30 de junho de 2004



As loucas baladas dos paulistinhas endinheirados


Ecstasy, cocaína, maconha, champanhe, sexo grupal e muita arrogância.
A reportagem da AOL acompanhou uma balada da "Geração $", formada por
filhos da alta sociedade paulistana.

É meio comprido, então, quem tiver interesse que leia:

http://noticias.aol.com.br/revista/numero_16/16_capa_baladas.pdf

29 de junho de 2004



CERT desaconselha o uso do Internet Explorer

O grupo norte-americano de segurança na internet CERT (Computer Emergency Readiness Team, em inglês), publicou nesta segunda-feira (28/06) um estudo recomendando aos internautas que troquem de navegador e não utilizem mais o Internet Explorer (IE), da Microsoft.

Conforme divulgado na página do grupo, o CERT afirma que as razões para a troca de navegadores seriam as diversas falhas de segurança contidas no IE, como modelo de objetos DHTML, controles de ActiveX e zonas de segurança do browser da Microsoft.

O grupo recomenda a utilização de browsers outras fabricantes, como o Mozilla Firefox ou Opera para a diminuição significativa dos riscos de segurança.

Caso o usuário prefira manter o IE como seu navegador padrão, o CERT aconselha aumentar a classificação de segurança para Alta e desabilitar funções de JavaScript. As modificações podem ser feitas em Opções da Internet, dentro do menu Ferramentas.

Fonte: IDG Now!

Hehe, nada como as pílulas de alho...

28 de junho de 2004

"That's the problem with drinking, I thought, as I poured myself a drink. If something bad happens you drink in an attempt to forget; if something good happens you drink in order to celebrate; and if nothing happens you drink to make something happen."
Charles Bukowski
Botando o bloco na rua
Parada gay é um parque de diversões para a família

por Fabrina Martinez e Wagner
[ 17/06/2004 ]

São Paulo tem a maior parada gay do mundo com 1,5 milhões de participantes, conforme registrado pelos jornais brasileiros no dia 13/06. Bem, e daí? Quem realmente se importa com esse tal de orgulho gay? Eu, nem um pouco. Me importo com cidadania. Quem entra no quarto comigo só diz respeito à mim e não ao cara de terno azul marinho mal cortado que pode ser meu pai, meu irmão, meu tio ou o desgraçado que desconta o imposto de renda na fonte. Minha expectativa é que isso funcionasse assim com todos.

Para os GLBTs (Gays, Lésbicas, Bissexuais, Transgêneros) ? Alguém sabe onde raios foram parar os simpatizantes? - a parada é o momento absoluto da glória. Coturnos, chicotes, saltos de acrílico, purpurina e chapéus tomam as ruas, transformando todo paulistano que não está trajado como o Clóvis Bornay em ?diferente? por um dia. E assim forçam os ?diferentes? a aumentar ainda mais toda sua base de preconceito. Todo gay se transforma num marciano, ?Leve-nos a seu líder ou iremos vaporizá-lo?.

?Prazer, eu sou gay?. Foi assim que um menino me cumprimentou numa festa. ?Prazer, eu sou Fabrina?. Talvez fosse mais apropriado ter respondido ?Prazer, eu sou gente? ou jornalista ou um organismo com base de carbono, sei lá. O que dizer? Não vou escrever uma coisa besta como ?eu tenho milhões de amigos gays para bem mais forte poder cantar?, mas tenho sim, muitos amigos que não estiveram na parada em lugar algum. Por que? Ora, o que faz diferença na vida deles são os 364 dias restantes, quando não estão com um exército gay na retaguarda. Não há trocadilhos intencionais neste texto.

Aliás, 3 anos atrás, essa parada parecia legal. Conversando com meu primo, um desses tipos exóticos que acredita em bom senso, percebi que essa reunião é a hora da louca da sociedade. O papai segura na mão da mamãe e dos filhinhos e vai em direção às aberrações. Sim, o circo dos horrores em desfile na Paulista, aquela gente que precisa de licença do Ibama para andar com aqueles cabelos. As pessoas que estão lá, não estão apenas por apoio ou solidariedade (alguém já tem notícias sobre o paradeiro dos simpatizantes?), mas sim por curiosidade. A curiosidade de ver dois homens se beijando, de ver mulheres que gostam de mulheres, de homens que gostam de mulheres a ponto de se tornarem outras mulheres.

E eles ficam ali, parados, com a boca rosa de algodão doce enquanto a massa raivosa e maquiada passa em direção a lugar algum. Orgulho não se maquia, não se veste de Teletubbie e não sai para comemorar algo fantasiado de astronauta cor-de-rosa. Orgulho é aquela coisa sem rédea que faz com que as pessoas reajam de forma sensata e inteligente a agressões. Dia do orgulho gay é todo dia. Dia como aquele é o período em que a rainha louca decide comemorar seu desaniversário cortando cabeças. Nem mesmo aquelas cartas seriam capazes de apaziguar a ira dos que se julgam diferentes.

Na véspera da festa, um gay nos convida para uma articulação política em que os direitos dos homossexuais serão preservados. Mas direitos não são direitos? Até onde o que se cobra não é apenas uma sociedade politicamente correta onde um aleijado é um deficiente físico, um fofinho se tornou obeso mórbido e um negro um afro-americano. As coisas andam confusas por esse lado do buraco. Meu primo diz que para ser gay tem é que ser muito homem. Ele não anda de mãos dadas na rua e nem participa do orgulho gay. E há 3 anos atrás isso me soou quase como uma aberração. Hoje, eu vejo que o orgulho gay se estende pelos 364 dias.

