31 de outubro de 2003

A foto do dia do National Geographic, excelentes fotos e para completar, pode ser feito download como papel de parede.


O homem é o câncer da natureza. Muito Millor Fernandes, ácido e verdadeiro.

30 de outubro de 2003

"Defenestração"

"Certas palavras têm o significado errado. Falácia, por exemplo, devia ser o nome de alguma coisa vagamente vegetal. As pessoas deveriam
criar falácias em todas as suas variedades. A Falácia Amazônica. A misteriosa Falácia Negra.

Hermeuta deveria ser o membro de uma seita de andarilhos herméticos. Onde eles chegassem, tudo se complicaria.
- Os hermeutas estão chegando! "

"[..]Plúmbeo devia ser o barulho que um corpo faz ao cair na água.
Mas nenhuma palavra me fascinava tanto quanto defenestração. A princípio foi o fascínio da ignorância. Eu não sabia o seu significado, nunca me lembrava de procurar no dicionário e imaginava coisas. Tinha até um certo tom lúbrico. Galanteadores de calçada deviam sussurrar no ouvido das mulheres:
-Defenestras?
A resposta seria um tapa na cara. mas algumas... Ah, algumas defenestravam."

"[..] Devo até tê-la usado uma ou outra vez, como em:
- Aquele é um defenestrado.
Dando a entender que era uma pessoa, assim, como dizer? Defenestrada. Mesmo errada, era a palavra exata.

Um dia, finalmente procurei no dicionário. E aí está o Aurelião que não me deixa mentir. "Defenestração" vem do francês "defenestration".
Substantivo feminino. Ato de atirar alguém ou algo pela janela. Ato de atirar alguém ou algo pela janela! "


(Trecho Retirado da Crônica Defenestração de Luís Fernando Veríssimo - Comédias para se ler na escola)



Defenestrar deveria ser uma prática cotidiana, não acham? Para aqueles dias em que uma cara amarrada e um suspiro não resolvem o problema.
Sapatos, panelas (seriam as minhas preferidas), copos, pratos, roupas. Tudo, tudo para fora.
Uma bela tarde de sol e uma chuva de talheres, talvez fosse mesmo perigoso para quem estivesse embaixo, mas daí nos protegeríamos com sombrinhas da época gregoriana (se é que elas existem).
"Amigos e chopinhos..."
(Frank Jorge)

- cadê aquela vontade que tu tinha de sair pelo mundo?!
- vá a merda antes que eu me esqueça
- cadê aquele monte de idéia que no tempo do colégio tu sempre tinha na cabeça?!
- vá a merda...
- cadê aquela tua namorada que era o objeto de desejo de toda a turma?!
- já te disse vá a merda antes que eu me esqueça, hoje?!
- cadê aquele teu corpo de nadador olímpico de quinze anos atrás?!
- merda de merda, por favor, vá a merda
- cadê aquele mês em que faturaste uma boa grana num investimento bancário de renda fixa?!
- puta que pariu..., vá a merda, amigo...
- cadê o teu telefone mesmo aqui na minha agenda eletrônica, pra um dia desses eu te ligar e a gente tomar mais um chopinho?!

29 de outubro de 2003

Nuggets - traduzindo, pepitas -, talvez a compilação mais importante da história do rock. O disco não só apresentou ao mundo de forma digna e moderna (afinal, era um álbum) bandas como 13th Floor Elevators, Chocolate Watch Band, The Seeds, Barbarians e Leaves, como serviu de trilha sonora pra vários festinhas em garagens inglesas e em casas de show americanas como o CBGB?s e o Max?s Kansas City. Isso mesmo, o punk cresceu ouvindo Nuggets.

A coletânea, que originalmente tinha 27 faixas, é só o primeiro disco da caixa Nuggets - Original Artyfacts from the First Psychedelic Era - 1965-1968 (Rhino, importado). A coleção pega o espírito da coletânea original e o extende para impressionantes 118 (!!) faixas, saindo com uma compilação tão divertida - só que mais longa - que o disco de 1972. São mais de quatro horas com pelo menos uma centena de bandas desfilando hits tão curtos quanto mágicos. Misturando referências das mais diferentes, todas as bandas conspiram em prol da energia primária do rock, resultando numa festa perfeita, em qualquer época.

Pela quantidade de bandas, é um tanto em vão tentar discorrer sobre cada uma delas. Mesmo porque são histórias curtas. Algumas exceções são encontradas com os Sonics (cujo legado se extende até hoje), os Beau Brummels, o Blues Project (com Al Kooper), os Turtles (que mais tarde tocaram com Zappa), os Amboy Dukes (com Ted Nugent), Kingsmen (com a versão definitiva de Louie Louie), entre outras. Existem outras dezenas, sem tanta importância histórica e com uma história parecida com a das outras, mas com o mesmo gás. Mas os Barbarians merecem uma atenção à parte. Eram uma banda como as outras - a única diferença é que o baterista Monty não tinha mão e usava um gancho pra segurar uma das baquetas. O dono da gravadora deles incentivou a fazer uma música falando disso. Eles gravaram Monty, cantada pelo próprio, um hino à perseverança e na fé nos próprios sonhos, em que o baterista conta como perdeu sua mão e que se apegou no sonho para continuar firme, culminando com o potente refrão de "NÃO DESISTA!".

As músicas que estão nesta excelente compilação encontraram a fama mais tarde pelas vozes de artistas que um dia sonharam o mesmo sonho das bandas aqui presentes. Psychotic Reaction, do Count Five, ficou mais conhecida na versão dos Cramps, Mr. Pharmacist, do Other Half, é idêntica à versão que o Fall gravou anos mais tarde, Hey Joe foi regravada ainda na época por Jimi Hendrix e os Ramones tocaram The Shape of the Things to Come, de Max Frost & The Troopers, e Journey to the Center of Your Mind, dos Amboy Dukes, em seu disco de covers, Acid Eaters.

Fonte : 1999 mais do que música

A arte do fundo do blog, foi feita pelo nosso admirável Cazemiro Moon com a ilustração original do box Nuggets. Taí a insPIRAÇÃO do mês!


EM CARNE E OSSO

Então você
Pensou
Que talvez gostasse
De ir ao show
Para sentir a calorosa emoção da confusão
Aquela aura luminosa de cadete espacial
Tenho más notícias para você, luz do sol
Pink não está bem, ele ficou lá no hotel
E eles nos mandaram para cá como banda substituta
Vamos descobrir onde vocês, fãs
Realmente se encontram
Há alguma bicha no teatro esta noite?
Ponha-os contra a parede, pegue-os!
Aquele ali parece judeu,
E aquele é preto
Quem deixou essa ralé entrar no auditório?
Tem um fumando um baseado
E um outro com marcas de picadas
Se fosse à minha maneira
Mandaria todos serem fuzilados

28 de outubro de 2003

“Propaganda é o uso planejado de qualquer informação, idéias, doutrinas, medidas especiais e formas de comunicação para influenciar as mentes, opiniões, emoções, atitudes ou comportamento de um grupo determinado para um propósito específico.”(Escola Especial De Guerra Do Exército Dos Estados Unidos – Fort Bragg – Carolina Do Norte)

“Propaganda é a manipulação planejada da comunicação, visando, pela persuasão, promover comportamentos em benefício do anunciante que a utiliza.” (Rafael Sampaio)

“Propaganda é um processo de manipulação planejada da comunicação, no sentido de influenciar grupos sociais pela persuasão , com vistas a obter comportamentos predeterminados, que resultem em benefício ao seu patrocinador.”
(Lucio Sergio Porto Oliveira)



CARRASCOS!!!!




