31 de agosto de 2004

me desculpem mas eu não pude resistir....

Ex-integrantes do RPM formam banda LS&D
30/08 - 16:32
Agência Estado

São Paulo - Os ex-integrantes do RPM, Fernando Deluqui (voz, violões e guitarra) e Luiz Schiavon (piano e teclados) se uniram em um novo projeto musical com André Lazarotto (voz, violões e guitarra) para criar a banda LS&D. O primeiro álbum da nova banda será lançado para convidados amanhã, na The One Club, em São Paulo.

O CD LS&D tem doze faixas, que misturam rock, pop, rap e tecno, incluindo Madrigal, tema de abertura da novela Cabocla, da Rede Globo, e Novo Dia, cujo clip já está sendo exibido na MTV. A primeira tiragem será de mil cópias, em edição para colecionadores, e contará com um encarte com fotos autografadas pelos integrantes da banda.




aiiiihhh meus sais! (plagiando alguém de alguma série de TV)




Quer quadrinhos? Aqui >>>> Kyle Baker






Para mais --- > Jim Avignon's

30 de agosto de 2004

Para aqueles que dizem:

Ni!!



Nesta semana:
Especial Monty Python
Cores, sons, imagens
E tudo isso, de graça!
Apreveitem


AQUI -> isso vai, clique aqui, aqui mesmo, embaixo

Especial Monty Python

26 de agosto de 2004

Relógio marca os custos da guerra contra o Iraque



# O relógio começou com US$ 134 bi

# Os números devem crescer em uma taxa de US$ 177 milhões por dia, US$ 7,4 milhões por hora e US$ 122,820 por minuto.

25 de agosto de 2004


Brasil tem maior índice de desmatamento do mundo


O Brasil aparece como o país com o maior índice de desmatamento do planeta no Guiness, o Livro dos Recordes, edição de 2005. Entre 1900 e 2000, uma média anual de 22,264 mil km² de florestas desapareceu do território brasileiro, uma área equivalente ao Estado de Sergipe.

O desmatamento mais rápido do mundo ocorre no país africano de Burundi, que registrou a perda anual de 9% de suas áreas florestais no mesmo período. Se esse índice permanecer, em onze anos as florestas do país terão desaparecido. Os Estados Unidos, que não assinaram o Protocolo de Kioto, lideram na categoria de maior emissor de dióxido de carbono, um dos gases responsáveis pelo efeito estufa. O país lançou na atmosfera quase seis bilhões de toneladas de CO², só em 2001.

A metrópole com o ar mais poluído é a Cidade do México, onde a grande altitude e a presença de montanhas que bloqueiam a circulação do ar favorecem a concentração da poluição. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a capital do México ultrapassa os níveis toleráveis de partículas em suspensão, de dióxido de enxofre, de monóxido de carbono e de ozônio na atmosfera. O Guinness 2005, cuja edição em português será publicada em novembro pela editora Ediouro, também traz recordes positivos para o ambiente. A China, por exemplo, aparece como o país onde ocorre o maior reflorestamento no mundo. Na década de 90, as árvores replantadas foram suficientes para cobrir mais de 18 mil km² do território, uma área equivalente ao Kuwait. A Finlândia possui o melhor Índice de Sustentabilidade Ambiental, compilado em 2002 pelo Fórum Econômico Mundial, com base em 20 indicadores, como qualidade do ar e da água. A Alemanha tem o maior índice de reciclagem de papel e papelão, com o reaproveitamento de até 80% do material consumido. A Suíça é lider na reciclagem de vidro, alcançando 91% de aproveitamento.

Fonte: Terra

Falaram, falaram, falaram e esqueceram de dizer que o Brasil é o maior reciclador de alumínio (com um índice em torno de 87%). Tudo bem, não vai salvar o mundo. Tudo bem, não é por consciência e sim por necessidade, pois mais de 300 mil catadores vivem do lixo para garantir sua renda mensal. Mas é um fato e não adianta nada só querer ver o lado ruim das coisas (ou das nações).

24 de agosto de 2004

23 de agosto de 2004




De Onde vem o Arlequim?