E aquilo que vimos na rua, é tão apenas a hora da louca. Quando a sociedade enxerga e aceita por um dia o que ela prefere não lembrar depois. Certo estava Nelson Rodrigues, se todo mundo soubesse o que o outro faz na cama, ninguém falaria com ninguém.

Fonte: Fraude


Embrapa anuncia morte de clone do clone

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) anunciou hoje a morte da bezerra Vitoriosa, o animal que havia sido clonado a partir de células da primeira vaca clonada no Brasil, Vitória. Conforme os técnicos, Vitoriosa morreu por choque cardiogênico causado por hipertensão arterial.

A bezerra havia nascido no último dia 5 de fevereiro apresentava crescimento e quadro fisiológico normais.

Fonte: Nossos Sustentadores
Ever tried. Ever failed. No matter. Try again. Fail again. Fail better.
Samuel Beckett (1906-1989)

25 de junho de 2004

Format: CD | Release date: 2002 | Price: $15.99

CD dos elefantes na selva Thai, que mistura instrumentos musicais especialmente projetados à música dos elefantes. Os elefantes improvisam a música eles mesmos. A The Thai Elephant Orchestra foi fundada por Richard Lair do Thai Elephant Conservation Center de Lampang e do compositor Dave Soldier. A maioria dos lucros desta gravação serão destinados ao centro de conservação dos elefantes. O CD inclui um livreto colorido de doze páginas que detalha o projeto.


Baixe Thung Kwian Sunrise e
Temple Music


Fonte: Mulatta Records
"Não confunda as grandes obras do mestre Picasso
Com a grande pica de aço do mestre de obras!! "
(Anônimo - mas eu aprendi com papai)


Fabuloso!
Fabuloso!
Eu não teria dito melhor!!

24 de junho de 2004


Filhos provocaram desenvolvimento de hominídeos

Dois pesquisadores espanhóis pretendem subverter a teoria da evolução dos hominídeos. Laureano Castro e Miguel Angel Toro afirmam que o salto evolutivo aconteceu graças à nova capacidade de aprovar e desaprovar a conduta aprendida pelos filhos. Até agora acreditava-se que isto se devia à habilidade de imitar comportamentos que contribuíam para a sobrevivência.

O estudo sugere que a capacidade de aprovação e desaprovação era própria de alguns hominídeos que eles chamam "assessors" (conselheiros). Sua tese é que foi precisa essa capacidade para transformar a aprendizagem social dos hominídeos, que gerou culturas rudimentares como as de algumas povoações de chimpanzés, em um sistema de herança cultural acumulativa similar ao humano.

Os "assessors", podiam transmitir informação sobre o valor das condutas de uma geração à seguinte, "fazendo a aprendizagem social mais precisa e menos custosa", afirmou Castro. A reprovação ajudava a modificar as condutas mal imitadas e os pais transmitiam assim informação sobre o que não se devia fazer, "facilitando a rejeição de determinadas condutas sem necessidade de experimentar suas conseqüências negativas", acrescentou. Segundo Castro, a aprovação favorecia a implantação de condutas "cuja avaliação positiva é difícil para o indivíduo que as experimenta e atuava como um reforço eficaz para sua aceitação".

Estes especialistas do departamento de Melhoria Genética Animal do Instituto Nacional espanhol de Pesquisa e Tecnologia Agrária e Alimenticia, elaboraram um modelo matemático explicativo de sua teoria. Este sugere que, em um palco evolutivo hipotético com uma coexistência de hominídeos imitadores e "assessors", os genes destes últimos se propagaram entre a população e deslocaram os exclusivamente imitadores.

A proposta de Castro e Toro, publicada na revista científica americana Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS), representa uma alternativa aos modelos clássicos utilizados no campo da evolução da cultura, que concebem a transmissão cultural como um sistema essencialmente de réplica baseado em uma imitação eficiente. Os pesquisadores espanhóis consideram que a transmissão da avaliação conferida à conduta aprendida entre pais e filhos é um processo cultural novo, ausente em primatas não humanos, que deve ser considerado como a modalidade primária de ensino. As repercussões de seu modelo, disse Castro, são "fundamentalmente teóricas" e incidem de maneira direta sobre a análise dos fatores responsáveis da aparição do ser humano.

Fonte: Terra


Médicos descobrem mutação genética em bebê alemão

Médicos alemães descobriram uma criança que possui uma mutação genética em seus músculos. O bebê desenvolveu músculos fortes nos braços e pernas que o possibilitam levantar pesos de três quilos com os braços estendidos, algo que muitos adultos não conseguem fazer. Os músculos têm o dobro do volume do que os de crianças da mesma idade.

Uma análise de DNA demonstrou a causa de sua musculatura: seu organismo possui uma mutação genética que estimula o crescimento muscular. A descoberta, que aparece na edição de quinta-feira da revista "New England Journal of Medicine", representa o primeiro caso humano documentado com tal mutação.

Muitos cientistas acreditam que o descobrimento possa conduzir à elaboração de drogas para o tratamento de distrofia muscular e outras doenças que destróem os músculos. Essa droga despertaria também o interesse de muitos atletas, que desejariam melhorar seu rendimento muscular.

A mutação genética da criança bloqueia, segundo os médicos, a produção de uma proteína chamada miostatina, que limita o crescimento muscular. Há sete anos, investigadores da Universidade Johns Hopkins de Baltimore criaram um super rato ao suprimir a ação do gene responsável pela elaboração de miostatina nas células do organismo.