27 de outubro de 2003

Registro

Alguém aí entende de amor? (não consigo falar essa palavra sem que me soe piegas, mas fazer o que, as vezes é preciso)
Ou conhece bem a saudade?
Não saudade boa, tipo de viagem, mas saudade de um tempo que passou, aliás eu gosto dessa conjugação de palavras: Tempo que Passou - voltando ao assunto, sabe aquelas coisas boas que a gente vive, mas que são temporalmente impossíveis de viver novamente. Algumas até podem ser revividas, mas acho que jamais da mesma maneira, seria "forçar" demais.
Mesmo assim sinto falta delas e sinto também que a cada dia, um pouco de minha vida se esvai com as lembranças, e eu diria, que o amor também (seja lá o que for isso).

é com muito orgulho que faço meu primeiro post neste tão digno blog....pena que no momento eu não tenha nenhuma coisa legal para escrever... mas idéias surgirão e oportunidades para redigi-las não faltarão... abraço a todos
"Era uma casa muito engraçada
não tinha teto
não tinha nada
ninguém podia entrar nela não
porque a casa não tinha chão
ninguém podia dormir na rede
porque na casa não tinha parede
ninguém podia fazer pipi
porque penico não tinha ali

Mas era feita com muito esmero
Na rua dos bobos, número zero "

...



Não faça isso menino.
Não se deve cantar.
É feio.

Jamey Stillings


Bom, muito bom.
   Talvez tenhamos mais pistas nessa semana.
 Segunda é sempre um dia de surpresas.

24 de outubro de 2003

O Sonho do nosso silêncio
Uma valsa sem saída
Em que o amor é desejo e constância
Do divino lugar onde o bem da existência é ser eternidade.
Do silêncio dos olhares e da música de Egberto Gismonti
Aos poucos tuas mãos entrelaçam meu corpo a tudo sentir
Vejo a cama e meu amor
Sonhando estou?
A pele desperta, treme.

Como eu te queria assim!
Queimando espaços
No vazio do nosso tudo
Indo de contra-aviso.

(Camille Claudel)


Bonito né, essa menina escreve bem pra caralho!
É delicado sem ser piegas, forte e envolvente.
Bem legal.

23 de outubro de 2003



a única cura para o barato eh a pomada removedora bucal de barato instântaneo

mas cuide-de
no caminho você pode achar o intrépido viajante...issso pode ser um barato mas tb pode ser perigoso


(Cabelo em busca da vaca púrpura)




















..............
humm...
alívio...
brisa...
cabelos voando ...
calma.
o ar ainda parece rarefeito...
no cume...
foi quase...
cheguei lá...
mas já estou descendo...















porém...
pelas encostas...
desta vez.
"O homem é a mais elevada das criaturas.
A mulher é o mais sublime dos ideais.
Deus fez para o homem um trono;
Para a mulher um altar.

O trono exalta; o altar santifica.
O homem é o cérebro; a mulher o coração, o amor.
A luz fecunda; o amor ressuscita.
O homem é o gênio; a mulher o anjo.

O gênio é imensurável; o anjo indefinível.
A aspiração do homem é a suprema glória;
A aspiração da mulher, a virtude extrema.
A glória traduz grandeza; a virtude traduz divindade.

O homem tem a supremacia; a mulher a preferência.
A supremacia representa força.
A preferência representa o direito.
O homem é forte pela razão; a mulher invencível pelas lágrimas.

A razão convence; a lágrima comove.
O homem é capaz de todos os heroísmos;
A mulher de todos os martírios.
O heroísmo enobrece; os martírios sublima.

O homem é o código; a mulher o evangelho.
O código corrige; o evangelho aperfeiçoa.
O homem é o templo; a mulher, um sacrário.
Ante o templo, nos descobrimos;

Ante o sacrário ajoelhamo-nos.
O homem pensa; a mulher sonha.
Pensar é ter cérebro;
Sonhar é ter na fronte uma auréola.

O homem é um oceano; a mulher um lago.
O oceano tem a pérola que embeleza;
O lago tem a poesia que deslumbra.
O homem é a águia que voa; a mulher o rouxinol que canta.

Voar é dominar o espaço; cantar é conquistar a alma.
O homem tem um fanal; a consciência;
A mulher tem uma estrela: a esperança.
O fanal guia, a esperança salva.

Enfim...
O homem está colocado onde termina a terra;
A mulher onde começa o céu...

(Vitor Hugo)


22 de outubro de 2003



PAIXÃO DE MORTE


Olá, meus amigos.
O poetinha transborda de felicidade
e deseja a todos, com humildade,
muita amizade, amor e vitalidade.

Hoje quero contar uma estória
que vai dar o que falar.
De tão incrível que ela é,
fica até difícil de acreditar.

Vi a morte ajoelhada chorando.
No seu semblante, um rictus de dor;
no seu peito, uma chama ardendo;
nos seus lábios, a palavra amor.

Curioso, indaguei-lhe qual era o tormento
que lhe infligia tanto sofrimento.
Ela respondeu-me, com sua voz sinistra,
que mais lembrava um lamento:

Estava amando e não era correspondida.
Perguntei-lhe o nome do seu amor.
E ela respondeu com a sua dor
que ele se chamava "vida".

Quase gritei ao ouvir tal coisa.
Era inacreditável!
A morte querendo ardentemente
que a vida fosse a sua noiva.

Compreendi num instante
como o sonho da morte era distante.
Pois, para com a vida se casar,
teria a morte que reencarnar.

Bastante constrangido, disse-lhe comovido:
"Morte! Raciocina menina.
Se fosse possível você reencarnar,
quem é que iria conseguir lhe matar?

Seja coerente e analise a situação.
Jamais poderá reencarnar,
pois você é a morte, não pode morrer,
somente matar.

Sem a sua ação
a própria vida não funcionaria,
a evolução não prosseguiria
e iria imperar a confusão.

Os encarnados iriam se dar mal
se você não existisse como instrumento
para transportá-los na hora fatal
em direção ao plano espiritual.

Você é o bisturi que a natureza usa
para transmutar essa humanidade confusa.
Não fique sentida por não poder realizar esse amor.
Lembre-se, que sem o seu trabalho, a própria natureza gemeria de dor."

Ia continuar o meu discurso, mas fui interrompido bruscamente,
pois ela se levantou e me disse desdenhosamente:
"Você é só um desencarnado, o que entende de evolução?
Como se atreve, com esses versos, querer me dar um sermão?

Se você já não estivesse morto
iria lhe matar agora mesmo.
Sou muito poderosa
e sei ser bastante impiedosa.

Quem ama não pensa,
como quer que eu raciocine?
Se és um poeta de consciência,
não abuse da minha paciência.

Para esquecer o meu sentimento
irei para os confins do universo
espalharei como vingança
o meu trabalho ao reverso.

Não vou matar mais ninguém.
Renuncio ao meu posto,
pois do meu amor pela vida
só tive desgosto."

A morte, então, alçou vôo
e cingiu o espaço.
Porém, um raio de luz
interceptou o seu passo.

À distância, em pleno espaço,
eu observava embevecido
a morte paralisada pelo feixe luminoso
emanado por algum ser bondoso.

Instantes depois,
a morte se curvava humilhada por aquela força superior
que inundava todo o seu ser
vasculhando o seu interior.

