é nosso mundo agora... o mundo do eléctron e do switch, a beleza dos bauds. Fazemos uso de um serviço que já existe sem pagar pois poderia ser barato se não fossem guiados por glutões do lucro e vocês nos chamam de criminoso. Nós exploramos... e nos chamam de criminosos. Corremos atrás do conhecimento... e nos chamam de criminosos. Existimos sem cor de pele, sem nacionalidades, sem religiões... e nos chamam de criminosos. Vocês fazem bombas atômicas, criam guerras, matam, trapaçeam,, mentem para nós e tentam fazer-nos crer que é para nosso próprio bem, ainda assim nós somos os criminosos.


Sim, sou um criminoso. Meu crime é a curiosidade. Meu crime é julgar as pessoas por o que elas dizem e pensam e não por o que se parecem. Meu crime é ser mais esperto que você, algo do qual você nunca poderá me perdoar.


Sou um hacker e este é meu manifesto. Talvez vocês consigam parar este indivíduo, mas não conseguirão parar todos nós... afinal de contas, somos todos iguais.



+++The Mentor+++

_______________________________________________________________________________

21 de março de 2005

A N G E L I



fabuloso!



já vi isto em algum lugar, em homenagem ao papo filmográfico de ontem.

17 de março de 2005

almoShArIfado

14 de março de 2005




Uma energia nem tão limpa

Novos estudos confirmam que hidrelétricas podem emitir mais gases-estufa do que termelétricas

Hidrelétricas foram por muito tempo consideradas uma fonte limpa de energia e, por isso, uma alternativa positiva à queima de combustíveis fósseis. Uma série de estudos que avaliaram a emissão de gases-estufa por essas usinas, no entanto, revela resultados impressionantes que desfazem esse mito. Cálculos realizados pelo ecólogo Philip Fearnside, do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), comparam a emissão de gás carbônico e metano ? principais responsáveis pelo efeito estufa ? por usinas hidrelétricas com o que teria sido emitido pela queima de petróleo para gerar a mesma quantidade de energia.

Os cálculos de Fearnside foram feitos para 1990 ? ano-base para inventários nacionais de emissões de gases de efeito estufa sob a Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudança de Clima (UN-FCCC). Naquele ano, a Represa de Curuá-Una, no Pará, então há 13 anos em funcionamento, emitiu 3,7 vezes mais gases-estufa do que a queima de petróleo produziria. Tucuruí, também no Pará, àquela época em funcionamento há seis anos, liberou cerca de duas vezes mais gás carbônico e metano para a atmosfera; Balbina (AM) e Samuel (RO), com respectivamente três e dois anos de operação, uma quantidade 22,6 e 11,6 vezes superior à queima de combustíveis fósseis.

Os dados chamam ainda mais a atenção quando contrastados com a falsa imagem não poluente dessas usinas ? freqüentemente alardeada por empresas que têm interesse na construção e manutenção de hidrelétricas. A contabilidade da emissão de gases-estufa é feita de maneira equivocada e os relatórios freqüentemente omitem as cifras estratosféricas de gases-estufa liberados por essas usinas.

"Os inventários que controlam a emissão de gás carbônico e metano levam em consideração somente os gases encontrados na superfície dos lagos", explica Fearnside. "Esse percentual, no entanto, corresponde a uma parcela ínfima do total liberado para a atmosfera. Um cálculo preciso exige a avaliação da emissão de gases pelas turbinas e vertedouros e pela decomposição aérea da vegetação inundada pela represa."

Os reservatórios das hidrelétricas alagam extensas áreas florestais e as plantas, submersas anualmente com a subida e descida do nível da água, transformam-se em verdadeiras fontes de metano quando entram em decomposição. No fundo das represas, a quantidade de metano é altíssima. Quando a água das turbinas perde pressão ao vir rapidamente à tona, o gás nela dissolvido é liberado, como as bolhas de uma garrafa de refrigerante recém-aberta ? e esse fenômeno não é levado em consideração pelos cálculos oficiais. O metano e o gás carbônico absorvem os raios infravermelhos que deveriam ser irradiados e impedem sua dissipação, o que resulta no efeito estufa.