"Agora podemos dizer que a miostatina atua da mesma maneira nos seres humanos do que nos animais", disse o médico da criança, Markus Schuelke, do Departamento de Neurologia Infantil do Centro Médico Universitário/Charité de Berlin. "Podemos aplicar esse conhecimento nos seres humanos, inclusive em terapias para a distrofia muscular", acrescentou.

Dado o enorme potencial do mercado para tais substâncias, os pesquisadores de universidades e laboratórios tratam de já encontrar uma fórmula para limitar a quantidade e a atividade da miostatina no organismo. O laboratório Wyeth desenvolveu provas clínicas com um anticorpo destinado a neutralizar a miostatina.

O médico Lou Kunkel, diretor do programa genoma do Hospital Infantil de Boston e professor de pediatria e genética na Escola Médica de Harvard, disse que em um prazo de alguns anos pode-se ter êxito com tais provas.

Fonte: Terra


Raças humanas podem ser cientificamente definidas

Contrariando a idéia defendida desde meados do século XX, "podemos definir cientificamente as raças da espécie humana", afirmam três pesquisadores americanos em um artigo que será publicado amanhã pela revista francesa La Recherche.

No artigo "As raças humanas existem?", Marcus Feldman, do departamento de biologia da Universidade de Stanford; Richard Lewontin, do museu de zoologia comparada da Universidade de Harvard; e Mary-Claire King, do departamento de genonomia e medicina da Universidade de Washington, lembram que nos últimos 50 anos a raça foi definida pelas "diferentes características dos indivíduos dentro de uma espécie".

A partir de 26 de junho de 2000, quando os cientistas decifraram 95% da seqüência do genoma humano, "pudemos reagrupar as pessoas segundo as regiões geográficas de que tiveram origem", destacam os especialistas.

Os estudos mostram que, na realidade, "a variação genética está essencialmente no interior de cada grupo e muito pouco entre os grupos". Além disso, "as diferenças genéticas entre as regiões geográficas são muito tênues, em comparação as observadas dentro de cada população local".

Estas afirmações relançam o debate sobre a polêmica teoria da existência de raças humanas, lembrando que a definição das raças em si não representa nenhum perigo, mas sim a interpretação que se pode fazer disso.

Os autores do estudo reconhecem que "o uso que se pretende fazer em medicina de uma classificação por raças é suspeito". Se as raças podem realmente ser definidas, isso não significa que será sempre pertinente usar estes critérios em medicina: "Se nós queremos utilizar com eficácia o genótipo para fazer diagnósticos, não é a raça que importa, mas as informações sobre o passado do paciente", concluem os três pesquisadores.

Fonte: Terra


Mosaico completa informações sobre lua de Saturno

A sonda espacial Cassini-Huygens realizou uma série de imagens da lua de Saturno Phoebe, da qual ficou a cerca de dois mil quilômetros. A passagem ocorreu antes do ingresso da nave na órbita de Saturno, programada para 1º de julho.

Seis das imagens de alta resolução captadas da pequena lua foram colocadas juntas para criar um mosaico divulgado pela Nasa que traz detalhes mais exatos da topografia irregular de Phoebe. No lado esquerdo, as sombras ressaltam as entradas no solo da lua. Trata-se das bordas de crateras e picos de montanhas sendo atingidos pela luz do do nascer do sol.

Ontem, a Nasa informou que a lua negra de Saturno é um fóssil congelado que nasceu nos primeiros momentos do Universo, há quatro bilhões de anos, segundo os dados transmitidos pela sonda espacial Cassini-Huygens. Acredita-se que a Phoebe tenha tido origem em um dos cantos mais remotos do Universo, fora do Sistema Solar.

A nave espacial realiza uma missão conjunta entre a Agência Espacial Européia e a Nasa, iniciada há sete anos.

Fonte: Terra


Astrônomos recriam sons do início do cosmo

Astrônomos recriaram os sons do início do Universo, mostrando que ele não nasceu com uma explosão, mas com um quieto sussurro que se transformou em um rugido tedioso. Mark Whittle, da Universidade da Virgínia, nos Estados Unidos, analisou a chamada radiação de fundo, que nasceu 400 mil anos depois do Big Bang.

Ondulações na radiação são como ondas de som se propagando pelo cosmo. No primeiro milhão de anos, a música do cosmo mudou de um acorde vibrante para um mais sombrio.

"Foi realmente uma coisa óbvia a fazer", disse Whittle. "Estou surpreso que ninguém tenha feito isso antes." Essas ondas de som cósmicas são 55 oitavas abaixo do que o ouvido humano pode ouvir. Mas quando elas são transferidas para regiões do espectro audível, o choro do nascimento do universo pode ser ouvido. Um som comprime o primeiro milhão de anos do Universo em apenas cinco segundos.

Whittle acredita que ouvir os sons do cosmos dá uma perspectiva única sobre a evolução do Universo. "Eles aproximam o ouvinte de uma maneira diferente do que as imagens fazem", disse Whittle. "Ouvindo esses sons eu tenho que dizer que o Universo é como um instrumento musical de má qualidade", disse.

Fonte: Terra

23 de junho de 2004

Cultura de Massas e Acarajé

Lendo um livro sobre a tropicália (Antropofagia e Tropicalismo - Editora da UFRGS) encontrei algumas citações de Caetano - FAN-TÁS-TI-CAS . Adorei a lógica e a simplicidade do pensando do poeta chapado, sim pois era assim que o imaginava na época da Tropicália, como um louco e bobo jovem cantor, com suas idéias, sim, mas jamais imaginei que ele pudesse ser tão surreal assim. Procurando nas referências, encontrei a fonte - Revista Bondinho de 1972 - e utilizando dos meios cibernéticos, encontrei a tal da entrevista. Confira ela na íntegra aqui.