No meio de toda aquela luz que envolvia a morte,
uma materialização ocorreu e um ser luminoso apareceu.
Aquela criatura maravilhosa, que parecia não ter idade,
inundou o peito da morte com uma onda de fraternidade.

Diante de tanta bondade
a morte se acalmou
e aquele ser resplandecente
então lhe falou:

"Talvez os homens sejam ignorantes
e não mereçam compaixão.
Mas, algum dia,
eles ainda irão aprender bem a lição.

Quando esse dia chegar,
você poderá se aposentar,
pois o seu trabalho estará terminado
e um novo ciclo será iniciado.

Cicatrize a sua ferida emocional
e saiba que o amor real
não exige troca.
Apenas ama e é incondicional."

A morte, então, se despediu
e partiu de volta ao seu labor.
Sem querer, acabei pensando:
lá vai ela matar com muito amor.

Olhei para o espaço infinito e perguntei a mim mesmo:
O que seria do homem se não mais existisse a morte?
Seria tão enfadonho viver, viver e viver...
Que daria uma louca vontade de morrer.

E se também não existisse mais a reencarnação?
Seria tão enfadonho para nós desencarnados
viver, viver e viver...
Que daria uma louca vontade de renascer.

- Cia do Amor - (A Turma dos Poetas em Flor)

O poder da música faz bem à sua saúde
"A música pode ser usada contra o estresse, na gestação e até na odontologia.A modalidade pode ser usada individualmente, em família, em grupo ou em trabalhos de comunidade. .."

Fonte : Terra

Grande novidade, tiveram que fazer uma tese para descobrir isso.
Tssss atrasados.
Em grupos ou individualmente, huummm minha saúde deve estar um espetáculo então!



Primeiro, leiam o nome desse cigarro.
Interessante não? Tufuma
_ Me vê um Tufuma por favor.
_ Um Tufuma aí..
_ Tem Tufuma?
_ Tu fuma?

Fantástico, fantástico!

E agora para os fumantes de plantão -> Cigarros, amigos & cia. Site dedicado aos colecionadores de embalagem de cigarros... muitas embalagens..

21 de outubro de 2003

Alex e os cogumelos
De quantos mundos é feito um universo?
Porque esse mundo não está neste dito universo.
Será pelas cores que ninguém pode ver, a não ser o Cobrador?
Ou pelos ramos que saem da terra e entram, e assim de maneiras sucessivas tecendo esse teto onde eu piso...
Chiiiiiii.... para de pensar tão alto, eu estou te escutando pensar!
Pare você de me atormentar, não vês que estou ouvindo os cogumelos crescerem?

















20 de outubro de 2003

Hair (O Pasquim)

O cantor Chico Buarque sempre foi um jovem moderado. Nos tempos de estudante não pixava o muro. Quando muito fazia pipi no muro. Suas primeiras canções de protesto eram acolhidas complacentemente nos salões. E seus cabelos eram curtos, o que lhe valia a consideração dos homens de bem. Recentemente, estando na Itália sem fazer nada, o cantor Chico Buarque deixou crescer todos os pelos para ver que bicho que dava. No começo só dava coceira na barba. Aos poucos foi dando um bode ou outro. O jornaleiro que parou de dizer buongiorno, o fruteiro que passou a atendê-lo por último e o bar-man que deixou de apreciar o futebol brasileiro. No restaurante escondiam Chico Buarque atrás da coluna e o jantar chegava sempre frio. Sua nota de mil liras era examinada contra a luz.


Aí já era culpa do cabelo que crescia exageradamente em todas as direções, contrariando a ordem estabelecida. Quando Nixon visitou Roma um amigo de Chico advertiu: ''Se você sai na rua com esse cabelo os homens te pegam firme." Diante disso o nosso moderado artista plantou-se em casa à espera de algum contrato de trabalho. O trabalho agora tornava-se mais difícil porque, segundo o empresário, Chico Buarque já não pertencia ao catálogo de cantores de cabelo curto e, por outro lado, não sabia tocar guitarra elétrica. Restava voltar ao Brasil, mas com que cabelo? Cortar ou não cortar, a questão assumia proporções dramáticas. Algo como: fazer o programa do Chacrinha ou o do Flávio Cavalcanti?
Mirando-se no espelho, repetia o cantor: corte-o ou deixe-o. Os cabelos curtos são aconselháveis à saúde nos climas tórridos e mesmo temperados. Mas os cabeludos são mais simpáticos que os não. Corte-o ou deixe-o? Enfim, Chico Buarque optou por uma solução moderada: cabelos curtos mas barba, ainda que rente. Por causa do calor entenda-se. E porque ele não é Leão. E porque é chato ter que explicar tudo uma porção de vezes. Mas a filha de Chico Buarque, coitada, que ainda é pequena e não sabe de nada, ao vê-lo voltar do barbeiro de cabelos comportados, levou um susto horrível, chorou sete noites e sete dias, e nunca mais falou com ele."
Uma glamourosa obra-prima da década de 90, que conta com a excelente mão do diretor Martin Scorsese, atuações magníficas de Robert De Niro, Joe Pesci e Sharon Stone e um roteiro surpreendente.
A trama do filme é excepcional. Um jogo de traição, dinheiro e poder no qual se deve desconfiar de todos, tudo isso para mostrar que ninguém fica no topo para sempre.
Cassino é uma obra-prima indiscutível.

E veja só que interessante:

- A palavra "fuck" é dita 362 vezes ao longo do filme, uma média de 2,05 aparições por minuto.

- Para conseguir uma censura mais branda por parte do órgão emissor das categorias de filmes dos Estados Unidos, o diretor Martin Scorsese retirou algumas cenas consideradas mais violentas, como a em que o personagem de Joe Pesci bate com a cabeça de um homem num vaso até que um de seus olhos saltasse da cabeça.

- O primeiro nome cogitado por Martin Scorsese para o papel de Ginger foi o da cantora Madonna, mas Sharon Stone terminou convencendo-o de que era a melhor candidata para o papel.

- A história de Cassino é baseada na carreira do chefe de cassino Frank "Lefty" Rosenthal, que no filme aparece como o personagem Sam "Ace" Rothstein, interpretado por Robert De Niro.







17 de outubro de 2003

Pura elegância.
Contemporânea.
Chique. (que palavra brega)

Alta
Musa
inspiradora.

O champagne faz seu papel.

















Porra, agora tem até regras pra escrever num BLOG? Vão se foder bando de filhos da puta desocupados. Depois dizem que a vida é difícil, as coisas não andam bem. CLARO! Sempre tem um filho da puta desocupado pronto para criar dificuldades nas coisas mais banais. CARALHO! Se eu quero escrever um pensamento meu num BLOG eu vou escrever do jeito que eu quiser, do jeito que eu tiver pensando. Logo abaixo segue as "Dicas para uma boa redação, para seu blog, emails, e escritas em geral"


ME EXPLIQUEM POR FAVOR POR QUE AS PESSOAS TENDEM A DIFICULTAR AS COISAS.

GOSTAM DE SE DAR MAL, GOSTAM DE UM DESAFIO OU COMO DITO ACIMA DEFINITIVAMENTE NÃO TEM O QUE FAZER


Ah: o link da pagina ( http://www.tudoparablogs.com/ )
lah tem coisas prontas pra quem nao se puxa pra aprende alguma coisa nova tipo javascript, dhtml, css, etc


Dicas para uma boa redação, para seu blog, emails, e escritas em geral:

1. Desnecessário faz-se empregar estilo de escrita demasiadamente rebuscado, conforme deve ser do conhecimento de V. Sa. Outrossim, tal prática advém de esmero excessivo que beira o exibicionismo narcisístico.
2. Evite abrev., etc.
3. Anule aliterações altamente abusivas.
4. "não esqueça das maiúsculas", como já dizia carlos machado, meu professor lá no colégio santa efigênia, em salvador, bahia.
5. Fuja dos lugares-comuns como o diabo foge da cruz.
6. O uso de parênteses (mesmo quando for relevante) é desnecessário.
7. Estrangeirismos estão out, palavras de origem portuguesa estão in.
8. Seja seletivo ao usar palavras de gíria, bicho, mesmo que sejam maneiras. Sacou, mané?
9. Palavras de baixo calão podem transformar seu texto num coco.
10. Nunca generalize: generalizar sempre é um erro.
11. Evite repetir a mesma palavra, pois essa palavra vai ficar repetitiva. A repetição vai fazer com que a palavra seja repetida.
12. Não abuse dos citações como costuma dizer meu pai: "Quem cita os outros não tem idéias próprias".
13. Frases incompletas podem causar.
14. Não seja redundante, não é preciso dizer a mesma coisa de formas diferentes, isto é, basta mencionar cada argumento uma só vez. Em outras palavras, não fique repetindo a mesma idéia.
15. Seja mais ou menos específico.
16. Frases com apenas um palavra? Corta!
17. A voz passiva deve ser evitada.
18. Use a pontuação corretamente o ponto e a vírgula especialmente será que ninguém sabe mais usar o sinal de interrogação
19. Quem precisa de perguntas retóricas?
20. Nunca use siglas desconhecidas, conforme recomenda a A.G.O.P.
21. Exagerar é 100 bilhões de vezes pior do que a moderação.
22. Evite mesóclises. Repita comigo: "mesóclises, evitá-las-ei"
23. Analogias na escrita são tão úteis quanto chifres numa galinha.
24. Não abuse das exclamações! Seu texto fica horrível!!! Sério!
25. Evite frases exageradamente longas, por dificultarem a compreensão da idéia contida nelas, e, concomitantemente, por conterem mais de uma idéia central, o que nem sempre torna o seu conteúdo acessível, forçando, desta forma, o pobre leitor a separá-la em seus componentes diversos, de forma a torná-las compreensíveis, o que não deveria ser, afinal de contas, parte do processo da leitura, hábito que devemos estimular através do uso de frases mais curtas.
26. Cuidado com a orthographia para não estrupar a língua.
27. Seja incisivo e coerente. Ou talvez seja melhor não...
28."Evite estar usando gerundismos, tente estar usando os tempos verbais existentes no português"
"Vidas Cegas" "Ou clavículas" "Dentes guardados" são alguns títulos da editora Livros do Mal de três jovens porto-alegrenses - Galera, Mojo e Pilla. Editora independente, produz literatura comtemporânea de alta qualidade. Recomendo.

Boas histórias, humor e realidade apimentados com muito sarcasmo.

16 de outubro de 2003

Modern Lovers

A banda tem quatro componentes e é liderada por Jonhatan Richman, é um grupo muito bom dos anos 60. É Punk, é rock, mas não é punk rock, um punk divertido, tocado com qualidade, uma sonoridade maravilhosa. Apesar que, cantar eu sou careta, em meio a hippies, em pleno auge da drogadição, é ser punk.
Sei lá como definir esse som e essa banda, procurem mp3´s e tirem suas próprias conclusões, se virem porra!!


Adbusters Media Foundation
Discute a ética de algumas campanhas publicitárias polêmicas, como as da Benetton. Veja também imagens de propagandas com críticas bem-humoradas e leia a revista on line. Aqui

















Visite, é muito divertido, RGB Arte Digital, muita experimentação em Java, Dhtml, Flash, ... vale a pena -> Site

15 de outubro de 2003

Fim de ano.

fim de tudo o mais
fim da paciência
fim da tolerância
fim da vontade
fim da noite
fim de viver
preso neste masmorra.


Grande Laerte, já fez desde produções para os metalúrgicos de S. Bernardo até textos para TV Pirata, Sai de Baixo e Vida ao Vivo.
O cara é muito bom. Confere o site dele.

14 de outubro de 2003

"Aos Treze" leva dramas de adolescentes ao Festival do Rio

" O cheiro de uma realidade nova e urgente, vivida por alguém muito próximo -- sua ex-enteada -- foi o que inspirou a norte-americana Catherine Hardwicke a dirigir seu primeiro filme, "Aos Treze", um soco no estômago do espectador, ao lançá-lo numa infernal ciranda de autodestruição, tráfico de drogas e sexo irresponsável que arrasta um grupo de adolescentes de classe média na faixa dos 13 anos.

Um dos detalhes mais notáveis desse filme, em exibição nesta terça-feira no Festival do Rio, é que as duas protagonistas, Tracy (Evan Rachel Wood) e Evie (Nikki Reed, co-roteirista junto com a diretora) são lindas como modelos, não correspondendo à imagem-chavão das mocinhas drogadas esqueléticas e pálidas inspiradas pela protagonista de "Christiane F.", o filme que na década de 80 abalou a noção de que tudo era cor-de-rosa no planeta teen."

Fonte: Yahoo Notícias

Pais se segurem nas suas cadeiras, afinal vocês terão que encarar de frente a realidade. Não pensem que seus filhos são anjos, porque eles não são... você não imagina o que nós fazemos.
sim, nós vivemos loucamente, perdidos, perigosamente...
Mentira!
Nós apenas vivemos o nosso tempo, da nossa maneira.. mas será bom vocês saberem.

13 de outubro de 2003

Sei que a música não é Olimpiada ou coisa que o valha, mas admito que gosto de listas que enumeram os grandes acontecimentos do rock, melhores artistas, músicas e etc, porém sempre são cometidas injustiças. Aqui as 10 primeiras posições dos grandes momentos do rock, de acordo com a revista Mojo.
Porra!! Essas revistas escrevem muita merda sobre música.
Eu sou supeito para falar, mas onde está o Pink Floyd? Eu mudaria pelo menos uns 4 nesse top ten.
Jonh Lennon? Fora dos Beatles não fez merda nenhuma a não ser ficar pelado em cima de uma cama e comer aquela japonesa nojenta. Se fosse para colocar um Beatle solo, seria George Harrison e depois, talvez o bundão do Paul.
Comprei um livro hoje, escreverei aqui o que consta nas costas do mesmo.

A Desobediência Civil e Outros Escritos
Henry David Thoureau

Influenciado por Rousseaou, Thoreau descobriu a paisagem da nova Inglaterra; influenciado por Emerson, defendeu a tese segundo a qual só no contato com a natureza, longe das forças corruptoras da civilização, o sonho da liberdade norte-americana se realizaria.
O ensaio A Desobediência Civil e Outros Escritos (1849) é um contundente protesto contra abusos de impostos.
O livro é uma espécie de manual de um anarquismo pacífico, contra os poderes constituídos.
A obra exerceu forte influência sobre o conceito de resitência passiva, desenvolvido por Gandhi, e foi um dos principais estandartes do movimento hippie.