Aí pelas ruas talvez exista ainda alguém fantasiado de Arlequim, como ocorria nos carnavais há algumas décadas. Mas é raro. Assim como o Pierrô e a Colombina, o Arlequim foi muito popular na virada do século. Aliás, não só esse trio, mas toda uma família de saltimbancos, que havia irrompido nos palcos do século XVI. Mas por uma série de fatores, a tematização desses tipos foi muito constante na virada do século XIX para o século XX.

Em 1892, Leon Cavallo cristalizou o conflito do triângulo amoroso em "Os palhaços". Em 1905, Picasso pinta "Família de saltimbancos" e outros quadros com esses personagens. Degas e Cézanne estão entre muitos que também pintaram seu "Arlequim". A própria literatura brasileira vem, em 1919, com "Carnaval", de Manuel Bandeira; em 1920, com "Máscaras", de Menotti del Picchia, e "Arlequinada", de Martins Fontes. Mário de Andrade, por sua vez, tematizou o carnaval sob várias formas e definia-se como uma criatura arlequinal.

Mas quem vê o Arlequim tão sestroso, folgazão e brejeiro (como se dizia), mal pode imaginar que num tempo remoto ele foi o avesso disto tudo. Exatamente. Originalmente, em vez de um sedutor, foi um violador. Em vez de amante, um estuprador. Em vez de um dançarino, um guerreiro bárbaro.

Por isto, o estudo de certas imagens e palavras mostra como o certo e o avesso vivem se intercambiando. Preocupado com essas ambivalências, Freud já havia anotado que a etimologia de "branco" e "preto" parecia ser a mesma, alertando para o fato de que o radical do francês "blanche" e do inglês "black" é o mesmo.

Arlequim, Hallequim. O nome é quase idêntico. Mas o significado diametralmente oposto.

Quem vê no palco ou no carnaval o saltitante e sedutor Arlequim nem percebe que ele é uma variante moderna de um tipo selvagem que comandava uma horda de homens-bestas. Hallequim é uma deformação onomástica de Harila-King - rei dos exércitos. Tinha na mão enorme maça ou tacape. Comandava um feralis-exércitus (exército de mortos). Pertencia à mesma estirpe de figuras primitivas, como o lendário rei Frotho, da mitologia dinamarquesa, que invadia aldeias, violentava mulheres e humilhava barbaramente os vencidos. Esses guerreiros exibiam a petulância (agressividade sexual), a lascívia (exigências sexuais) e se consideravam conubernales (companheiros da tenda do rei). Vestiam-se de peles selvagens, assemelhando-se aos ursos, e não cortavam os cabelos até que matassem alguém. Também não tinham propriedades pessoais e viviam se deslocando atrás de presas, como centauros seqüestradores de mulheres.

[... leia mais]

21 de agosto de 2004

Milhões de pessoas que gostariam de ganhar a imortalidade não sabem o que fazer consigo mesmas em uma tarde chuvosa de domingo.


Susan Ertz

20 de agosto de 2004

A BANDA TROPICALISTA DE ROGÉRIO DUPRAT
Philips - 1968


1. Judy in Disguise
(Fred, Bernard e Wessle)

2. Honey/Summer Rain
(B. Russell / J. P. Hendricks)

3. Canção para Inglês Ver/Chiquita Bacana
(Lamartine Babo / João de Barro / Alberto Ribeiro)

4. Flying
(Lennon e McCartney)

5. The Rain, the Park and Other Things
(Kornefeld e Dukoff)

6. Canto Chorado/Bom Tempo/Lapinha
(Billy Blanco / Chico Buarque / Baden Powel e P. C. Pinheiro)

7. Chega de Saudade
(Tom Jobim e Vinicius de Moraes)

8. Baby
(Caetano Veloso)

9. Cinderella Rockefella
(M. Williams)

10. Ele Falava Nisso Todo Dia/Bat Macumba
(Gilberto Gil / Gilberto Gil e Caetano Veloso)


11. Lady Madona
(Lennon e McCartney)

12. Quem Será?
(Jair Amorim e Evaldo Govêia)

CINDERELLA ROCKEFELLA

You're the lady, you're the lady that I love
I'm the lady, the lady whoo
You're the lady, you're the lady that I love
I'm the lady, the lady whoo
You're the little lady, I'm the little lady, ooh