"Caetano Veloso, entrevistado pela revista alternativa Bondinho, em 1972, comentava as transformações por que passaram os acarajés vendidos em Salvador como resultado da "Turistização" (sic) da cidade. O acarajé, primitivamente, era feito com feijão fradinho descascado e ralado em uma pedra especial - a mesma que se usava na África. Mas, na Salvador turística de Caetano, até o liquidificador estava sendo empregado para ralar o feijão. O acarajé, por consequência, ficou maior e menos requintado, e em alguns tabuleiros já se oferecia Ketchup como acompanhamento.

Embora admitisse ter saudades do acarejé tradicional, Caetano ressaltava: "voçê não pode exigir que aquelas pessoas passem o dia inteiro para fazer cinco acarajés e morrer de fome, só porque é mais bonito e culturalmente mais puro" [..]" (Maltz, Bina Friedman, Jerônimo Teixeira, and Sérgio L. P. Ferreira. Antropofagia e tropicalismo. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 1993)


Sobre Bondinho

"Esta publicação ? símbolo de vanguardismo jornalístico no começo dos anos de 1970 - foi pescada a módicos R$ 5,00 em um sebo do centro de São Paulo. Estava lá, deitada, ao lado de uma pilha de parentes pálidos e quebradiços. No Gafieiras, o espanto que causou foi unânime. Tanto por seu conteúdo ? este número ainda contém entrevistas com Luiz Gonzaga, Batatinha e com o diretor de teatro Victor Garcia ? quanto por sua irreverente concepção gráfica.

Depois soubemos que a Bondinho ? surgida como uma publicação da cadeia de supermercados Pão de Açúcar - teve uma vida tão breve quanto revolucionária. A intenção original era fazer uma revista como a Rolling Stone para falar de contra-cultura e de outras bossas, mas a falta de anunciantes minou os esforços da equipe editorial, que trazia entre seus editores-chefe Mylton Severiano e na editoria de fotografia, Cláudia Andujar. Walter Firmo assina o incrível retrato de Caetano na capa."
Nova York. 1977. Um quarto de hotel vagabundo. Garrafas e seringas espalhadas pelo chão imundo. Cheiro de vômito. Sangue espirrado pelas paredes. Sobre um sofá estampado com
uma imitação de pele de leopardo, uma garota seminua, envolta em plumas e coberta de
maquiagem barata adormece enquanto um rapaz esguio, vestindo um jeans surrado e com uma aparência de ressaca entorna o último gole de uísque barato. Ele então enrola um baseado de haxixe. O barulho do trânsito e uma discussão entre prostitutas e policiais vindos da rua acordam a jovem. Ela acende um cigarro. O odor exalado pelo cigarro mistura-se ao do baseado. Alguém bate na porta. Esse alguém tem uma arma. Ele atira no peito do rapaz, que cai no chão e o sangue jorra por todos os lados. O homem com a arma aparenta uns trinta e três anos, veste uma camiseta da CBGB e exibe em seu antebraço a tatuagem de uma garota em trajes de marinheira com os dizeres "bon voyage". A garota e o homem se encaram. Subitamente, ela puxa um canivete de seu coturno e ataca o sujeito, que se esquiva e lhe acerta um murro na cara. O nariz da garota sangra. O homem aponta-lhe a arma no meio da testa e dispara. Ele pega o baseado, ainda aceso, e dá uma tragada forte. O barulho de tiros dá lugar ao som de alguma banda de glam rock que ensaia no apartamento de cima. Eles usam maquiagem e se vestem com trajes femininos. Eles vão ser um sucesso. Ao menos, foi o que um tal de Malcom McLaren lhes havia dito.

22 de junho de 2004

Chacrinha continua balançando a pança!!

Ah mundo tão belo e nostálgico, queria eu ter acordado hoje em uma bela praia de Ipanema, sendo uma linda e espontânea garota bronzeada. Cercada de amigos musicais, ensaiaria até algumas cordas.

Banho de mar, banho de som, à noite, banho de loucuras. As mais doidas e fantásticas e lindas histórias, contaria para meus filhos hoje. Meus filhos de muitos homens que teria, todos eles com um dom diferente, um dom artístico, um dom maravilhoso.

Tudo assim, tudo o que eu quiser, teria feito tudo. Ido à Paris, usado todas as drogas, beijado todas as mulheres mais lindas e alegres, escrito um canção, feito a capa de um livro.

E sairia de casa todos os dias, pronta para não voltar, cheia de sonhos, de críticas, de ideologias. Gritaria e correria pelas ruas. Diria 'Adeus mamãe' todos os dias.

Amor.


18 de junho de 2004



"Samurai" alemão causa pânico perto de Berlim

Um alemão com roupas camufladas e brandindo uma espada samurai atacou pelo menos sete pessoas em um bosque no oeste de Berlim. De acordo com a polícia, ele mostrou truques com a espada antes de mandá-los embora do local.

Suspeita-se que o homem seja um morador local de 46 anos, com treinamento em artes marciais e em sobrevivência na selva em acampamentos de Papua Nova Guiné e do Vietnã. "Ele é perigoso e está difícil encontrá-lo, porque está camuflado", disse Catrin Feistauer, porta-voz do Departamento de Polícia de Nauen.