Em seu primeiro trabalho sobre esse tema, publicado em 1995 pela revista Environmental Conservation, Fearnside já chamava a atenção para os gases ?clandestinos? liberados pela usina Balbina, mas a emissão das turbinas não entrava na conta. Hoje, a situação é ainda mais alarmante. Diversos outros artigos já publicados do pesquisador também avaliam negativamente as usinas de Curuá-Una, Tucuruí e Samuel (veja: ). O mais recente, que discute a possível construção de duas novas hidrelétricas no Rio Xingu, será divulgado em abril em um livro da Coalizão Rios Vivos.

As hidrelétricas pareciam uma alternativa limpa à geração de energia justamente pela suposta emissão inferior de gases-estufa à atmosfera, em comparação às termelétricas. "Os novos dados devem ser utilizados para calcular a relação custo-benefício da construção de novas usinas", alerta Fearnside.


Bel Levy
Fonte: Ciência Hoje/RJ
14/03/05

11 de março de 2005

Santa Clara clareou oo ouu
e aqui quando chegar vai clarea aaar
Santa Clara clareou oo ouu
e aqui quando chegar vai clarea aaar
os meus camiinhos
os meus camiinhos
Salve Santa Claaara aa
Salve Santa Claaara aa

De manhã bem cedinho com despertar alegre
Do canto dos passarinhos
Boniito como Deus gosta

O sol nasceu para bem do amor
Deixou tão sereno com seus raios solares
Cheeeeio de esplendor

Com toooda a beleza
Celestialllll
Em homenagem a Santa Claaara
ô ô ô ô
Santa Claaara
ô ô ô ô
Santa Claaara

10 de março de 2005

me desculpe Sr. Nada, mas não pude evitar, realmente não pude.


Octogenária é presa com uma tonelada de maconha na Bahia

Salvador, 9 mar (EFE).- Uma senhora de 83 anos, acusada de comandar um grupo de narcotraficantes, foi presa nesta quarta-feira em uma fazenda de sua propriedade, na Bahia, onde escondia uma tonelada de maconha, informaram fontes oficiais brasileiras.

Maria Braulina Alves foi detida junto a dois homens, um deles um ex-policial expulso por indisciplina há dois anos, afirmou a polícia.

Segundo a versão oficial, a idosa escondia uma tonelada de maconha em sua fazenda, no município de Senhor do Bonfim, no interior da Bahia.

A droga estava escondida em tanques subterrâneos, nos quais também foram encontradas duas escopetas e munição.

A polícia, que chegou ao local graças a uma denúncia anônima, disse que procurava havia meses pistas do grupo, considerado "um dos mais ativos" do tráfico de drogas no nordeste do país.

UOL

Aihhh minha vozinha!


Da autoria de Taiguara, orquestrada por Edward Mason and Orchestra, "A transa" chama a atenção dos curiosos por causa do título. Fez parte da trilha sonora da novela de 1973 "Rosa dos Ventos" da Rede Tupi de Televisão. Uma outra versão lançada em CD conta com a voz de Taiguara no final por um breve momento declamando: "Vem, transgride a treva fria e vem viver, transmutar, transpor. Vem, meu amor." Tem também uma outra versão em francês.

A capa é linda!
A música pode até não ser tão boa, mas a capa, a capa é fantástica!

Fonte: site do Lenimar

Vocês não conhecem o Lenimar? Como não!?
Lenimar nasceu em janeiro/1962 em Patu, uma pequena cidade fundada em 7/7/1777 no alto sertão do Rio Grande do Norte. Ele gosta da aplicação dos quatérnios à Computação Gráfica, interseção de superfícies, programação de computadores e tem um gosto sonoro muito interessante. Tem quatro filhos - Diana (Guizinha), Euler (Olezinho), Marina (Ratinha de Tico e Teco) e Débora (Esquilinha de Tico e Teco) - e uma esposa que se chama Luíza.