I love your touch, thank you so much
I love your eyes, mmh that's very nice
I love your chin, say it again
I love your chinny chin-chin

You're the fella, you're the fella that rocks me
Rockefella, Rockefella
You're the fella, you're the fella that rocks me
Rockefella, Rockefella
You're my Rockefella, I'm your Rockefella, ooh

I love your face, in the right place
I love your mind, that's very kind
I love your chest, razzmatazz
I love your chest, razzmatazz

Ooh

You're the lady, you're the lady that I love
I'm the lady, the lady whoo
You're the fella, you're the fella that rocks me
Rockefella, Rockefella
You're my Rockefella, you're my Cinderella, ooh

I love you, I love you
I love you, I love you
I love you


Baixe aqui a música Cinderela Rockefella numa versão de Esther & Abi Ofarim

18 de agosto de 2004



Spielberg fará filme mais caro da história

O diretor norte-americano Steven Spielberg planeja fazer o filme mais caro da história, o remake do clássico A Guerra dos Mundos.

A informação foi divulgada hoje pelo jornal The Sun, segundo o qual Spielberg gastará US$ 350 milhões no novo projeto, superando o Titanic, que até agora era o filme mais caro na historia do cinema.

O diretor de E.T., o extra-terrestre e Lista de Schindler, entre outros memoráveis filmes, dirigirá a versão para o cinema do Clássico de H. G. Wells, sobre a invasão de extra-terrestres ao planeta Terra.

Além disso, vazou a informação de que o filme seria protagonizado por Tom Cruise.

De acordo com o informe, nem Spielberg, nem Cruise irão receber adiantado. Eles teriam aceitado ficar com 20% dos lucros por arrecadação de entradas da super-produção.

"Spielberg quer fazer o filme da década e não estimará em gastos", declarou uma fonte da produtora.

Uma versão por rádio da história do inglês Wells causou pânico massivo nos Estados Unidos, em 1938. Os ouvintes acreditaram que a história narrada por Wells sobre uma invasão de marcianos à Terra era realidade.

Fonte: Agência Carta Maior

17 de agosto de 2004





retirado de sutil como um paquiderme
Gilberto Gil na USP: Cultura Digital, ANCINE e Software Livre

Xenófobo. Autoritário. Estalinista. Burocratizante. Centralizador. Leviano. Estatizante. Dirigista. Controlador. Intervencionista. Concentracionista. Chavista. Soviético.

Desde a quinta-feira da semana passada, jornais, revistas e emissoras de televisão do país amplificaram e multiplicaram esses e outros termos semelhantes para qualificar (ou desqualificar) a proposta de criação da Agência Nacional de Cinema e Audiovisual.

Boa tarde a todos.


A sociedade brasileira foi bombardeada por dezenas de ?istas? e ?antes?, repetidos à exaustão.

O projeto não veio à tona por seu teor, mas por sua crítica. Vi poucas críticas consistentes, baseadas em leituras atentas do anteprojeto, em conhecimento rigoroso e abrangente da questão.

Em vez disso, há a estigmatização. Tenho visto um festival de adjetivos, generalizações, visões apriorísticas e opiniões construídas a partir de outras críticas, e não do fato que se critica.

Houve quem afirmasse, talvez sem se dar conta do grau de violência verbal de sua assertiva, que a proposta deveria ser atirada ao lixo.

Um jornal, por exemplo, publicou nos últimos dias as opiniões contrárias de dezenas de pessoas, em especial de seus próprios colunistas. No dia em que o Congresso Brasileiro de Cinema, que reúne 54 entidades do setor, inclusive os exibidores, foi ao MinC para manifestar seu apoio à criação da Ancinav, o que fez o jornal? Nada. Simplesmente não publicou a informação de que o cinema brasileiro quer a Ancinav.

Até hoje, os veículos que atacaram ou publicaram ataques ao anteprojeto simplesmente não concederam ao Ministério da Cultura a oportunidade de apresentá-lo, inclusive para que ele seja criticado pelo que efetivamente é, e não por aquilo que os colunistas e editorialistas acham, ou preferem achar, que ele seja.

Este fenômeno é muito parecido com o que houve recentemente nos Estados Unidos.