O homem empurrou da bicicleta dois idosos e, brandindo sua espada, ordenou a eles que saíssem da floresta. Mais tarde ele tentou tirar um jovem casal do mato. Ninguém ficou gravemente ferido. "É assustador porque o nível de violência vem crescendo", disse Feistauer.

Fonte: Terra




Uso de drogas ainda é considerado baixo

Dados utilizados pela Secretaria Nacional Antidrogas mostram que 19,4% da população brasileira já fez uso na vida de drogas. O percentual calculado em pesquisa realizada pelo Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas (Cebrid) exclui o consumo de álcool e tabaco. Segundo o Cebrid, nos Estados Unidos este percentual é de 38,9%.

A maconha lidera o uso das drogas, 6,9% dos entrevistados pelo Cebrid em 2001 nas 107 maiores cidades brasileiras revelaram já ter consumido a droga. Este percentual é de 34,2% nos Estados Unidos, 25% no Reino Unido, 24,3% na Dinamarca e 16,6% no Chile. O uso no Brasil é maior que na Bélgica (5,8%) e na Colômbia (5,4%). O uso de heroína foi apontado por 0,1% dos entrevistados, dez vezes menor que nos Estados Unidos (1,2%).

Mesmo no consumo álcool, que cresceu 155% nos últimos 40 anos, a média nacional (4,8 litros per capita ao ano) é menor que de franceses (20,31 litros), ingleses (9,9 litros), argentinos (9,6 litros), americanos (9,1 litros) e Chilenos (6 litros). O governo federal lança hoje VI Semana Nacional Antidrogas.

Fonte: Terra
O JUMENTO
Chico Buarque (Brazil) - 1977

Jumento não é
Jumento não é
O grande malandro da praça
Trabalha, trabalha de graça
Não agrada a ninguém
Nem nome não tem
É manso e não faz pirraça
Mas quando a carcaça ameaça rachar
Que coices, que coices
Que coices que dá

O pão, a farinha, o feijão, carne seca
Quem é que carrega? Hi-ho
O pão, a farinha, o feijão, carne seca
Limão, mexerica, mamão, melancia
Que é que carrega? Hi-ho
O pão, a farinha, o feijão, carne seca
Limão mexerica, mamão, melancia
A areia, o cimento, o tijolo, a pedreira
Quem é que carrega? Hi-ho

Jumento não é
Jumento não é
O grande malandro da praça
Trabalha, trabalha de graça
Não agrada a ninguém
Nem nome não tem
É manso e não faz pirraça
Mas quando a carcaça ameaça rachar
Que coices, que coices
Que coices que dá
Hi-hooooooooo


17 de junho de 2004

Simplesmente outro dia.
Não é triste quando os dias são simplesmente dias.
















Cientistas anunciam avanços no teletransporte



Cientistas da Áustria e dos Estados Unidos dizem ter conseguido teletransportar as propriedades de um átomo para outro, um feito que torna mais próximo o sonho dos ultra-rápidos computadores quânticos. A experiência é descrita em um artigo que será publicado amanhã na revista científica britânica Nature.

A experiência é muito mais prosaica do que o teletransporte de pessoas nos filmes de ficção científica, e consiste na transferência de assinaturas chave de um átomo para outro átomo vizinho, em condições controladas em laboratório. Mas, para os cientistas, este é um grande passo rumo aos computadores de nova geração, capazes de realizar funções maiores e mais complexas com maior velocidade.

Os computadores quânticos "podem usar elementos de processamento central menores que um cubo de açúcar para realizar cálculos complexos que atualmente são impossíveis de fazer", informou o Instituto Nacional de Padrões e Tecnologia (NIST) dos Estados Unidos, que participou da experiência. Eles poderiam ser usados para decifrar códigos, revolucionar a busca de dados e desenvolver novos produtos, tais como assinaturas digitais à prova de fraude.

Estes resultados "representam um passo significativo rumo a tornar o processamento da informação quântica uma realidade", explicou o físico Rainer Blatt, da Universidade de Innsbruck. As propriedades transferidas para a experiência são os chamados estados quânticos do átomo: sua energia, rotação, seu movimento, campo magnético e outras propriedades físicas.

A chave consiste num fenômeno, discutido pela primeira vez 70 anos atrás na teoria de Einstein, chamado entrelaçamento quântico (quantum entanglement), no qual duas partículas manipuladas por uma fonte coerente de luz, como o raio laser, podem se comportar como "gêmeos físicos". Mesmo quando estão separadas, um distúrbio numa partícula afeta a outra, uma anormalidade, chamada entrelaçamento, que Einstein apelidou de "fantasmagórica ação à distância".

Os pesquisadores usaram átomos de berílio carregados positivamente, que foram presos num campo de íons, e usaram lasers para manipular seus estados quânticos. O primeiro passo foi "enredar" dois átomos. Suas propriedades quânticas foram precisamente medidas (fazer isto destrói o estado quântico original) e estas propriedades foram replicadas a laser num terceiro átomo, localizado a oito mícrons de distância, o qual levou apenas quatro milisegundos para fazer a operação controlada por computador, com sucesso de 78%.

O feito marca o progresso rumo ao armazenamento, processamento e a recuperação de dados em alta velocidade. O teletransporte quântico foi evocado pela primeira vez em 1993 pelo pesquisador da IBM Charles Bennett, que propôs usar o entrelaçamento para transferir o estado quântico de um átomo para outro.

Fonte: Terra Ciência

16 de junho de 2004


"Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos!