9 de março de 2005

... ciranda cirandinha vamos todos cirandar
vamos dar a meia volta, volta e meia vamos dar
O anel que tu me destes era vidro e se quebrou
o amor que tu me tinhas era pouco e se acabou ...

4 de março de 2005

pol turgeon

2 de março de 2005



Existe um suprimento de combustível que não tem custos, é ilimitado e não gera qualquer poluição quando usado. Há, porém, um pequeno problema. Quando você tenta usá-lo, talvez exploda parte do universo acidentalmente.


Estará acabado antes que qualquer um possa dizer "ops, desculpe". Em um laboratório em algum lugar, alguém tenta entender e controlar este tipo de energia completamente nova e exótica.

Mas, o experimento sai de controle. De repente, uma grande explosão. E então nada -- nosso planeta, o sol, todos os planetas do sistema solar e até mesmo algumas estrelas das redondezas viraram pó estelar.

E explicar o que ocorreu de errado não é tão simples. Estamos falando de física quântica aqui: a física das pequenas partículas que desaparecem e que compõem toda a matéria do universo.

Em física quântica, tudo é completamente diferente de nossa vida cotidiana. Partículas quânticas podem estar em dois lugares ao mesmo tempo, e podem comportar-se como ondas e como partículas. Na verdade, quando você ouve um físico quântico falar sobre 'partículas', não pense em pequenas bolinhas. 'Partículas' quânticas são melhor comparadas com tons musicais: elas estão definitivamente lá, mas você não pode vê-las ou pegá-las.

Uma das propriedades mais confusas
das partículas quânticas é que elas passam a existir a partir do nada. Sugue todas as moléculas de ar de uma garrafa, produzindo um vácuo completo -- e as partículas quânticas ainda estarão lá. Elas surgem em pares do nada. Em uma minúscula fração de segundos elas surgem juntas e --- zupt! --- já foram.

Precisamente este 'vácuo quântico' único que talvez um dia abra as portas para uma novíssima fonte de energia. Suponha que você pode pegar algumas destas 'partículas-que-surgem-do-nada'. Claro que será preciso ser muito rápido. Mas se você
conseguir, terá colhido partículas 'do nada'. E, já que matéria e energia são basicamente a mesma coisa (de acordo com a célebre fórmula de Einstein: E=mc²), terá energia surgida do nada! As vantagens são inimagináveis. Aí está uma fonte de energia que nunca acaba, está em todo lugar, é extremamente barata e não causa poluição alguma.

Mas, de novo, há um pequeno mas alarmante risco.
Talvez haja energia demais. Escavar o vácuo quântico talvez gere uma reação em cadeia que não pode ser parada, liberando uma crescente quantidade de energia. Na verdade, ninguém sabe quanta energia será liberada: cálculos feitos por físicos geram resultados que se situam em qualquer lugar entre o zero e o infinito.

Obviamente, energia demais significaria problemas. A explosão poderia ser grande o suficiente para acabar com nosso sistema solar inteiro e tudo em volta dele. E é claro, energia infinita significaria destruição infinita, acabando não apenas com algumas estrelas, mas com tudo no universo inteiro.

Felizmente, nenhum cientista dos dias atuais é capaz de escavar o vácuo quântico. Por outro lado: um dia, conseguirão. E este dia talvez chegue antes do que você pensa: alguns estimam que por volta de 2020 a ciência estará pronta para tal. Esperemos que até lá os físicos tenham tornado seus cálculos mais precisos.

Então é esperar pra ver.
E falando em ver: como o famoso escritor de ficção científica, Arthur C. Clarke certa vez disse, quando você ver uma estranha e inexplicada explosão de energia vinda dos confins do cosmos (e existem várias), talvez seja uma civilização alien, explodindo-se enquanto faziam experiências com o vácuo quântico...


Fonte: Exit Mundi
Tradução: Adan Nada