'Kill Bill', de Quentin Tarantino, estréia em primeiro lugar na bilheteria americana



Quentin Tarantino e sua estrela Uma Thurman, em seu retorno aos cinemas depois de vários anos, lideraram a lista das maiores bilheterias do fim de semana nos Estado Unidos com o filme "Kill Bill - Parte I". O longa inspirado em samurais arrecadou US$ 22,7 milhões nos três primeiros dias de exibição. O número um da semana passada, "The school of rock", caiu para a segunda posição com US$ 15,4 milhões. A comédia romântica "Intolerable cruelty", com George Clooney e Catherine Zeta-Jones, estreou em terceiro lugar com US$ 13,1 milhões.

"Kill Bill" é apenas a primeira parte da idéia de Tarantino. A Miramax preferiu lançar o filme de Tarantino em várias partes com três horas de duração cada. Harvey Weinstein, chefão da produtora que também esteve presente na pré-estréia, é conhecido na indústria cinematográfica como "Harvey Mãos-de-Tesoura", mas poupou Tarantino de seus cortes. Isso porque o diretor tem carta-branca na produtora.

O filme foi escrito por Tarantino para a atriz. Uma é uma assassina, "A noiva". E no dia do seu casamento, leva um tiro e fica em coma. O mandante do crime é Bill, seu ex-patrão e ex-amante. Quatro anos depois, a Noiva acorda e decide eliminar toda a quadrilha do rival, inclusive o trio formado por Daryl Hannah, Lucy Liu e Vivica Fox. Ainda no elenco está Jason Bings, de "American Pie" e David Carradine, como o chefão Bill, ator que estrelou séries de kung-fu na TV nos anos 70. O papel seria, anteriormente, de Warren Beaty. Mas o próprio Beaty indicou Carradine. Foram 155 dias de filmagens.
Homer Simpson vai visitar os departamentos de criaçao e midia das maiores agências de propaganda e promoçao de Sao Paulo a partir de hoje. Estará com sua inseparavel latinha de cerveja na mao. A lata é, na verdade, material de divulgaçao dos personagens da serie animada. Inclui prospecto e um cd com exemplos de comerciais estrelados pela familia Simpson. Homer vai presentear os diretores de criaçao e midia com uma bolsa termica com latinhas da Duff Beer, sua marca favorita - com cerveja de verdade. A açao é do Fox Media Group, departamento de vendas publicitarias da Fox, Fox News e National Geographic. O objetivo é incentivar a utilizaçao dos personagens em campanhas.

Fonte: Blue Bus





Philip Morris adverte, cigarro light nao é melhor

A Philip Morris, fabricante do Marlboro, estreou este fim de semana na Inglaterra campanha na midia impressa em que admite que os cigarros light nao fazem menos mal saude que os outros. O objetivo do esforço, presente nos principais jornais do país, é melhorar sua imagem diante do crescente numero de açoes judiciais contra a industria do cigarro. Um dos anuncios diz aos consumidores que eles nao devem deduzir que "cigarros com menos alcatrao sao menos prejudiciais ou que fumar este tipo de cigarro vai ajudar você a parar". E explica - "Os niveis de alcatrao e nicotina impressos nas embalagens nao refletem necessariamente a quantidade de alcatrao e nicotina realmente inalada por qualquer fumante porque as pessoas nao fumam como as maquinas utilizadas nos testes". Algumas das peças sao dirigidas aos jovens ou descrevem os esforços da companhia para desencorajar esta parcela dos consumidores a fumar.

Fonte: Blue Bus

Entenderam!
Máquinas NÂO fumam como humanos.
A Nokia inicia campanha que muda o foco de sua comunicação do produto para o consumidor da marca. Com criação da Lew, Lara, a nova ação da multinacional finlandesa, que entra em veiculação no próximo domingo, dia 12 de outubro, usa o non-sense e bom humor.

Em um dos filmes um homem é dominado por sua mão esquerda, por exemplo. Outro personagem, na segunda peça, batizado de Wilson, nasceu andando para trás (foto). O último filme mostra um garoto que se considera invisível. A idéia é focar no dia-a-dia desses personagens inusitados, em que um celular da marca é fundamental, para dar um toque humano à comunicação.

A campanha será veiculada em mídia impressa e eletrônica e é composta por três filmes de 60 segundos intitulados "Wilson", "Mão" e "Invisível", além de sete anúncios que serão veiculados em revistas. A criação é de André Laurentino, Bráulio Kuwabara, Fábio Abram e Marco Versolato, com direção de criação de Jaques Lewkowicz e Marco Versolato.

---------------------------------------------

O resort SuperClubs Breezers, na Costa do Sauípe, inicia campanha na próxima semana. A ação para mídia impressa, criada pela DPZ, apresenta com bom humor as variadas opções de diversão do local e informações para quem deseja se hospedar.

Em uma da peças o título brinca: "Maníaco fazia sexo várias vezes por dia com a própria esposa". E como se fosse uma matéria de jornal o texto apresenta uma mulher que conta como a dieta de praia, sol, caipirinha e vida boa provocou uma transformação no seu marido. O anúncio encerra explicando que a arquiteta não sabe o que fazer com o maníaco, mas "resolveu ficar mais um mês com ele no Breezes enquanto decide".



---------------------------------------------



A VJ Marina Person é cortada ao meio na nova campanha da Fiat Strada, criada pela Leo Burnett. A brincadeira faz alusão ao espaço interno de seus concorrentes na categoria, em que é preciso sacrifícios para não ficar apertado. No filme, um mágico serra a apresentadora pela metade numa apresentação. A peça tem estréia hoje nas redes Globo e Record. A criação é de Felipe Luchi e Marcelo Reis, com direção de criação de Ruy Lindenberg e Bruno Prósperi.


Fonte: MMonline

10 de outubro de 2003

Late Lament
(Graeme Edge)

Breathe deep the gathering gloom,
Watch lights fade from every room.
Bedsitter people look back and lament,
Another day's useless energy spent.
Impassioned lovers wrestle as one,
Lonely man cries for love and has none.
New mother picks up and suckles her son,
Senior citizens wish they were young.
Cold hearted orb that rules the night,
Removes the colours from our sight.
Red is grey and yellow white.
But we decide which is right.
And which is an illusion???.
Propagandas Francesas, da metade do século.


Savignac 1949 - 50 Ansieau

As razões são ao mesmo tempo de uma natureza econômica e estética. Numa mão o mundo arruinado, sofre da falta das matérias, os produtos e os serviços não necessitam de publicidade. O revival do poster será feito sob a influência muscular e tônica de Savignac no começo dos anos 50. Um desenho simplificado, a prioridade concedida à cor, combinada com uma criança boa do humor, são as características principais de seus posteres ainda hoje. O poster torna-se uma liberdade relativa, e as duas décadas que seguem o fim da guerra sairão um número de realizações significativas.
Desocupado?Clique aqui.
Mobilização!!

9 de outubro de 2003

Já que estamos falando de Catraca.


Hoje estava no ônibus indo para casa, de repente o motorista simplesmente parou e aguardou mais ou menos 1 minuto

por uma senhora que, esforaçadamente corria em direção ao veículo. Tudo bem, eu não me importo com isso, concordo,

realmente concordo, acho que foi a coisa certa a se fazer. Porém, quando somos nós, jovens, os motoristas ignoram, finjem

que não nos vêem, ou pior, vêem. E mesmo de lonje, conseguimos perceber o sorrisinho no rosto, como se quisezem testar

a velocidade com que perseguimos o ônibus, observar nossa determinação, até quando correremos atrás dele. Sentem

prazer ao ver nossas caras de desespero, de irritação, de frustração. Fodam-se motoristas de ônibus que fazem isso.