Alguns deles não procuro, basta-me saber que eles existem. Esta mera condição me encoraja a seguir em frente pela vida...mas é delicioso que eu saiba e sinta que os adoro, embora não declare e não os procure sempre..."

(Vinícius de Moraes)

Blecaute na Web afeta grandes sites e portais

Um problema no sistema de domínios da rede produziu hoje blecautes em sites como Yahoo, Google, Microsoft e Apple, que ficaram inacessíveis durante duas horas, informou a companhia Keynote Systems. Boa parte dos sites mais populares do mundo ficaram inacessíveis durante pouco mais de duas horas (das 9h30 até as 11h45 de Brasília, aproximadamente).

A companhia afirmou que o blecaute se deveu a erros no sistema de domínios da Akamai Technologies, companhia que se encarrega de atribuir a cada nome sua correspondente direção numérica na internet.

Alguns especialistas informaram que poderia tratar-se de um ataque DDoS (que consiste em derrubar um site com milhões de pedidos), mas as causas ainda não foram esclarecidas.

Um dos afetados foi o serviço de e-mail gratuito da Yahoo, que a partir de hoje oferece 100 Mb de armazenamento e que, segundo o site News.com, continua passando por problemas.

Fonte: Terra

Código explora bug grave do kernel do Linux

Um código simples executado por usuários sem acesso "root" (administrativo) pode travar algumas versões de kernel do Linux (componente central de processamento do sistema operacional) e comprometer o funcionamento de todo o sistema. O problema, analisado pelo site Linux Reviews, é especialmente perigoso para usuários de sites em ambientes compartilhados vulneráveis, como os oferecidos a preços baixos pela maioria dos provedores de hospedagem.

O Linux Reviews afirma que o código já vem sendo utilizado contra provedores mal configurados, abertos ao ataque. Os usuários precisam ter apenas acesso FTP e a possibilidade de executar o programa em C em ambiente CGI-BIN. A falha atinge apenas arquiteturas X86 e AMD64 do Linux, mas o kernel da maioria das distribuições do sistema é vulnerável.

O site também publicou alguns tutoriais passo-a-passo para corrigir o problema em diferentes versões de kernel. O Centro de Atendimento a Incidentes de Segurança (CAIS) publicou um alerta em português sobre o problema.

Fonte: Terra

15 de junho de 2004



Abelhas não gostam de trabalhar

A idéia difundida popularmente de que as abelhas são muito aplicadas e laboriosas é inteiramente falsa, afirmou hoje o neurobiólogo e zoólogo alemão Randolf Menzel, premiado recentemente pela Sociedade Alemã de Zoologia por um trabalho de pesquisa sobre esses insetos. "As abelhas, na realidade, não querem nada com o trabalho, dormem muito e são muito preguiçosas", disse Menzel, catedrático da Universidade Livre de Berlim.

De acordo com ele, à noite, durante 80% do tempo as abalhas passam dormindo e mesmo durante o dia voltam freqüentemente às colmeias, onde deixam cair as asas durante muito tempo. Entretanto, Menzel também descobriu que as abelhas aprendem rapidamente e com surpreendente segurança a reconhecer os diferentes aromas das flores e que têm cinco fases de memória.

O cientista, que pesquisa há 40 anos esses insetos himenópteros, constatou que na aprendizagem, as abelhas seguem o mesmo padrão de conduta de outros animais e inclusive do homem, costumando aprender mais rápido quando recebem uma recompensa por isso. "Se a abelha é premiada uma vez por determinado comportamente, o fato é mantido em sua memória por uma semana. Se for recompensada três vezes, não se esquecerá disso pelo resto da vida", afirmou Menzel.

Com sua extraordinária memória, as abelhas podem diferenciar muitas tonalidades de cores e perfumes na natureza. "É interessante comprovar também que o que agrada às abelhas, é também agradável ao homem", afirmou. Além das três fases normais de memória (curta, média e longa), as abelhas guardam lembranças de processos de longa data, segundo comprovou o cientista com análises biomoleculares na rede de neurônios do cérebro desses insetos.

Fonte: Terra

or
dor
odor
pudor
sem dor
em dor
edor
dor
or




14 de junho de 2004




"As pessoas precisam aprender que elas podem ser diferentes se quiserem. Se eu puder apontá-los para a direção certa, eu o farei, pois por causa da religião, muitas pessoas se sentem culpadas por serem elas mesmas. Há um mundo inteiro, com pensamentos livres, idéias próprias, enfim, de individualidades, que precisa ser urgentemente explorado! As crianças devem saber que não estão sozinhas. Por ser tão extremo, quero dizer que qualquer um pode viver fora da sociedade e ter sucesso. Não estou dizendo 'seja como eu', e sim liberte-se e seja você. E eu tenho certeza que os garotos me entendem"


Não imaginava que um espião fosse tão barato



Governo discute medidas contra suposto espião


A equipe do presidente Luiz Inácio Lula da Silva se reunirá hoje com o general Jorge Armando Félix, do Gabinete de Segurança Institucional, para analisar medidas que serão tomadas sobre a existência de um suposto espião dentro do Palácio do Planalto. De acordo com a revista Veja, um alto funcionário que atua como assessor ministerial estaria repassando informações sigilosas e intrigas do poder a terceiros, adversários políticos do ministro da Casa Civil, José Dirceu, e da prefeita de São Paulo, Marta Suplicy.