Primeiro, a tática militar de Bush: bombardeio avassalador no primeiro dia de guerra para mostrar o poderio norte-americano e dizer: não ousem resistir, que vem mais por aí.

Depois, o consenso, o pensamento único pró-guerra na imprensa norte-americana, tornando verdade o que hoje sabe-se mentira: a existência de armas de destruição em massa no arsenal iraquiano.

Entre os tantos detratrores, quantos realmente leram os mais de 100 artigos? Quantos já se deram ao trabalho de estudar o assunto, de recolher dados e refletir sobre eles? Quantos procuraram saber o que acontece no resto do mundo em relação ao tema? Quantos tiveram a sabedoria de conversar com quem atua há anos e anos no setor?

A equipe que redigiu o anteprojeto fez tudo isso. Ao longo de 14 meses, ouvimos e compilamos as propostas do conjunto do setor audiovisual. Estudamos as medidas adotadas por países como a França, o Canadá, a Austrália e a Coréia. Participamos de centenas de debates e reuniões. Estivemos com as emissoras de televisão, os cineastas, os distribuidores, os exibidores. Discutimos com especialistas. Levantamos os dados e consultamos os juristas.

Desde o princípio, procuramos construir a proposta de modo democrático e participativo. E em nenhum momento fizemos qualquer gesto que possa sugerir imposição. Ao contrário: o anteprojeto foi encaminhado, para debate e deliberação, a uma instância pública de controle social chamada Conselho Superior de Cinema, que reúne nove representantes da sociedade civil e nove ministros. Depois, será enviado ao Congresso.

Tenho dito (a quem que se dispõe a ouvir, naturalmente) que o governo federal está aberto a todas as críticas, a todas as sugestões, propondo-se, como não poderia deixar de fazer, a receber e analisar todos os pleitos de todos os setores envolvidos e cidadãos preocupados com o tema.

Eu pergunto a vocês... Como uma proposta elaborada e encaminhada desse modo, e que ainda passará pelo Congresso, pode ser qualificada (ou, repito, desqualificada) como estalinista?

Eu pergunto a vocês... Quem está demonstrando na prática um apego atávico à democracia e ao estado de direito... E quem está sendo autoritário?

Por que não vêm a público e dizem: as nossas empresas são contra a proposta, as nossas empresas não querem nenhum tipo de regulação para si, apenas para os outros setores?

Ontem, por exemplo, um grande jornal de São Paulo estampou em chamada de primeira página: o Ministério da Cultura quer controlar a Internet.

Ora... Isso ofende a minha inteligência, a minha história, a minha sensibilidade. E a inteligência dos próprios leitores.

Todos sabem que sou um defensor, e mais do que um defensor, um praticante, um usuário, um divulgador, do software livre, da inclusão digital, das formas mais radicais de exercício da liberdade de pensamento, de expressão e de criação.

Todos sabem que fui perseguido pela ditadura militar e que minha produção criativa foi controlada e violentada pela censura. Há um ditado popular que diz: quem bate pode até esquecer, mas quem apanha nunca esquece. Pode um perseguido tornar-se perseguidor? Não eu, certamente.

Quem seria, então, estalinista? Quem me ataca sem ter lido o que estou propondo, e além disso não me dá o direito de responder na mesma medida, no mesmo espaço, no mesmo local, ou eu, que estou aqui, falando com vocês, e me coloco à disposição para tratar do assunto com todo mundo, com as empresas, com as entidades, com os criadores?

continua....
E O PIOR DO BRASIL?


Já está na TV a nova campanha do governo: o melhor do Brasil é o brasileiro.
Bonito. O craque Ronaldo, Herbert do Paralamas? gente que ralou para dar a volta por cima.
O objetivo da campanha é ?resgatar a auto-estima? do brasileiro, que pelos números anda mal das pernas.
Pesquisa do instituto Latinobarómetro diz que somente 4% dos brasileiros confiam em seus compatriotas. Contra 21% dos bolivianos e 36% dos uruguaios.
Pra tentar reverter o baixo astral, o próprio presidente Lula compareceu ao lançamento e confirmou com sua voz metalúrgica o tema da campanha: ?o melhor do Brasil é o brasileiro.?
Aí eu fiquei pensando: o Brasil é esse país lindo, cheio de riquezas minerais, praias, mulheres sensacionais, sem terremotos, nem furacões? e se além disso tudo, o melhor do Brasil é o brasileiro, então? ué, gente? então porque isso aqui não dá certo?!!

