11 de agosto de 2004

Quando estamos no elevador e entra o vizinho que nada tem a nos dizer e vice e versa, a situação fica desconfortável, silêncio total, os andares passando vagarosamente e nós olhando para o teto ou admirando a beleza do mármore do chão. Acontece também quando estamos conversando com um conhecido ou até um amigo, o assunto vai embora, como a água a escorrer pelo ralo. Entra em cena então, a frase curinga: E o tempo?
Agora, tente fazer essa mesma pergunta quando estiver em uma situação semelhante com... Albert Einsten.

Nenhum comentário: