29 de junho de 2005

Estamos na moda!

Pois é, 2005, ano do Brasil na França! O que chama a atenção nessa historia toda é a moda Brasil, que é de uma espontanêidade notavel. Quero dizer que, independente dessa historia de Ano do BR na FR, os franceses descobriram o nosso Brasil varonil.
O principal enfeite das vitrines das lojas é a bandeira tupiniquin, as gurias desfilam com blusinhas e vestidos verde-amarelos, ou com um I love Brazil bem grande nos peitões. E nao adianta puxar papo em português, se esta usando roupas do Brasil, naturalmente é uma francesa.
As havaianas, como todos ja ouviram falar, é vendida a 30 euros o par, com a indefectivel bandeirinha do Brasil, claro. Nos campos de varzea, a camisa mais usada é, obviamente, a do Brasil. Caipirinha também tem presença certa na terra do vinho.
O cumulo pra mim foi, em duas das poucas oportunidades que ouvi radio, pegar o assunto Brasil na conversa. Na primeira, Jôrge Amadô, tupi or not tupi e Macunaima. Na segunda, Chicô Buarque, com a sua influencia na musica brésilienne, e de lambuja tocaram Essa garrrôta ta diferrrente.
Para completar, a revista da prefeitura desse mês traz como assunto de capa o quê? Isso mesmo, um "viva o Brasil" em letras garrafais, com alguma associação com o 14 de Julho (?). Claro que o Brasil dos franceses é muito mais bonito que o Brasil dos brasileiros, o paraiso onde as prais são lindas, as mulheres são lindas, a festa é o estilo de vida. Eu ja destrui os sonhos de algumas pessoas com declarações, verdadeiras claro, do "estilo de vida" do pessoal aê.
Enfim, o patriotismo é mais forte do que nunca para mim, num pais de sonho onde nasci. Pena que não é de verdade.
Para completar, estou me mudando, e amanha me instalo em Londres (vou esperar o Cazemiro se recuperar do infarte que esta sofrendo ao ler isto), para uma longa temporada. talvez os posts não sejam tão frequentes, nao por falta de assunto, mas por falta de dinheiro. Talvez recebam noticias minhas pela TV, caso um brasileiro for pego dirigindo bebado na mão contraria, e usando a desculpa de que tirou a carteira no Brasil. Aquele abraço. Can't buy me love, love, can't buy me love....

25 de junho de 2005


RAGE AGAINST YOU!


Tenho raiva. Não sei porque, mas sinto que algo em mim está contra você. Em breve saberás que não seremos mais os mesmos, não sentaremos juntos no banco da praça no domingo nem dividiremos o sorvete. Amanha estarei arrependido e tudo voltará ao normal.
Mas hoje sinto raiva.

22 de junho de 2005

Fête de la musique

O primeiro dia do verão europeu, 21 de junho, foi saudado com a famosa Festa da Musica, a qual tive o prazer de prestigiar. A Fête de la Musique trata-se de uma grande festa popular, que consiste em musica, musica e musica. Era isso que eu tinha pra falar, obrigado. Brincadeira, vamos la:

Como disse, é uma festa popular, lembrando em alguns aspectos o carnaval brasileiro, mas na minha opinião, com muitos fatores a favor. Começamos pela musica.
Não existe nenhum palco principal. As bandas se distribuem pelas ruas, esquinas e praças, no chao mesmo, ao alcance do publico. Estilos variados. Eu acompanhei com maior interesse um pessoal que tocou U2, uma bandinha de Jazz sensacional, uns ?beatles cover?, de qualidade duvidosa, e por curiosidade, ums figuras que tocavam musicas da Escocia, eu acho. Porém tinha para todos os gostos, era so procurar.

Quanto ao publico, o que os numeros impressionam: estimou-se um milhão de pessoas, de todas as idades (eu assisti o jazz ao lado de um casal que tinha facil seus 70 anos, e dançavam sem parar), e diferentemente do nosso conhecido carnaval, sem brigas muito menos assaltos. As senhoras andavam carregadas de joias, na madrugada, enquanto o pessoal curtia as musicas. Senti vergonha do nosso ?povo acolhedor?.

Os pontos negativos foram o horario de encerramento (ultimo metro 01 da manha, o pessoal trabalha no outro dia), e no meu caso especifico, a falta de abertura aos relacionamentos pelas francesas (me deem o desconto de que fui educado com 21 anos de carnaval/putaria brasilis). O preço das bebidas alcoolicas também estava alarmante.
Enfim, fica a dica: não morram antes de presenciar uma Fête de la Musique, seja qual for a cidade, visto que ocorre por toda a França. Experiência aprovadissima. Abraço.

20 de junho de 2005

UM dos três porquinhos.

17 de junho de 2005

Dos Mitos

Paises distantes são presa facil para folclores, principalmente se pejorativos. Quando a lingua local requer fazer biquinho, entao, nem se fala. Em quase um mês de França, posso relatar, como testemunha ocular, o que existe de realidade em lendas comuns no BR, sobre franceses. Vamos la:

01 - Do banho: Sim, francesas (e franceses também) tomam banho todo o dia. O chuveirnho, é, va la, de segurar na mao, mas ainda assim os habitos de higiene são preservados. O unico revés é na hora de escovar os dentes, depois do almoço. Pra eles, uma vez por dia, antes de dormir, basta.

02 - Do movimento homossexual: existe no imaginario popular a figura do francês viado, provavelmente por causa do biquinho, referido acima. O que pude constar é que são extremamete raras quaisquer manifestações gays, so nao sei se por falta de quorum ou por recato mesmo.

03 - Da arrogancia: balela. São em grande maioria simpaticos e solicitos, contanto que respeitados os seus limites de privacidade.

04 - Das calcinhas das francesas: acreditem: a maioria das gurias usa a popular "fio dental". Mais nada a declarar.

05 - Da aversão ao English: mito. Todos, eu disse todos, falam inglês, se nao fluente, inteligivel. E nao existe nenhuma ressalva nem vergonha ao utiliza-lo. Desde o gerente do banco até a guria do caixa do mercado, não tem erro.

06 - Do anti-americanismo: o unico sentimento real e sincero que eu pude constatar sobre os USA é de profunda admiração, acreditem. Logico que, como no Brasil, existe a bandeira do "Fora Bush", que aqui também é forte.

07 - Dos entorpecentes: os licitos, caros. Ilicitos, nao sei os valores. Mas tenho ouvido falar bastante em lsd e extase, o resto acho que nao impressiona mais ninguem, e nao é muito utilizado. Ah, a maconha dos arabes é famosa, bem como o haxixe.

Bom, era isso, não me ocorre mais nada no momento. Até mais.

Bonus Track: do dicionario de frases feitas, para franceses no BR: Ato de dispensar os serviços de alguém: Despache-se! (dépêchez-vous!)

15 de junho de 2005

Apresentação


Hola que tal? Apresentações se fazem necessarias? Bom, vamos la: quem vos fala é o Keanu, o correspondente do Catraca no velho mundo, direto (momentaneamente) do norte da França. De leitor ha integrante existe um grande caminho, e é vazio, de idéias, principalmente. Vou percorrer o rastro das curiosidades, constantes neste abismo que separa o primeiro e o terceiro mundo. Aceito sugestões. Agradeço a oportunidade de escrever neste zine cada vez mais cosmopolita, espero contribuir. Ja disse que aceito sugestões? Ja. Pois bem, ao trabalho!

14 de junho de 2005

dumpa pa pa pa...... pa pa pa pa pa

erros erros na transmissão da mensagem... dzi dzi

mantenho-me longe por mais algumas semanas.. zzzzzzuuuu

mas a está na hora de pintar a casa novamente, lembrem-se disso lOreto e Sr. Nada..

pois vocês também tem este poder... dzi dzi dzi tttttttchuuu

.... tuuuu tuuu tuu

9 de junho de 2005


"Nós somos os Borg. Baixem seus escudos e rendam suas naves. Nós adicionaremos suas distinções biológicas e tecnológicas à nossa. Sua cultura será adaptada para servir-nos. Resistir é inútil."