Você sabe me responder? Se o melhor do Brasil é o brasileiro, então qual é o pior do Brasil? É, porque alguma coisa ruim deve ter nesse país.

Olha o que alguns brasileiros ilustres já indicaram:

?Muita saúva e pouca saúde, os males do Brasil são?, é a explicação de Macunaíma, o herói sem caráter, de Mário de Andrade.

Monteiro Lobato concordou: ?ou o Brasil acaba com a saúva, ou as saúvas acabam com o Brasil.?

Mas será que o problema do país são as formigas? Não! ?O Brasil é feito por nós. Agora só falta desatar esses nós?. Dizia o Barão de Itararé.

Gringos cabeçudos também já tentaram nos ajudar a entender o mistério:

Deus é brasileiro, mas se mudou para os Estados Unidos." Thomas Skidmore, professor e pensador norte-americano.

?O Brasil não é um país doente. É um país bêbado, é diferente.? Da prestigiosa e metida revista inglesa The Economist.

"O Brasil corre o risco de ficar obsoleto antes de ficar pronto." Do antropólogo francês Claude Lévi-Strauss.

retirado do Blog do TAS

* Marcelo Tas é diretor, apresentador e roteirista de TV. Participou da criação de alguns programas inovadores na televisão brasileira. Entre eles: "Rá-Tim-Bum" e ?Castelo Rá-Tim-Bum? na TV Cultura de São Paulo e "Programa Legal", na TV Globo.

Tas é um dos membros fundadores da produtora independente ?Olhar Eletrônico?, pioneira na renovação da linguagem televisiva dos anos 80 - onde ele dirigiu e interpretou o repórter ficcional ?Ernesto Varela?.

Atualmente, Tas apresenta o programa ?Vitrine?, na TV Cultura de S. Paulo, o primeiro a tratar da internet e das novas mídias em TV aberta no Brasil.

Marcelo já foi agraciado com vários prêmios no Brasil e exterior. Entre eles, a bolsa para cinema e TV da Rockfeller McArthur Foundation e também com o prestigioso Fulbright Scholarship Award, ambos dos Estados Unidos.

13 de agosto de 2004


Que comecem os jogos





Hubble captura imagem de bolha de gás interestelar


O Telescópio Espacial Hubble observou dentro de uma bolha interestelar de gás e poeira que está sendo inflada por um furacão de partículas emitidas por uma estrela jovem.

Esta estrela não tem nome e está perdendo cem milhões de vezes mais massa por segundo do que o nosso próprio Sol, gerando uma torrente de partículas de alta velocidade.

Como a estrela é cercada por um envelope de gás, a fileira de partículas, ou vento estelar, colide com o gás.

Isso é que leva à formação de uma bolha do tipo visto na imagem do Hubble.

A nebulosa N44F é uma dentre as várias bolhas interestelares conhecidas. No passado, estruturas semelhantes foram observadas em volta de enormes estrelas e também em volta de aglomerados de estrelas, onde elas são chamadas de superbolhas.

A N44F é parte de um complexo mais amplo conhecido como N44, que contém uma dessas superbolhas.

Dedos gigantescos

Este complexo tem cerca de 1.000 anos-luz de extensão e várias regiões onde se formam estrelas, inclusive a N44F, são encontradas ao longo da borda de sua superbolha central.

A parede interna da cavidade gasosa é forrada com colunas de poeira fria e gás de formato semelhante a dedos e têm de quatro a oito anos-luz de altura.

Colunas semelhantes formam os Pilares da Criação em uma famosa imagem do Hubble da Nebulosa da Águia, que fica menos remota no espaço.

Elas são criadas por radiação ultravioleta da estrela e apontam na direção do fluxo de energia.

As imagens foram feitas com a Câmara Planetária de Campo Largo 2 do Hubble, utilizando filtros que isolam a luz emitida por enxofre.

Na quarta-feira, o diretor da Nasa, Sean O'Keefe, disse que a agência espacial vai tentar enviar um robô em uma missão para salvar o Hubble.