SHOWRNALISMO

A mídia, no mundo contemporâneo, transforma tudo em espetáculo: eleições, catástrofes naturais, guerras, escândalos, histórias do cotidiano, crimes. Em Showrnalismo, José Arbex Júnior mostra como a atividade jornalística foi transformada em mero show, obedecendo hoje às mesmas regras que regem o espetáculo: seduzir e emocionar é mais importante do que informar e analisar. O noticiário, mesmo impresso, deve manter o ritmo do videoclipe: precisa ser rápido, ágil, de fácil entendimento, de preferência ilustrado e em cores, curto, sem exigir esforço de reflexão e disposto de forma esteticamente agradável e sedutora. O importante é causar impacto, prender as atenções, assegurar altos índices de audiência, vender.
A mídia promove, assim, a diluição completa das fronteiras entre os gêneros informativo, de entretenimento e publicitário, e é nessa divisão que reside o grande perigo. Ao tratar a notícia como show e o show como notícia, a mídia atribui-se o poder de manipular as informações, estimular ódios e simpatias, gerar consensos. Ela não se limita a divulgar as notícias: ela também impõe, dentro de certos limites, a maneira pela qual as notícias devem ser lidas e percebidas.
Showrnalismo é o resultado da tese de doutorado que José Arbex Júnior defendeu, em setembro de 2000, no Departamento de História da USP. Mas é, sobretudo, resultado de sua própria experiência como repórter especial, editor de Exterior e correspondente internacional, pela Folha de S. Paulo, em Nova York e Moscou, e das coberturas que fez de alguns dos eventos internacionais mais importantes do século passado, incluindo a queda do Muro de Berlim e a Primavera de Pequim.





Autor: José Arbex Jr.



















O Jornalismo Canalha


O novo livro de José Arbex Jr., parte das matérias "plantadas" na mídia estaduniense pelo governo Bush desde o 11 de setembro, para justificar suas ações repressivas, até chegar à subserviência de veículos e jornalistas brasileiros à ideologia neoliberal. O autor aponta a promiscuidade entre os meios de comunicação e o poder.







Meus pensamento pairam no ar, poluído.
A fumaça
A cachaça
A gordura
A lágrima
A religião
A doença
O alcool
O mofo

O moço que cai, bate a cabeça e morre.
O sangue
O pus
O cérebro
Os ossos
A seringa
Aquela sensação

A banana que penetra delicadamente o seu cú seu filho da puta.
Tudo o que vejo está nítido como um girassol.
Tenho o costume de andar pelas estradas
Olhando para a direita e para a esquerda,
E de vez em quando olhando para trás...
E o que vejo a cada momento
É aquilo que nunca antes eu tinha visto,
E eu sei dar por isso muito bem...
Sei ter o pasmo comigo
Que teria uma creança se, ao nascer,
Reparasse que nascera deveras...
Sinto-me nascido a cada momento
Para a completa novidade do mundo...

Cairo

Maturana diz que "se pudéssemos recuperar para a sociedade humana a natural confiança das crianças nos adultos, essa seria a maior conquista da inteligência, operando no amor, jamais imaginada." In Arvore do Conhecimento, H.M., pág.27.









Carll J.B. Cneut (1-8-69)
Ryan O'Rourke começou a desenhar baleias quando era tinha cinco anos. Eventualmente, imaginou que pudesse extrair algo da sua habilidade em desenhar baleias. Desde então, não parou de desenhar. Estudou na escola de arte de Hartford, um de seus professores disse-lhe que lhe pagariam para desenhar baleias, entre outras coisas. Assim, Ryan graduou-se na escola de arte de Hartford em 2000 e começou sua carreira como um illustrator. Desde então, os desenhos de Ryan foram publicados em muitos jornais e revistas, incluindo o The Wall Street Journal, Plan Sponsor Magazine, D Magazine, and The Weekly Planet. Ninguém pagou-o ainda para desenhar apenas uma baleia, mas tem seus dedos cruzados!
Site de Ryan O'Rourke




8 de outubro de 2003

Deve ser por isso que eles se cagam dos terroristas:









Pentágono vende via Web material para fazer armas


Um inquérito parlamentar nos EUA descobriu que o Pentágono está vendendo, via Internet, materiais científicos que podem ser utilizados na fabricação de armas biológicas.


A descoberta ocorreu após o Congresso norte-americano solicitar ao General Accounting Office (GAO), que investiga a utilização de fundos públicos, a verificação da suspeita de venda de excedentes de equipamentos do Pentágono via Web.


De acordo com o GAO, os seus investigadores não tiveram dificuldades para comprar os equipamentos. Utilizando identidades falsas, eles acessaram o site do Pentágono e fizeram o pedido de materiais necessários para construir uma arma biológica, como evaporadores e incubadoras bacteriológicas.


O organismo governamental afirmou que o Departamento da Defesa norte-americano não se preocupou em descobrir quem adquiriu os equipamentos ou para o que foram usados. O GAO descobriu que alguns compradores revenderam esses materiais do Pentágono para países onde operam os terroristas.


Além disso, os investigadores também descobriram que para adquirir os equipamentos do Pentágono basta desembolsar US$ 4,1 mil. Um preço baixo se for considerado que o Departamento da Defesa pagou US$ 46 mil pelos mesmos materiais.






Fantástica!

Campanha de Jean-Paul Goude para a Citroën (1984).
Para as pessoas que se interessam por ciência, futuro, física, talvez os links abaixo possam vir a interessar:

Como construir uma máquina do tempo



O GERADOR BURACO DE MINHOCA/REBOCADOR
foi imaginado pelo artista futurista Peter Bollinger. Esta pintura descreve um gigantesco acelerador de partículas espacial capaz de criar, aumentar e mover o buraco de minhoca para ser usado como máquina do tempo



> Viajar no tempo para o futuro é fácil. Se você viajar numa velocidade próxima à da luz ou permanecer num campo gravitacional muito intenso, o tempo vai passar mais devagar para você que para as outras pessoas. Quando você voltar à situação normal, estará no futuro.


> Viajar para o passado é mais complicado. Pela teoria da relatividade, isso é possível em certas configurações de espaço-tempo: um universo em rotação, um cilindro em rotação e num buraco de minhoca - um túnel que atravessa o espaço e o tempo.




Se os seres humanos tivessem sido feitos para durar



CHAMEM O ENCANADOR!

Examinando a anatomia da próstata de um homem, um encanador experiente suspeitaria de um trabalho de aprendiz, porque a uretra, o tubo que leva à saída da bexiga, passa bem no meio da glândula. Essa configuração talvez tenha benefícios desconhecidos até agora, mas acaba provocando problemas urinários em muitos homens, inclusive um fluxo fraco e a necessidade de urinar com freqüência.
As mulheres também enfrentam problemas de encanamento à medida que envelhecem, principalmente a incontinência. Muito desconforto teria sido poupado a ambos os sexos se a evolução tivesse feito algumas modificações simples no desenho anatômico.