De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, assessores do presidente consideraram "grave" a informação. O temor no governo é que a revelação acabe amplificando a crise de relacionamento entre ministros na semana de votação, no Congresso, da medida provisória que fixa o salário mínimo em R$ 260. A reportagem da Veja diz que a presença do "araponga" foi descoberta há dois meses, mas o governo ainda não conseguiu descobrir sua identidade. Sabe-se apenas que ele trabalha para a Agência Brasileira de Inteligência (Abin). Além de colaborar com adversários do governo, o espião também pode estar querendo pescar segredos do poder para galgar postos na administração pública.

As investigações do governo apontam para dois suspeitos, ambos funcionários da Abin com trabalhos para o tucano José Serra no currículo. O espião teria recebido R$ 10 mil para começar o trabalho e agora embolsa R$ 2,5 mil por mês.
Fonte: Terra

9 de junho de 2004



Gilberto Gil no show no Santander Cultural em Porto Alegre durante o Fórum de Sóftware Livre


Claudio Prado em uma foto muito bem batida :-)

8 de junho de 2004

F E D O R E N T O
Sobre Celebridades

Recentemente participei de um evento bastante peculiar. As pessoas que lá compareceram tinham interesses diferentes. E a maior parte delas, tinha algo especial, contribuía de maneira única para o desenvolvimento da tecnologia, ou seja, de certa forma, contribuía à toda humanidade. Entre essas pessoas, existiam também aquelas que era mais especiais ainda, por terem feito algo grande, algo que as demais pessoas admiravam. Mas elas acabavam por se misturar à massa 'normal' do evento. E nessa mistura muito louca, é que brotava conhecimento. Comendo pastéis, tomando café, nesses momentos em que juntavam-se todas aquelas pessoas, é que algo realmente fantástico acontecia. Criava-se um mundo inteiro de idéias.

No penúltimo dia do evento, compareceria uma celebridade nacional - lembrem-se de todas as pessoas especiais de que falei, não só do Brasil, mas de todo o mundo - que faria um discurso na última palestra do dia. Na chegada deste meu grande ídolo, não havia ninguém na recepção, a não ser milhares de seguranças e dezenas de organizadores, mas as demais pessoas, não estavam lá, estavam em outros lugares mais interessantes, com suas próprias celebridades, trocando idéias, produzindo.

Formaram então um imenso cordão de segurança impenetrável para o grande vazio do saguão, eis que a celebridade fez um discurso (um lindo discurso sem dúvida) e sai correndo envolta em grandes homens mal-encarados.

Que triste isso, vcs já imaginaram quantas idéias poderiam ter nascido ali, do encontro dessas maravilhosas pessoas. De um breve café, um salgado de pé no corredor. Ninguém iria atacar a 'grande celebridade', pelo contrário, todos iriam ouvir e falar, e produzir produzir produzir!

Já imaginaram um encontro de Juan Carlos Gentile, Gilberto Gil e Hermano Vianna? Eu poderia fazer centenas de combinações com todas as pessoas maravilhosas que estavam lá, mas nenhuma foi possível, pela ignorância e falta de sensibilidade de algumas pessoas. Perdeu-se um momento único na história, e muitas coisas boas que poderiam ter nascido com ele.

7 de junho de 2004

I AM 62% EVIL GENIUS!
62% EVIL GENIUS
Evil courses through my blood. Lies and deceit motivate my evil deeds. Crushing the weaklings and idiots that do nothing but interfere in my doings.

3 de junho de 2004


Caligrafia


Os mestres por vezes, demoravam anos e anos, para grafar textos de obras literárias sagradas importantes as quais eram escritas sobre o couro de carneiro ou papiro vegetal, e eram encadernadas em couro especial, com inscrições em ouro.
Algumas dessas valiosíssimas obras, encontram-se ainda em exposição em famosos museus europeus e asiáticos.

A época Renascentista mudou drasticamente a tradição da escrita européia, por todo o continente. Apenas um país, resistiu bravamente aos seus costumes e tradições e manteve-se firme e fortemente; dando ainda mais ênfase à escrita GÓTICA. Esse país era a Alemanha. Por isso a denominação até os dias de hoje: CALIGRAFIA GÓTICA ALEMÂ.
A Renascença, em toda a sua revolução cultural na Europa, nos séculos passados, fez muito mais do que reverter os estilos artísticos. Em sua fase inicial, foi um movimento de curiosidade intelectual sem limites, ou seja, a marca de uma qualidade humanística. Esta sempre foi uma qualidade, do ser humano predominante nesta revolução cultural.

No século XV, a igreja era incumbida da tarefa de lecionar para o povo em geral. Ela dominava o mestrado das artes, da ciência, enfim do conhecimento em geral.
A caligrafia artística foi desenvolvida principalmente pelo clero, na propagação das artes e ciências. Esta é uma das heranças culturais e artísticas da Igreja.

Fonte: Caligrafias.com.br

2 de junho de 2004


Hackers em guerra contra os EUA falam ao Estadão


Entre outras incríveis revelações, eles contam ter recebido um reforço importante. Trata-se de um oficial das Forças Armadas norte-americanas que estaria ligado a Al-Qaeda.

O grupo Hackers Against America (HAA), que declarou guerra digital aos Estados Unidos na semana passada, já tem mais de 20 "soldados" em todo o mundo. A última aquisição seria um oficial graduado das Forças Armadas norte-americanas, de origem russa, que diz ter ligações com a Al-Qaeda de Bin Laden.