A Nasa examinou anteriormente opções para tirar o telescópio de órbita e lançá-lo no mar.

A missão de reparos pode prolongar a vida do telescópio em cinco anos, que vai expirar em 2008 se não houver ajuda.

Fonte: BBC Brasil
Maracatu Atômico

inigualável.. deliciante..
Ela carrega quem a canta, por todos os lugares..

e agora em versão correta, cante conosco a letra:

Manamaué aué aé
Manamaué aué aé
Manamaué aué aé
Manamaué aué aé

O bico do beija-flor, beija-flor,
beija-flor
E toda fauna flora grita de amor
Quem segura o porta-estandarte
tem a arte
E aqui passa com raça
eletrônico o maracatu
atômico

Manamaué aué aê
Manamaué aué aê
Manamaué aué aé
Manamauê auê aé

Atrás do arranha-céu tem
o céu, tem o céu
E depois tem outro céu sem
estrelas

Em cima do guarda-chuva tem
a chuva, tem a chuva
Que tem gotas tão lindas que
até dá vontade de
Comê-las

Manamaué aué aé
Manamaué aué aé
Manamauê aué aé
Manamaué aué aé

No meio do couve-flor tem
a flor, tem a flor
Que além de ser uma flor tem
sabor

Dentro do porta-luvas tem a luva,
tem a luva
Que alguém de unhas negras
e tão afiadas
Esqueceu de por

Manamaué aué aé
Manamaué aué aé
Manamaué aué aé
Manamaué aué aé
Aaaaé
Maracatu atômico
Aaaaé
Maracatu atômico

No fundo do pára-raio tem
o raio, tem o raio
Que caiu da nuvem negra do
temporal
Todo quadro-negro é todo

negro é todo negro
Eu escrevo seu nome nele só
pra demonstrar
O meu apego

Manamaué aué aé
Manamaué aué aé
Manamaué aué aé
Manamaué aué aé

O bico do beijar flor, beija-flor,
beijar flor
E toda fauna flora gata de amor
Quem segura o porta estandarte
tem a arte, tem a arte
E aqui passa com raça
eletrônico o maracatu
atômico

Manamaué aué aé

11 de agosto de 2004

Quando estamos no elevador e entra o vizinho que nada tem a nos dizer e vice e versa, a situação fica desconfortável, silêncio total, os andares passando vagarosamente e nós olhando para o teto ou admirando a beleza do mármore do chão. Acontece também quando estamos conversando com um conhecido ou até um amigo, o assunto vai embora, como a água a escorrer pelo ralo. Entra em cena então, a frase curinga: E o tempo?
Agora, tente fazer essa mesma pergunta quando estiver em uma situação semelhante com... Albert Einsten.

10 de agosto de 2004




Veja bem, não sou irresponsável. Sou irresponsabilizável.
Não estou preocupado com você, nem tão pouco comigo mesmo.
GUANTANAMERA
Original music by Jose Fernandez Diaz
Music adaptation by Pete Seeger & Julian Orbon
Lyric adaptation by Julian Orbon, based on a poem by Jose Marti

Yo soy un hombre sincero
De donde crecen las palmas
Yo soy un hombre sincero
De donde crecen las palmas
Y antes de morirme quiero
Echar mis versos del alma

Guantanamera
Guajira Guantanamera
Guantanamera
Guajira Guantanamera

Mi verso es de un verde claro
Y de un carmin encendido
Mi verso es de un verde claro
Y de un carmin encendido
Mi verso es un ciervo herido
Que busca en el monte amparo

I am a truthful man from this land of palm trees
Before dying I want to share these poems of my soul
My verses are light green
But they are also flaming red

(the next verse says,)
I cultivate a rose in June and in January
For the sincere friend who gives me his hand
And for the cruel one who would tear out this
heart with which I live
I do not cultivate thistles nor nettles
I cultivate a white rose

Cultivo la rosa blanca
En junio como en enero
Qultivo la rosa blanca
En junio como en enero
Para el amigo sincero
Que me da su mano franca

Y para el cruel que me arranca
El corazon con que vivo
Y para el cruel que me arranca
El corazon con que vivo
Cardo ni ortiga cultivo
Cultivo la rosa blanca