A Busca pela pílula da inteligência


Uma revolução iniciada recentemente na neurofarmacologia poderá oferecer drogas capazes de melhorar a performance de pessoas com a memória debilitada devido a doenças ou envelhecimento e aumentar a percepção cognitiva em casos de fadiga.
O uso indiscriminado desses estimulantes cognitivos pode permitir que pessoas normais durmam menos, trabalhem e se divirtam mais.
Embora a maior parte dessas drogas esteja longe de ser aprovada para uso terapêutico, seus prováveis impactos sociais já estão sendo discutidos por bioéticos preocupados com suas ameaças potenciais.
Casa do Sol Nascente (The Animals, 1964)

Há uma casa, em Nova Orleans
Que eles chamam de a casa do sol nascente
E ela tem sido a ruína de muitos pobres rapazes
E Deus, eu sei, sou um deles

Minha mãe era uma costureira
E ela fez meus novos jeans azuis
Meu pai era um jogador
Lá em Nova Orleans

Agora a única coisa que um jogador precisa
É de uma mala ou um baú
E a única hora ... em que ele está contente
É quando está completamente bêbado

Mãe, diga a seus filhos
Para não fazerem o que eu fiz
Gastar suas vidas em pecado e miséria
Na casa do sol nascente

Bem, há uma casa em Nova Orleans
Eles a chamam de a casa do sol nascente
E ela tem sido a ruína de muitos pobres rapazes
E Deus, eu sei, sou um deles
revelações são feitas a mim de quinze em quinze dias
não sei se posso conviver com isso..
No dia de hoje, porém em 1957 o governo americano declara oficialmente a droga LSD, também conhecida como ácido, uma substância "perigosa e ilegal".

Em 1988, depois de 741 semanas entre os 200 álbuns mais vendidos, finalmente cai o disco "Dark Side Of The Moon" do Pink Floyd. Exatamente, o disco lançado em 1973, ficou durante 15 anos nas paradas dos mais vendidos. é realmente impressionante.





Para mim um dos melhores discos do mundo, o rock atinge a perfeição, é insuperável, existe o antes e o depois do Dark Side Of The Moon.

porra...
decide logo

tenho mais o que fazer
não posso ficar esperando você escolher o melhor
ou o menos pior?

sim tenho pressa
afinal, quem não tem?
quero viver a minha vida agora
e não pretendo esperar ninguém por isso

os que forem caindo na areia ficarão lá mesmo
e os que tentarem me parar serão jogados à areia movediça

talvez eu deva viver minha vida de uma forma palíndroma
assim serei sempre a mesma pessoa
não machuhcarei e não serei machucado
mas não teria graça pois a evolução também deixaria de ocorrer

idiota
A Arisco, marca da Unilever, volta à mídia depois de seis anos, com filme e spots. As peças fazem parte da primeira campanha criada pela Ogilvy Brasil para a marca e trazem Ivete Sangalo, como protagonista e o mote "Com Arisco você faz e acontece todo dia". A idéia com a nova comunicação é trazer mais fidelização das consumidoras da marca.

No filme, Ivete Sangalo improvisa uma letra da música "Festa", ao estilo Arisco, enquanto prepara pratos para seus amigos com os produtos Arisco. A campanha também marca a reformulação da Arisco no mercado e apresenta ao público as novas embalagens e design de toda a linha.

As peças têm estréia em todo Brasil, na próxima sexta-feira, dia 10. A criação é de Eric Sulzer e Ricardo Ribeiro, com direção de criação de Adriana Cury, Ana Quarto e Danilo Janjacomo.

7 de outubro de 2003





PARQUE INDUSTRIAL
(Tom Zé)

"retocai o céu de anil
bandeirolas no cordão
grande festa em toda a
nação

despertai com orações
o avanço industrial
vem trazer nossa redenção

tem garotas-propaganda
aeromoças e ternura no
cartaz

basta olhar na parede
minha alegria num instante
se refaz

pois temos o sorriso
engarrafado
já vem pronto e tabelado

é somente requentar e usar
é somente requentar e usar
porque é made made made
made in brazil

retocai o céu de anil
bandeirolas no cordão
grande festa em toda a
nação

despertai com orações
o avanço industrial
vem trazer nossa redenção

a revista moralista
traz uma lista dos pecados
da vedete
e tem jornal popular
que nunca se espreme
porque pode derramar

é um banco de sangue
encadernado
já vem pronto e tabelado

é somente folhear e usar
é somente folhear e usar
porque é made made made
made in brazil"

A LUTA CONTRA A LATA OU A FALÊNCIA DO CAFÉ
(Gilberto Gil -1968)

Alô, mulatas! Alô, alô, mulatas!
O barulho que vocês estão ouvindo é um barulho de latas!
De latas! Eu disse: "Latas! Latas!"

O exército de latas mil do inimigo
Tomou de assalto as prateleiras e os balcões
Em nome das plebéias chaminés plantadas
Em nossos quintais

Palavras proferidas por um velho dono
De terras roxas de uma vasta região
Em nome das grã-finas tradições plantadas
Em seu coração

(Café! Café! Café! Café!)

Chaminés plantadas nos quintais do mundo
As latas tomam conta dos balcões
Navios de café calafetados
Já não passeiam portos por ai

Rasgados velhos sacos de aninhagem
A grã-finagem limpa seus brasões
Protege com seus sacos de aninhagem
Velha linhagem de quatrocentões

Os sacos de aninhagem já não dão
A queima das fazendas também não
As latas tomam conta do balcão
Vivemos dias de rebelião

Enlate o seu café queimado
Enlate o seu café solúvel
Enlate o seu café soçaite
Enlate os restos do barão

A lata luta com mais forças
Adeus, elite do café
Enlate o seu café solúvel
Enquanto dá pé"


6 de outubro de 2003

A resposta nunca é a resposta. O mistério é bem mais interessante. Se você procurar o mistério ao invés da resposta, você estará sempre procurando por algo. Nunca encontrei alguém que realmente tivesse encontrado a resposta... pensam que a encontraram e então param de pensar. Mas o lance é procurar o mistério, evocar o mistério, plantar um jardim no qual crescem plantas estranhas e florescem mistérios. A necessidade pelo mistério é bem maior do que a necessidade por uma resposta.

Ken Kesey



Estréia nesta sexta-feira no Brasil o filme Amém, que discute o silêncio do papa Pio XII diante do genocídeo dos judeus.
Mas o que chama mais atenção é o cartaz do filme, criado pelo fotógrafo Oliviero Toscani que foi o autor de polêmicas campanhas da Benetton nos anos 90.
Ai está...



Excelente.
Youth And Young Manhood, Kings Of Leon

O Kings Of Leon vem sendo apontado pela mídia internacional como uma das grandes revelações do rock em 2003. Com seus longos cabelos, calças boca-de-sino, barbas e camisetas apertadas, os membros da banda têm sido presença constante nas principais publicações musicais do planeta, rendendo comparações a "explosão" dos Strokes em 2001. Formada por três irmãos e um primo, a banda tem suas raízes no sul dos Estados Unidos, onde cresceu numa dieta composta pelo rock dos anos 70 - influência do pai, um pastor presbiteriano que entupia os ouvidos dos garotos com o som de ícones da década de 70 durante suas viagens.

O disco de estréia (Youth And Young Manhood) é, assim como o nome sugere, uma explosão de hormônios; uma celebração ao trinômio "sexo, drogas e rock n' roll", pregada por composições drasticamente influenciadas por nomes como Tom Petty, Rolling Stones, Neil Young e AC/DC. Produzido por Ethan Johns, o disco tem timbres do country-rock sulista que eles tanto ouviram, além de uma atmosfera de gravação ao vivo, mostrando uma intenção de transportar o ouvinte para uma apresentação em algum barzinho de beira de estrada ...


Parece interessante, alguém já ouviu?

4 de outubro de 2003

Come together, right now, over me!!!