O novo membro do HAA, não identificado por razões óbvias, conta que, na década de 70, seu pai ajudou agentes da CIA, enviando-lhes documentos secretos sobre a KGB. Pouco tempo depois, seu avô, membro da KGB, foi assassinado por aqueles agentes. Com medo de uma represália, ele e o pai migraram para os Estados Unidos.

"Tornei-me cidadão americano mas nunca esqueci o que aconteceu com meu avô. Na primeira chance entrei para o exército com o objetivo de vingar a morte dele. Hoje, envio informações secretas para vários grupos terroristas", diz o hacker em sua prova de fogo para ingressar no HAA.

O novo membro do grupo conta ainda que o presidente Bush não só tinha conhecimento das torturas dos prisioneiros iraquianos mas também endossou-as. Como evidência de que todo o seu relato é verdadeiro, o hacker enviou ao HAA documentos confidenciais, que serão divulgados oportunamente.

OS ALVOS DO HAA

O objetivo do HAA é espalhar dicas sobre invasão de sites, ensinar como criar vírus e trojans para infectar servidores do governo norte-americano e roubar-lhes dados secretos. Seus fundadores são Sombrio, do Brasil; Hyruga, de Hong Kong; Rasputin, da Rússia; e Tyrece, da China. Depois de uma troca de e-mails, eles concordaram em falar, com exclusividade, ao portal do Estadão sobre suas atividades. Confira.

Estadão - Que tal um pequeno perfil pessoal do grupo. Vocês trabalham, estudam? Qual é a idade de cada um?

HAA - Sombrio tem 20 anos e trabalha numa empresa de telcomunicações. Hyruga tem 32 anos e é contrabandista. Rasputin, 21 anos, e Tyrece, 19, são estudantes.

Estadão - Como se desenha o cenário das atividades hackers na atualidade?

HAA - Bem, nós achamos que a maioria dos hackers de hoje não têm um objetivo claro. Alguns querem desfigurar páginas para ganhar fama e dinheiro, roubando dados de correntistas de bancos, cartões de crédito, etc. Bem poucos têm interesses políticos e sociais como o nosso grupo.

Estadão - Por que vocês decidiram declarar guerra digital aos Estados Unidos?

HAA - Porque desde as bombas atômicas lançadas sobre Hiroshima e Nagaski, os Estados Unidos não param de infligir dor e sofrimento ao mundo todo. Eles controlam o planeta e têm arruinado a vida de muitas nações. Além disso, interferem em conflitos fora de seu território, com falsos interesses. Onde estão, por exemplo, as armas nucleares do Iraque? O que eles querem é o petróleo iraquiano. Os únicos que podem enfrentá-lo são os grupos terroristas e nós vamos ajudar esses grupos. Isso não quer dizer que a gente concorde com a matança de inocentes. Nosso propósito é causar danos à economia norte-americana.

Estadão - Quais são os seus alvos nos Estados Unidos?

HAA - Os principais são a Casa Branca, o FBI, a CIA, agências militares e contra-terroristas. Os secundários são o Serviço Social, os Correios e o que mais irá causar-lhes dor de cabeça: Wall Street.

Estadão - Seria uma Pearl Harbour eletrônica?

HAA - Por aí. Quer dizer, pretendemos ferir a imagem e o bolso dos Estados Unidos.

Estadão - Comenta-se que alguns administradores de provedores de acesso à internet recebem propina para abrir suas portas aos hackers. O que vocês pensam sobre isso.

HAA - Acontece. Mas não gostamos de corrupção. Usamos apenas nossos conhecimentos de informática para desferir nossos ataques.

Estadão - Comenta-se também nos círculos de segurança que muitos fabricantes de antivírus pagam a hackers para escrever os vírus que estão por aí. É verdade?

HAA - Isso é absolutamente verdadeiro. Conhecemos vários hackers que estão construindo vírus nos laboratórios da maioria dessas empresas. E elas lhes pagam muito bem.

Estadão - Vocês também criam vírus?

HAA - Sim, menos o Tyrece. No momento, estamos estudando as redes de computadores dos Estados Unidos para construir um vírus altamente destrutivo que irá infectar todas as máquinas de sistemas militares e de instituições financeiras do país.

Estadão - Poderiam nos dizer que grandes invasões vocês já realizaram?

HAA - Atacamos a NASA. Em nosso site mostramos como acessar o seu sistema de lançamento de satélites. Mas, como dissemos antes, nosso objetivo não é desfigurar páginas Web. É permanecer nas sombras, causando estragos políticos e econômicos. Só atacamos sistemas que guardam informações realmente importantes sobre os atos escusos do governo norte-americano. Este é o espírito do grupo.


Fonte: Estadão Tecnologia
Outre Gallery Galeria com diversos desenhistas,
um melhor que o outro, vale a pena visitar.
Possui também diversos liks para outros artistas de classe.

Curtam esses. Excepcionais!

1 de junho de 2004


Mão cai do céu e interrompe festa em barco nos EUA








Uma festa em um barco na área nobre de Long Island, nos Estados Unidos, no último sábado à noite, foi interrompida quando uma mão humana decepada misteriosamente caiu do céu no deck da embarcação, segundo a polícia.

O incidente bizarro ocorreu na marina de Lawrence Village, onde um grupo de barcos reuniu-se para realizar uma festa, segundo o jornal NY Post.

Um dos proprietários estava dentro da cabine quando ouviu o barulho e saiu para ver o que ocorria, quando encontrou a mão na parte traseira do barco. "A partir deste ponto, nós não temos a mínima idéia de onde a mão veio", afirmou o detetive sargento John Azzata.

Fonte: Terra
chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA chEIro de BERGAMOTA