Con los pobres de la tierra
Quiero yo mi suerte echar
Con los pobres de la tierra
Quiero yo mi suerte echar
El arroyo de la sierra
Me complace mas que el mar

6 de agosto de 2004



Fórmula do filme de terror perfeito

    (um+d+cp+a) 2+c + (r+f)/2 + (ps + e +l)/n + s X -es. Onde:
    um = uso de música
    d = desconhecido
    cp = cenas de perseguição
    a = sensação de estar em uma armadilha
    c = choque
    r = realismo
    f = fantasia
    ps = o personagem está sozinho
    e = escuro
    l = locação
    n = número de pessoas
    s = sangue
    es = estereótipos

Fórmula diz que 'O Iluminado' é o filme de terror perfeito


A fórmula foi desenvolvida por especialistas que tentavam provar porque filmes como Psicose e A Bruxa de Blair conseguiram aterrorizar tantas audiências.

A fórmula combina elementos de suspense, realismo, cenas sangrentas e surpresa para medir o quanto um filme é aterrorizante.

Os pesquisadores passaram dez semanas assistindo filmes como O Exorcista, O
Massacre da Serra Elétrica e o Silêncio dos Inocentes para compor a fórmula.

Patrocínio

Os fatores considerados incluem o uso de música, o equilíbrio entre vida real e fantasia e o quanto de sangue é envolvido.

Como o suspense é parte fundamental no sucesso de um filme de terror, os seus elementos - uso de música, o desconhecido, cenas de perseguição e sensação de estar em uma armadilha - são agrupados e depois multiplicados ao quadrado.

Se soma então o valor do choque.

Os especialistas dizem que um filme precisa ser realista para ser realmente aterrorizante. Eles tentaram balancear as partes que fazem um filme muito irreal ou próximo da vida real.

Eles então olharam para o número de personagens na tela, assumindo que as audiências simpatizam com uma quantidade menor de pessoas.

Os matemáticos também levaram em conta a quantidade de luz nos cenários.

As locações isoladas de O Iluminado, com a família vivendo em um grande hotel fechado para o inverno, e a cena do chuveiro em Psicose, foram exemplos perfeitos do uso da fórmula, dizem eles.

A fórmula também leva em conta a quantidade de sangue e a compara com a quantidade de estereótipos no filme.

Para os cientistas, Tubarão seria um exemplo perfeito do uso correto desses elementos.

"Spielberg alcançou o nível perfeito que permite ao expectador ver a quantidade suficiente de sangue para sentir medo do tubarão, mas não a ponto de ficar com nojo", dizem os cientistas.

A pesquisa foi patrocinada pelo canal a cabo britânico Sky Movies, para lançar uma temporada de filmes.

Fonte: BBC Brasil

5 de agosto de 2004




SERES ESTRANHOS CAUSAM PÂNICO NO NORTE DO CHILE

Santiago do Chile, 4 ago (EFE).- Várias pessoas afirmam ter visto nos
últimos dias em uma estrada do norte do Chile seres estranhos de mais
de dois metros de altura que descreveram como enormes cangurus,
dinossauros de duas patas e, até mesmo, gárgulas, informou hoje,
quarta-feira, a imprensa local.

Essas visões foram registradas em dias diferentes por pessoas que
passaram de carro pela estrada que une as cidades de Iquique e Arica,
através do deserto de Atacama, a cerca de 2.000 quilômetros de
Santiago.

Os jornais dessas cidades reúnem hoje os relatos de algumas pessoas
que dizem ter visto essas estranhas criaturas, assim como o do militar
Hernán Cuevas, que assegura que viu duas delas na quinta-feira passada
quando viajava com outros dois adultos e duas crianças pela citada
estrada.

"Só decidir frear quando passou na minha frente um animal tremendo,
muito similar a um dinossauro de duas patas, com enormes coxas",
relatou.

Quando eles ainda não tinham se recuperado do assombro, viram passar
outra criatura semelhante, "de cor cinzenta, sem pêlo e com cerca de
dois metros de altura", disse Dario Riquelme, outro ocupante do
veículo, ao jornal "La estrella", de Arica.