Você com certeza já ouviu isso muitas vezes. Você também deve saber que isto é o refrão da música Come together dos Beatles. O que você provavelmente não sabe é que esta música foi feita por Lennon em 5 minutos, durante um de seus bed-in, para a campanha eleitoral de Tim Leary ao governo da Califórnia em 68.

Infelizmente, Leary foi condenado a ridículos 10 anos de prisão por posse de 2 baganas de maconha e não pode concorrer.

Já a música, sete meses depois, foi ouvida por Leary em sua cela numa estação de rádio. Leary confessou que ficou ofendido pelo fato de Lennon ter usado uma música que havia lhe dado. Lennon, com a argúcia típica dos Beatles disse que ele era um alfaiate e Leary um cliente que havia encomendado um terno e nunca mais retornara. Sendo assim ele havia vendido o terno a outra pessoa.

Grande história...

2 de outubro de 2003







Vencedor do Nobel de Literatura

De descendência anglo-alemã, J.M. Coetzee estudou literatura anglo-saxônica antes de ensinar na universidade de sua cidade natal. Seu primeiro livro, Terra de Sombras (Dusklands) foi publicado em 1974. Em 1999 recebeu o Booker Prize, prêmio inglês, por Desonra (Disgrace), tornando-se o único autor a levar este prêmio em duas ocasiões. Em 1983 já havia sido premiado por Vida e Época de Michael K. (Life and Times of Michael K), o livro que o tornou conhecido internacionalmente.

Autor de vários romances escritos em inglês, Coetzee sempre evitou qualquer tipo de maniqueísmo: "A sociedade de apartheid é uma sociedade de senhores e de escravos, onde os próprios amos não são livres". Na maioria de suas narrações, Coetzee não recorre a um contexto histórico preciso. Seus personagens, prisioneiros de um destino às vezes individual, às vezes coletivo, sempre estão envolvidos em situações extremas.

Em No Coração do País (In the Heart of the Country, 1977), o senhor e o escravo se enfrentam através do relato de uma mulher alucinada. Depois de Waiting for the Barbarians (1980), que descreve o ponto morto de uma sociedade totalitária na qual se pode reconhecer, entrelinhas, a África do Sul do apartheid, Coetzee escreveu Vida e Epoca de Michael K., no qual um jovem foge de uma guerra que não consegue entender.

Coetzee tem fama de ser de uma pessoa de difícil acesso porque considera que tudo a ser dito sobre ele está em seus livros e que sua biografia não teria nenhum interesse. Desde 2002 vive na cidade australiana de Adelaide, é tradutor, crítico e seu mais recente livro, publicado este ano, é Elizabeth Costello: Eight Lessons.
Oh, Deus!
O Marcelo quer o telefone novo da Monique. E ele tem pressa, seria bom não irrita-lo.
Cidadão britânico dá voz de prisão a Tony Blair e é preso

Um visitante da conferência do Partido Trabalhista foi preso depois de supostamente ter dado voz de prisão a Tony Blair por seus crimes de guerra no Iraque.

O homem de 41 anos, que acredita-se ser Ian Brown, de Cardiff, supostamente confrontou o primeiro-ministro e sua esposa Cherie quando iam entrar no centro de convenções de Bornemouth onde Blair iria proferir seu discurso. A polícia declarou que o homem, que era um visitante à conferência no Centro Internacional de Bornemouth, não chegou a ser indiciado. Ele foi preso por perturbação da ordem pública. Acredita-se que ele gritou que queria efetuar a prisão devido ao envolvimento de Blair no conflito iraquiano.

Preso? Ele devia ser condecorado.
Eu, etiqueta

Em minha calça está grudado um nome
que não é meu de batismo ou de cartório,
um nome... estranho.
Meu blusão traz lembrete de bebida
que jamais pus na boca, nesta vida.
Em minha camiseta, a marca de cigarro
que não fumo, até hoje não fumei.
Minhas meias falam de produto
que nunca experimentei
mas são comunicados a meus pés.
Meu tênis é proclama colorido
de alguma coisa não provada
por este provador de idade.
Meu lenço, meu relógio, meu chaveiro,
minha gravata e cinto e escova e pente,
meu copo, minha xícara,
minha toalha de banho e sabonete,
meu isso, meu aquilo,
desde a cabeça até o bico dos sapatos,
são mensagens,
letras falantes,
gritos visuais,
ordem de uso, abuso, reincidência,
costume, hábiot, premência,
indispensabilidade,
e fazem de mim homem-anúncio intinerante,
escravo da matéria anunciada.
Estou, estou na moda.
É doce estar na moda, ainda que a moda
seja negar minha identidade,
trocá-la por mil, açambarcando
todas as marcas registradas,
todos os logotipos de mercado.
Com que inocência demito-me de ser
eu que antes era e me sabia
tão diverso de outros, tão mim-mesmo,
ser pensante, sentinte e solitário
com outros seres diversos e conscientes
de sua humana invencível condição.
Agora sou anúncio,
ora vulgar, ora bizarro,
em língua nacional ou em qualquer língua
(qualquer, principalmente).
E nisto me comprazo, tiro glória
de minha anulação.
Não sou - vê lá - anúncio contratado.
Eu é que mimosamente pago
para anunciar, para vender
em bares festas praias pérgulas piscinas,
e bem à vista exibo esta etiqueta
global no corpo que desiste
de ser veste e sandália de uma essência
tão viva, independente,
que moda ou suborno algum compromete.
Onde terei jogado fora
meu gosto e capacidade de escolher,
minhas indiossicrasias tão pessoais,
tão minhas que no rosto se espelhavam,
e cada gesto, cada olhar,
cada vinco de roupa
resumia uma estética?
Hoje sou costurado, sou tecido,
sou gravado de forma universal,
asio de estamparia, não de casa,
da vitrine me tiram, me recolocam,
objeto pulsante mas objeto
que se oferece como signo dos outros
objetos estáticos, tarifados.
Por me ostentar assim, tão orgulhoso
de ser não eu, mas artigo industrial,
peço que meu nome retifiquem.
Já não me convém o título de homem,
meu nome novo é coisa.
Eu sou a coisa, coisamente.

(C. Drummond de Andrade)
Nada como uma boa idéia ! Clique.

"A AgênciaClick criou um teaser para o lançamento do novo carro da linha adventure da Fiat, com o tema "A Natureza nunca mais será a mesma". A ação busca aumentar a curiosidade dos internautas sobre o modelo. "

Fonte: MMonline

Uma piada para começar o dia... eehehe

Mas Viva o nosso grande Tim!!

"Chocolate, chocolate, chocolate
Eu só quero chocolate
Só quero chocolate
Não adianta vir, com guaraná pra mim
É chocolate o que eu quero beber
Não quero pó, não quero rapé
Não quero cocaína me liguei no chocolate
Eu me liguei, só quero chocolate
Não adianta vir, com guaraná pra mim
É chocolate o que eu quero beber

Não quero chá, não quero café
Não quero coca-cola
Me liguei no chocolate
Só quero chocolate
Não adianta vir, com guaraná pra mim
É chocolate o que eu quero beber"

1 de outubro de 2003



Cores fantásticas de todas as cores!
Me cercam, me puxam pelas cintura!
Percorrem o meu corpo..
lenta mente .. morta
a música fala de coisas tristes

Vamos brincar?
Eu corro e você me pega
assim por trás
Sem ninguém ver.

A dor me espera, onde já não há mais ninguém.
Observo os cogumelos crescerem enquanto ela não chega.