Por causa dessas declarações, foi revelado o caso da família do
suboficial do exército Carlos Abett de la Torre.

Seis dos Abett de la Torre afirmam ter vivido uma experiência
semelhante na mesma estrada há duas semanas. Eles viram quatro
criaturas estranhas que foram descritas por eles como pássaros com
cara de cachorro que se deslocavam lentamente pelo ar.

"De repente, tudo se escurecei. Depois, olhei pelo vidro e vi coisas
que pareciam pássaros com cabeça de cachorro e com asas para atrás.
Eram como gárgulas", relatou Abbet de la Torre.

Sua filha Carmen, por sua vez, disse que não tem certeza se as
criaturas tinham asas ou patas, mas afirmou que elas tem cerca de dois
metros de altura.

Todos os ocupantes do veículo disseram que dois dos estranhos seres
passaram voando e que, minutos mais tarde, se apresentaram outras duas
criaturas, dando saltos.

Ambas as famílias concordaram em dizer que os animais, em alguns
momentos, chegaram a se desclocar a cerca de cem quilômetros por
hora.

Fonte: UOL

4 de agosto de 2004



Cachorro cuida de menino por seis anos na Sibéria

Um garoto criado por um cachorro por cerca de seis anos foi encontrado pela polícia. O menino fala através de latidos e rosnados e ainda anda de quatro, segundo o jornal The Sun.

O menino-cão, que não usa roupa, teria o hábito de cheirar sua comida antes de ingeri-la. A criança de sete anos foi encontrada nas ruínas de uma casa na floresta da Sibéria.

A polícia acredita que o garoto, de nome Andrej, foi abandonado por seus pais quando era um bebê. Durante uma patrulha, policiais viram o menino em frente ao local abandonado, acompanhado de um cachorro velho.

"Andrej corria de quatro e rosnava. Eles acharam que ele estava brincando, mas não, o menino estava muito sujo e nu, então perceberam que havia algo de errado", disse o porta-voz da polícia Sergei Sabonskoye ao The Sun. Andrej tentou morder os policiais quando foi afastado do cachorro, sua única companhia nos últimos anos.

Fonte: Terra

2 de agosto de 2004


Próxima parada: Planeta Mercúrio


O lançamento da nave Messenger, cujo objetivo é realizar a primeira missão de pesquisa em três décadas em Mercúrio, foi adiado hoje por causa do mau tempo. O anúncio foi feito pela Agência Espacial Americana (Nasa).

O lançamento foi adiado inicialmente em 24 horas, à espera de que o tempo melhore em Cabo Canaveral (Flórida). Um foguete Delta 2 deveria decolar hoje da estação da Força Aérea em Cabo Canaveral às 6h16 locais (3h16 no horário de Brasília). A bordo iria a sonda espacial para investigar a possível presença de gelo em Mercúrio, o planeta mais próximo ao Sol, e estudar sua geologia e seus campos magnéticos.

Esta é a primeira missão a Mercúrio desde que a nave Mariner 10 passou perto do planeta em três ocasiões entre 1974 e 1975. O adiamento do lançamento foi causado pelo mau tempo e as nuvens pesadas, ocasionadas provavelmente pelos efeitos da tempestade tropical Alex.

A Nasa afirmou que há 30% de chances de que terça-feira se repitam as mesmas condições atmosféricas. A missão da Messenger é chegar as proximidades de Mercúrio até 2008 e em 2011 a sonda deverá começar um período de um ano orbitando em torno do planeta.

A sonda está equipada com diversos instrumentos para investigar questões como por que Mercúrio é tão denso, qual é sua história geológica, como é a estrutura de seu núcleo, qual é a natureza de seus campos magnéticos e quais materiais raros existem nos pólos do planeta. A viagem, de 7,9 bilhões de quilômetros, inclui uma passagem perto da Terra (em 2005) e duas perto de Vênus (em 2006 e 2007) para aproveitar a gravidade dos dois planetas que dará um impulso à sonda em seu caminho para Mercurio.

A sonda Messenger, que pesa 1,2 tonelada, custou US$ 435 milhões e alimenta seus sistemas com energia nuclear. Além disso, a nave está coberta por um escudo protetor das altas temperaturas.

Fonte: Terra